Google+ Followers

terça-feira, 14 de maio de 2013

Fuvest - Questões de História e Geografia com gabarito comentado





1. (Fuvest 2013)  Grandes lagos artificiais de barragens, como o Nasser, no Rio Nilo, o Three Gorges, na China, e o de Itaipu, no Brasil, resultantes do represamento de rios, estão entre as obras de engenharia espalhadas pelo mundo, com importantes efeitos socioambientais.

Acerca dos efeitos socioambientais de grandes lagos de barragens, considere as afirmações abaixo.

I. Enquanto no passado, grandes lagos de barragem restringiam-se a áreas de planície, atualmente, graças a progressos tecnológicos, situam-se, invariavelmente, em regiões planálticas, com significativos desníveis topográficos.
II. A abertura das comportas que represam as águas dos lagos de barragens impede a ocorrência de processos de sedimentação, assim como provoca grandes enchentes a montante.
III. Frequentes desalojamentos de pessoas para a implantação de lagos de barragens levaram ao surgimento, no Brasil, do Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB.
IV. Por se constituírem como extensos e, muitas vezes, profundos reservatórios de água, grandes lagos de barragens provocam alterações microclimáticas nas suas proximidades.

Está correto o que se afirma em
a) I e II, apenas.   
b) I, II e III, apenas.   
c) II, III e IV, apenas.   
d) III e IV, apenas.   
e) I, II, III e IV.   


Resposta:

[D]

A implantação de barragens de hidrelétricas causa impactos ambientais e sociais, como alterações no ecossistema e clima locais (IV) e protestos de populações prejudicadas pelo reservatório e que se organizam em movimentos sociais como o MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens (III).
Os itens incorretos são:

I. Tradicionalmente, os grandes lagos para o aproveitamento hidrelétrico se localizam em áreas com relevo planáltico, uma vez que o desnível topográfico propicia maior geração de energia. Recentemente, foram implantadas novas tecnologias que permitem o aproveitamento hidrelétrico em áreas cujo relevo apresenta menor desnível, como é o caso das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio no rio Madeira (RO).
II. A implantação de uma barragem faz com que aumento o acúmulo de sedimentos retidos no reservatório. O procedimento de abertura das comportas que represam as águas até propicia alguma sedimentação à jusante. A barragem pode funcionar também para atenuar as inundações à jusante devido à retenção de água. Algumas vezes, quando o reservatório está com excesso de água, a maior vazão pelas comportas pode causar enchentes à jusante.



  
2. (Fuvest 2012)  Ainda no começo do século 20, Euclides da Cunha, em pequeno estudo, discorria sobre os meios de sujeição dos trabalhadores nos seringais da Amazônia, no chamado regime de peonagem, a escravidão por dívida. Algo próximo do que foi constatado em São Paulo nestes dias [agosto de 2011] envolvendo duas oficinas terceirizadas de produção de vestuário.

José de Souza Martins, 2011. Adaptado.

No texto acima, o autor faz menção à presença de regime de trabalho análogo à escravidão, na indústria de bens
a) de consumo não duráveis, com a contratação de imigrantes asiáticos, destacando-se coreanos e chineses.   
b) de consumo duráveis, com a superexploração, por meio de empresas de pequeno porte, de imigrantes chilenos e bolivianos.   
c) intermediários, com a contratação prioritária de imigrantes asiáticos, destacando-se coreanos e chineses.   
d) de consumo não duráveis, com a superexploração, principalmente, de imigrantes bolivianos e peruanos.   
e) de produção, com a contratação majoritária, por meio de empresas de médio porte, de imigrantes peruanos e colombianos.   


Resposta:

[D]

Atualmente, as oficinas de costura, localizadas na região central da cidade de São Paulo, têm recorrido à mão de obra que imigrou clandestinamente, constituída por trabalhadores bolivianos e peruanos; devido à ilegalidade e não terem direitos trabalhistas, são sujeitos a condições de superexploração (baixos salários e ausência de benefícios sociais).



  
3. (Fuvest 2012)  Do ponto de vista tectônico, núcleos rochosos mais antigos, em áreas continentais mais interiorizadas, tendem a ser os mais estáveis, ou seja, menos sujeitos a abalos sísmicos e deformações. Em termos geomorfológicos, a maior estabilidade tectônica dessas áreas faz com que elas apresentem uma forte tendência à ocorrência, ao longo do tempo geológico, de um processo de
a) aplainamento das formas de relevo, decorrente do intemperismo e da erosão.   
b) formação de depressões absolutas, gerada por acomodação de blocos rochosos.   
c) formação de canyons, decorrente de intensa erosão eólica.   
d) produção de desníveis topográficos acentuados, resultante da contínua sedimentação dos rios.   
e) geração de relevo serrano, associada a fatores climáticos ligados à glaciação.   


Resposta:

[A]

Os crátons que abrigam escudos cristalinos são tectonicamente estáveis e, aos poucos, são aplainados pela ação do intemperismo e da erosão.



  
4. (Fuvest 2012)  Logo após a entrada de milhares de imigrantes norte-africanos na Itália, em abril deste ano, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, fizeram as seguintes declarações a respeito de um consenso entre países da União Europeia (UE) e associados.

Queremos mantê-lo vivo, mas para isso é preciso reformá-lo.
Nicolas Sarkozy.

Não queremos colocá-lo em causa, mas em situações excepcionais acreditamos que é preciso fazer alterações, sobre as quais decidimos trabalhar em conjunto.
Silvio Berlusconi.

http://pt.euronews.net. Acesso em julho/2011. Adaptado.

Sarkozy e Berlusconi encaminharam pedido à UE, solicitando a revisão do
a) Tratado de Maastricht, o qual concede anistia aos imigrantes ilegais radicados em países europeus há mais de 5 anos.   
b) Acordo de Schengen, segundo o qual Itália e França devem formular políticas sociais de natureza bilateral.   
c) Tratado de Maastricht, que implementou a União Econômica Monetária e a moeda única em todos os países da UE.   
d) Tratado de Roma, que criou a Comunidade Econômica Europeia (CEE) e suprimiu os controles alfandegários nas fronteiras internas.   
e) Acordo de Schengen, pelo qual se assegura a livre circulação de pessoas pelos países signatários desse acordo.   


Resposta:

[E]

A União Europeia recebeu sua denominação oficial em 1992 com a assinatura do Tratado de Maastricht que, entre outras determinações, estabelecia a existência de uma cidadania europeia e a unificação monetária. Em outubro de 1997, foi institucionalizado, em escala europeia, o Tratado de Schengen, criado em 1985, e que permite a livre circulação de cidadãos comunitários pelos países signatários. Todavia, em 2011, após desentendimentos entre os governos italiano e francês devido à imigração de africanos para a Itália, os governos europeus pensaram em retomar o controle temporário das fronteiras internas em situações “excepcionais”.



  
5. (Fuvest 2013)  A economia das possessões coloniais portuguesas na América foi marcada por mercadorias que, uma vez exportadas para outras regiões do mundo, podiam alcançar alto valor e garantir, aos envolvidos em seu comércio, grandes lucros. Além do açúcar, explorado desde meados do século XVI, e do ouro, extraído regularmente desde fins do XVII, merecem destaque, como elementos de exportação presentes nessa economia:
a) tabaco, algodão e derivados da pecuária.   
b) ferro, sal e tecidos.   
c) escravos indígenas, arroz e diamantes.   
d) animais exóticos, cacau e embarcações.   
e) drogas do sertão, frutos do mar e cordoaria.   


Resposta:

[A]

A questão demanda conhecimentos específicos acerca dos produtos explorados comercialmente por Portugal no Brasil Colonial, dentro dos interesses mercantilistas daquele país europeu. O tabaco era usado principalmente como moeda de troca na aquisição de escravos africanos. O algodão atendeu ao mercado europeu, sobretudo no momento em que as Colônias Inglesas da América do Norte, envolvidas em seu processo de independência, deixaram de fazê-lo. Já o couro e o charque, derivados da pecuária, atendiam ao mercado luso.



  
6. (Fuvest 2013)  Leia os textos abaixo:

Coube ao Gen. Mourão Filho, Cmt. da 4ª Região Militar, essa histórica iniciativa, a 31 de março, nas altaneiras montanhas de Minas. E a Revolução, sem que tivesse havido elaboradas articulações prévias entre os Chefes Militares, – não teria havido tempo para isto – empolga o Exército, a Marinha e a Aeronáutica, para ter seu epílogo às 11h45min do dia 2 de abril, no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, com a partida do ex-Presidente João Goulart para o estrangeiro.

M. P. Figueiredo. A Revolução de 1964. Um depoimento para a história pátria. Rio de Janeiro: APEC, 1970, p. 11-12. Adaptado.

Lembro-me bem do dia 31 de março de 1964. Era aluno do curso de Sociologia e Política da Faculdade de Ciências Econômicas da antiga Universidade de Minas Gerais e militava na Ação Popular, grupo de esquerda católica [...] No dia seguinte, 1º de abril, já não havia dúvida sobre a vitória do golpe. Saí em companhia de colegas a vagar pelas ruas de Belo Horizonte [...] Contemplávamos, perplexos, a alegria dos que celebravam a vitória e assistíamos, assustados, ao início da violência contra os derrotados.

J. M. de Carvalho. Forças Armadas e Política no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005, p. 118.

a) Que denominação cada autor utilizou para se referir ao regime instaurado após 31 de março de 1964? A que se deve essa diferença de denominação?
b) Tal diferença se relaciona com a criação da Comissão da Verdade em 2012? Justifique.  


Resposta:

a) No texto 1 (M.P. Figueiredo), o autor utilizou a denominação “revolução” para o regime instaurado após 31 de março de 1964, já o autor do texto 2 (J.M. de Carvalho) utilizou a denominação “golpe”. Essa diferença de denominação está relacionada com a forma como cada grupo envolvido no processo encarou o regime instaurado. No primeiro caso, estão principalmente os segmentos ligados ao meio militar e da burguesa patrocinadora do movimento. No segundo grupo, os opositores ao regime, seus simpatizantes.
b) Sim. A partir de 1970, com a “abertura política” e a divulgação cada vez maior de informações obtidas através de documentos e testemunhos de personagens envolvidos nos fatos ocorridos durante a vigência do regime instaurado após 31 de março de 1964, ficava cada vez mais difícil defender a ideia de “revolução”. Mais recentemente, inspirado pelos acontecimentos nos países vizinhos, instauraram-se as Comissões da Verdade, com o objetivo de investigar e apurar os fatos envolvendo os desaparecidos políticos.



  
7. (Fuvest 2013)  Durante os primeiros tempos de sua existência, o PCB prosseguiu em seu processo de diferenciação ideológica com o anarquismo, de onde provinha parte significativa de sua liderança e de sua militância. Nesse curso, foi necessário, no que se refere à questão parlamentar, também proceder a uma homogeneização de sua própria militância. Houve algumas tentativas de participação em eleições e de formulação de propostas a serem apresentadas à sociedade que se revelaram infrutíferas por questões conjunturais. A primeira vez em que isso ocorreu foi, em 1925, no município portuário paulista de Santos, onde os comunistas locais, apresentando-se pela legenda da Coligação Operária, tiveram um resultado pífio. No entanto, como todos os atos pioneiros, essa participação deixou uma importante herança: a presença na cena política brasileira dos trabalhadores e suas reivindicações. Estas, em particular, expressavam um acúmulo de anos de lutas do movimento operário brasileiro.

Dainis Karepovs. A classe operária vai ao Parlamento. São Paulo: Alameda, 2006, p.169.

A partir do texto acima, pode-se afirmar corretamente que
a) as eleições de representantes parlamentares advindos de grupos comunistas e anarquistas foram frequentes, desde a Proclamação da República, e provocaram, inclusive, a chamada Revolução de 1930.   
b) comunistas, anarquistas e outros grupos de representantes de trabalhadores eram formalmente proibidos de participar de eleições no Brasil desde a proclamação da República, cenário que só se modificaria com a Constituição de 1988.   
c) as primeiras décadas do século XX representam um período de grande diversidade político-partidária no Brasil, o que favoreceu a emergência de variados grupos de esquerda, cuja excessiva divisão impediu-os de obter resultados eleitorais expressivos.   
d) as experiências parlamentares envolvendo operários e camponeses, no Brasil da década de 1920, resultaram em sua presença dominante no cenário político nacional, após o colapso do primeiro regime encabeçado por Getúlio Vargas.   
e) as primeiras participações eleitorais de candidatos trabalhadores ganharam importância histórica, uma vez que a política partidária brasileira da chamada Primeira República era dominada por grupos oriundos de grandes elites econômicas.   


Resposta:

[E]

O texto – que precisa ser lido com muita atenção – mostra as primeiras iniciativas de participação política de trabalhadores em meio ao processo eleitoral brasileiro característico da República Velha. Tal processo era marcado pelo voto de cabresto e pelo consequente controle das eleições por parte das elites ligadas à posse da terra. Em razão disso, as iniciativas dos trabalhadores tiveram resultados pífios, mas serviram de base para futuros questionamentos do sistema político vigente.



  
8. (Fuvest 2013)  Maldito, maldito criador! Por que eu vivo? Por que não extingui, naquele instante, a centelha de vida que você tão desumanamente me concedeu? Não sei! O desespero ainda não se apoderara de mim. Meus sentimentos eram de raiva e vingança. Quando a noite caiu, deixei meu abrigo e vagueei pelos bosques. (...) Oh! Que noite miserável passei eu! Sentia um inferno devorar-me, e desejava despedaçar as árvores, devastar e assolar tudo o que me cercava, para depois sentar-me e contemplar satisfeito a destruição. Declarei uma guerra sem quartel à espécie humana e, acima de tudo, contra aquele que me havia criado e me lançara a esta insuportável desgraça!

Mary Shelley. Frankenstein. 2ª ed. Porto Alegre: LPM, 1985.

O trecho acima, extraído de uma obra literária publicada pela primeira vez em 1818, pode ser lido corretamente como uma
a) apologia à guerra imperialista, incorporando o desenvolvimento tecnológico do período.   
b) crítica à condição humana em uma sociedade industrializada e de grandes avanços científicos.   
c) defesa do clericalismo em meio à crescente laicização do mundo ocidental.   
d) recusa do evolucionismo, bastante em voga no período.   
e) adesão a ideias e formulações humanistas de igualdade social.   


Resposta:

[B]

O romance Frankenstein, de Mary Shelley, foi escrito e publicado sob o contexto da Primeira Revolução Industrial, época marcada por grandes avanços científicos e pela crença de que o homem poderia controlar a natureza – fatos que são questionados pela autora.



  
9. (Fuvest 2013)  Oh! Aquela alegria me deu náuseas. Sentia-me ao mesmo tempo satisfeito e descontente. E eu disse: tanto melhor e tanto pior. Eu entendia que o povo comum estava tomando a justiça em suas mãos. Aprovo essa justiça, mas poderia não ser cruel? Castigos de todos os tipos, arrastamentos e esquartejamentos, tortura, a roda, o cavalete, a fogueira, verdugos proliferando por toda parte trouxeram tanto prejuízo aos nossos costumes! Nossos senhores colherão o que semearam.

Graco Babeuf, citado por R. Darnton. O beijo de Lamourette. Mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 31. Adaptado.

O texto é parte de uma carta enviada por Graco Babeuf à sua mulher, no início da Revolução Francesa de 1789. O autor
a) discorda dos propósitos revolucionários e defende a continuidade do Antigo Regime, seus métodos e costumes políticos.   
b) apoia incondicionalmente as ações dos revolucionários por acreditar que não havia outra maneira de transformar o país.   
c) defende a criação de um poder judiciário, que atue junto ao rei.   
d) caracteriza a violência revolucionária como uma reação aos castigos e à repressão antes existentes na França.   
e) aceita os meios de tortura empregados pelos revolucionários e os considera uma novidade na história francesa.   


Resposta:

[D]

O texto mostra os sentimentos de Graco Babeuf em relação aos eventos que iniciaram a Revolução Francesa, em 1789. Tais sentimentos apresentam-se contraditórios, embora, ao final, Babeuf deixe claro que a ação violenta dos revolucionários era uma resposta aos abusos cometidos pelo Antigo Regime francês ("Nossos senhores colherão o que semearam"). Posteriormente, na fase da Revolução Francesa conhecida como Diretório, Graco Babeuf liderou a Conjura dos Iguais.



  
10. (Fuvest 2013)  Fosse com militares ou civis, a África esteve por vários anos entregue a ditadores. Em alguns países, vigorava uma espécie de semidemocracia, com uma oposição consentida e controlada, um regime que era, em última análise, um governo autoritário. A única saída para os insatisfeitos e também para aqueles que tinham ambições de poder passou a ser a luta armada. Alguns países foram castigados por ferozes guerras civis, que, em certos casos, foram alongadas por interesses extracontinentais.

Alberto da Costa e Silva. A África explicada aos meus filhos. Rio de Janeiro: Agir, 2008, p. 139.

Entre os exemplos do alongamento dos conflitos internos nos países africanos em função de “interesses extracontinentais”, a que se refere o texto, pode-se citar a participação
a) da Holanda e da Itália na guerra civil do Zaire, na década de 1960, motivada pelo controle sobre a mineração de cobre na região.   
b) dos Estados Unidos na implantação do apartheid na África do Sul, na década de 1970, devido às tensões decorrentes do movimento pelos direitos civis.   
c) da França no apoio à luta de independência na Argélia e no Marrocos, na década de 1950, motivada pelo interesse em controlar as reservas de gás natural desses países.   
d) da China na luta pela estabilização política no Sudão e na Etiópia, na década de 1960, motivada pelas necessidades do governo Mao Tse-Tung em obter fornecedores de petróleo.   
e) da União Soviética e Cuba nas guerras civis de Angola e Moçambique, na década de 1970, motivada pelas rivalidades e interesses geopolíticos característicos da Guerra Fria.   


Resposta:

[E]

Embora haja o texto como referência, a questão demanda conhecimentos específicos acerca da Descolonização Afro-Asiática e da Guerra Fria, uma vez que o primeiro evento sofreu influência do segundo. Angola e Moçambique, ex-colônias portuguesas na África, alcançaram suas respectivas independências na década de 1970, auxiliadas por Cuba e União Soviética.



  
11. (Fuvest 2013)  O que acontece quando a gente se vê duplicado na televisão? (...) Aprendemos não só durante os anos de formação mas também na prática a lidar com nós mesmos com esse “eu” duplo. E, mais tarde, (...) em 1974, ainda detido para averiguação na penitenciária de Colônia-Ossendorf, quando me foi atendida, sem problemas, a solicitação de um aparelho de televisão na cela, apenas durante o período da Copa do Mundo, os acontecimentos na tela me dividiram em vários sentidos. Não quando os poloneses jogaram uma partida fantástica sob uma chuva torrencial, não quando a partida contra a Austrália foi vitoriosa e houve um empate contra o Chile, aconteceu quando a Alemanha jogou contra a Alemanha. Torcer para quem? Eu ou eu torci para quem? Para que lado vibrar? Qual Alemanha venceu?

Gunter Grass. Meu século. Rio de Janeiro: Record, 2000, p. 237. Adaptado.

O trecho acima, extraído de uma obra literária, alude a um acontecimento diretamente relacionado
a) à política nazista de fomento aos esportes considerados “arianos” na Alemanha.   
b) ao aumento da criminalidade na Alemanha, com o fim da Segunda Guerra Mundial.   
c) à Guerra Fria e à divisão política da Alemanha em duas partes, a “ocidental” e a “oriental”.   
d) ao recente aumento da população de imigrantes na Alemanha e reforço de sentimentos xenófobos.   
e) ao caráter despolitizado dos esportes em um contexto de capitalismo globalizado.   


Resposta:

[C]

Embora haja o texto como referência, a questão demanda conhecimentos específicos acerca da Guerra Fria. Em 1974, a Alemanha encontrava-se dividida em Alemanha Ocidental (de orientação capitalista) e Alemanha Oriental (de orientação socialista). Essa divisão foi consequência dos primeiros anos da Guerra Fria, tendo sido oficializada em 1949, durando até 1990. 

Link para questões de outras disciplinas: 




Bons estudos!!

Professor Arão Alves



Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados