Google+ Followers

Oriente Médio e Palestina

domingo, 8 de abril de 2012

República Velha e Era Vargas Questões discursivas com gabarito comentado. FG 3º ano
















República Velha e Era Vargas Questões discursivas com gabarito comentado.

Sugestão de estudo complementar para a prova de História 2º ano:
Nesse post há 2 simulados com questões discursivas, ambos com gabarito comentado. Seu conteúdo procura explorar de forma ampla os temas apresentados nas aulas.  Além desses, ao final do post há links para vídeos que abordam os assuntos objeto da prova.
Bons estudos!!!!
Professor Arão Alves

Simulado 2
1. (Unicamp 2009)  Na busca de um herói para a República, quem atendeu as exigências da mitificação foi Tiradentes. O busto de Tiradentes idealizado em 1890 era a própria imagem de Cristo. A simbologia cristã apareceu em várias outras obras de arte da época. Mas Tiradentes não era apenas um herói republicano, era um herói do jacobinismo, dos setores mais radicais do Partido Republicano. Além do republicanismo, atribuía-se a Tiradentes um caráter plebeu, humilde, popular, em contraste com a elite econômica e cultural, aproximando-o assim do florianismo.
                (Adaptado de José Murilo de Carvalho, "A formação das almas: imaginário da República no Brasil". São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 57-69.)

a) De acordo com o texto, quais os significados associados à imagem de Tiradentes pela propaganda republicana no Brasil?
b) Dê duas características políticas dos primeiros governos da república (Marechal Deodoro e Floriano Peixoto).
 
2. (Uerj 2009)  A única lei de legislação operária que teve larga aplicação é aquela que um advogado dos fazendeiros de São Paulo, um ilustre Adolfo Gordo qualquer, ampliou: a lei de expulsão dos estrangeiros do território da república, aplicada aos operários mais ou menos estrangeiros que se organizassem em liga de resistência e cuidassem dos próprios interesses.
                GIGI DAMIANI. O Brasil visto por um anarquista italiano. In: "A batalha", 04/09/1921.

Presente Álvaro de Oliveira Monteiro (3a testemunha), "portuguez", com trinta e cinco anos de idade, solteiro, padeiro, residente à rua Dois de Fevereiro nummero cinquenta e nove, sabendo ler e escrever, inquirido disse que hoje, cerca de sete horas da manhã, conduzia um cesto de pão a fim de distribuir tal alimento a freguesia e ao passar pela rua Doutor Dias da cruz um grupo de grevistas e empregados da padaria o forçaram a largar o cesto de pão no qual atearam fogo, impedindo assim que elle declarante exercesse o seu commercio; que desse grupo tomavam parte os acusados presentes que foram presos, tendo os demais conseguido se evadirem.
                Brasil: "Arquivo nacional", 7a Pretoria criminal, Freguesias de Inhaúma, Irajá e Jacarepaguá - 1912-1922 (Fundo 72), Ano: 1912, notação: 72.0465.

Os textos anteriores apontam para um quadro desolador da situação da classe trabalhadora brasileira na Primeira República. O primeiro foi escrito por um militante operário, e o segundo é parte integrante de um arquivo policial da época. Ambos demonstram tanto a ótica sob a qual as elites políticas viam o mundo do trabalho quanto a fragilidade do movimento operário.
Indique quatro razões que contribuíram para que esse movimento, no início do século XX, se encontrasse na situação descrita nos fragmentos.
 
3. (Uerj 2009) 

Tarsila do Amaral foi uma das principais artistas da Semana de Arte Moderna de 1922. A tela anterior é representativa da primeira fase do movimento modernista no Brasil (1922 a 1930). Nesse momento, as propostas desses artistas e intelectuais encontravam eco em reivindicações de diferentes setores sociais do país, cuja mobilização levou ao fim da República Oligárquica, em 1930.
Identifique, a partir da tela apresentada, duas características da ordem socioeconômica defendida pelos modernistas na década de 1920. Em seguida, explique de que forma elas contradizem a política e a economia brasileiras vigentes à época.
 
4. (Uerj 2008)    (...) a cor do governo é puramente militar e deverá ser assim. O fato foi deles, deles só, porque a colaboração do elemento civil foi quase nula.
                Aristides Lobo
                Apud: PENNA, Lincoln Abreu. "Uma História da República". Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1989.

Aristides Lobo, político e jornalista, era um republicano histórico e, apesar de aplaudir a instituição da república no Brasil em 1889, discordava da forma como os militares no poder organizavam o novo sistema de governo. Apresente duas características do sistema político idealizado pelos republicanos históricos e indique dois segmentos sociais que apoiaram essas ideias.
 
5. (Unicamp 2008)           "Com 800 mil habitantes, o Rio de Janeiro era uma cidade perigosa. Espreitando a vida dos cariocas estavam diversos tipos de doenças, bem como autoridades capazes de promover sem qualquer cerimônia uma invasão de privacidade. A capital da jovem República era uma vergonha para a nação. As políticas de saneamento de Oswaldo Cruz mexeram com a vida de todo mundo. Sobretudo dos pobres. A lei que tornou obrigatória a vacinação foi aprovada pelo governo em 31 de outubro de 1904; sua regulamentação exigia comprovantes de vacinação para matrículas em escolas, empregos, viagens, hospedagens e casamentos. A reação popular, conhecida como Revolta da Vacina, se distinguiu pelo trágico desencontro de boas intenções: as de Oswaldo Cruz e as da população. Mas em nenhum momento podemos acusar o povo de falta de clareza sobre o que acontecia à sua volta. Ele tinha noção clara dos limites da ação do Estado."
                (Adaptado de José Murilo de Carvalho, "Abaixo a vacina!". "Revista Nossa História", ano 2, n- 13, novembro de 2004, p. 74.)

A partir da leitura do texto e de seus conhecimentos, responda às questões a seguir:
a) De que maneira as medidas sanitárias, no Rio de Janeiro do início do século XX, "mexeram com a vida de todo mundo, sobretudo dos pobres"?
b) Indique dois fatores que restringiam a participação política dos trabalhadores na Primeira República.
 
6. (Unicamp 2007)  Durante o Estado Novo (1937-1945), entidades ligadas à imigração italiana, alemã, síria, libanesa, japonesa, entre outros grupos, foram forçadas a "nacionalizar" seu nome e eleger uma diretoria de "brasileiros natos". Um dos exemplos mais conhecidos de nacionalização do nome são os clubes de futebol como o Palestra Itália, que mudou seu nome, em setembro de 1942, para Sociedade Esportiva Palmeiras.
                (Adaptado de Roney Cytrynowicz, "Além do Estado e da ideologia: imigração judaica, Estado-Novo e Segunda Guerra Mundial". "Revista Brasileira de História", vol. 22, n. 44, dez. 2002, p. 408-422.)

a) Explique por que o Palestra Itália mudou seu nome.
b) Qual o uso político dos estádios de futebol durante o Estado Novo?
c) Cite duas funções do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) durante o Estado Novo.
 
7. (Uerj 2007) 

A passagem da década de 1920 para 1930 trouxe a afirmação de uma nova forma de expressão: o cinema. No Brasil, o sucesso das chanchadas da Cinédia refletiu o impacto de transformações sociais sobre a cultura.
Indique duas mudanças, uma política e outra econômica, vivenciadas pela sociedade brasileira na década de 1930 e aponte uma razão que explique o sucesso das chanchadas entre os segmentos populares urbanos da época.
 
8. (Uerj 2006)  
As mudanças no modelo econômico brasileiro, ocorridas a partir do final da década de 1920, não provocaram o abandono da política agroexportadora, conforme indicam as tabelas acima. Contudo, as transformações do cenário político-econômico produziram um novo projeto de nação implementado pelo Estado, que vigorou de 1930 a 1945.
Considerando esses dados, cite:
a) duas ações do Estado brasileiro, no período de 1930-1945, que comprovem a permanência de uma política de defesa do setor agroexportador;
b) duas características do projeto de nação implementado pelo Estado nesse período.
 
9. (Pucsp 2006)  Leia com atenção:

                [...] nas duas fases em que se dará a construção da ferrovia Madeira-Mamoré, 1878-9 e 1907-12, a escassez crônica da força de trabalho combina-se com um alto grau de reposição de estoques, como resultado de sua dissipação precoce [...]
                A decisão de construir aquela estrada de ferro numa região insalubre possui determinações específicas, que passam pela afirmação nacional, pelo desejo de dominar o desconhecido e selvagem, pelo afã [...] de percorrer territórios estranhos e de transformá-los, neles imprimindo as marcas conhecidas da engenharia mais avançada [....] Mas, em si, a ferrovia na selva não seria obrigatoriamente 'motor de desenvolvimento'. Havia pelo menos tantas razões de igual peso para que fosse o contrário: um caminho que conduzisse do nada a lugar-nenhum.
                (Adaptado de Francisco Foot Hardman. "Trem fantasma. A modernidade na selva". São Paulo: Cia. das Letras, 1988, p.129 e 137)

Quando a Transamazônica estiver definitivamente rasgada na selva, o Brasil terá finalmente uma estrada que ligará seus limites extremos no leste e no oeste. Iniciando-se em Estreito, no Maranhão, a rodovia de mais de 4.000 quilômetros vai até o Boqueirão da Esperança, na fronteira do Acre com o Peru. Ali, a Transamazônica irá ligar-se com a rodovia peruana que tem seu marco zero em Lima. Quando tal junção se consumar, o continente sul-americano estará ligado de costa a costa.
                (Adaptado de: revista "Manchete", 15 abr. 1972, p. 65-66)

"Dos sonhos do Plano de Integração Nacional e do 'Brasil Grande' do regime militar, resta uma pista de terra vermelha e amarela que é, durante seis meses, poeira e outros seis meses, lama. E restam um milhão de pessoas esperando que a BR-230, que já foi rebatizada de 'Transamargura' e 'Transmiseriana', se torne um caminho possível em direção ao desenvolvimento da região."
                ("Poeiras e esperanças na Transamazônica de hoje". In: http://www.comciencia.br/SBPC, 10/04/2004)

Cada sistema [ferroviário, rodoviário e de transmissão de informações] requer configurações diferentes que não têm as mesmas possibilidades e foram implantadas em períodos diferentes: por exemplo, a difusão por satélite, muito presente na Amazônia, tem a vantagem de cobrir vastas superfícies com um mínimo de implantações no solo.
                (Adaptado de Hervé Théry e Neli Aparecida de Mello. "Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território". São Paulo: Edusp, 2005, p. 231)

A partir dos textos e imagens, redija um texto que considere:
- Os interesses econômicos que envolveram a construção das duas estradas (borracha, minérios), as justificativas oficiais para os dois projetos e os possíveis motivos de seus insucessos;
- A preocupação do Estado com o controle estratégico da parte brasileira da Amazônia nos dois momentos históricos citados e nos dias de hoje.
 
10. (Uerj 2005)  Poucos anos após sua proclamação, a república no Brasil já sofria contestações. A Revolta da Armada, que eclodiu no governo de Floriano Peixoto, refletiu as insatisfações decorrentes da implantação do sistema republicano no país, somando-se a outras rebeliões como a Federalista, ocorrida na mesma época, no Rio Grande do Sul. Esta última, apesar de ser uma rebelião regional, também foi influenciada pelas tensões políticas que caracterizaram esse governo.

a) Explique um fator que tenha levado os membros da Marinha a se rebelarem contra o governo de Floriano Peixoto.
b) Descreva a situação política do Rio Grande do Sul durante esse governo, de forma a explicar a aproximação entre federalistas gaúchos e integrantes da Revolta da Armada.
 
11. (Uerj 2004)  Reza a lenda que, numa noite chuvosa de agosto de 39, Ary estava na sua sala, jogando conversa fora com a patroa e um casal de cunhados. De repente, levantou do sofá e disse, indo pro piano (...): vou fazer um samba cheio de inovações. Começou imitando no teclado a batida de um tamborim e, meia hora depois, música e letra estavam prontas. O cunhado foi o primeiro a esboçar um protesto que acompanharia a canção até hoje: coqueiro que dá coco, Ary? E você queria que ele desse o quê?!? Ary não deu bola. (...) Ele, esperto como sempre foi, sabia que estava inventando um gênero, o samba-exaltação. Com sua letra que cantava o bom e o belo dessa terra, estava inaugurando uma nova era, numa época onde marchas e sambas, como diria Noel Rosa, só falavam de mulher, malandragem e prontidão (falta de grana). (...) O fato é que nunca se descobriu se a Aquarela foi mesmo composta ou não sob encomenda de Getúlio.
http://www.samba-choro.com.br/artistas/arybarroso

Em 2003, comemorou-se o centenário do nascimento de um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira, Ary Barroso. O samba-exaltação, sua criação, foi utilizado como peça de propaganda tanto internamente, pelo Estado Novo, como externamente, pela Política da Boa Vizinhança do presidente norte-americano Franklin Roosevelt.
a) Explique de que forma o Estado Novo utilizou-se de manifestações da cultura popular, como o samba, em seu projeto de legitimação.
b) Cite duas características do contexto internacional no qual foi estabelecida a Política da Boa Vizinhança.
 
12. (Unicamp 2004)  Na repressão à greve de 1917, em São Paulo, o Comitê de Defesa dos Direitos do Homem do Rio de Janeiro denunciou: Todos os componentes do Comitê de Defesa Proletária e os membros mais ativos dos sindicatos, das ligas, dos centros e dos periódicos libertários foram agarrados e encarcerados. As oficinas em que se fazia o semanário A Plebe foram invadidas, tendo sido o seu diretor preso. Para muitos presos, foi preparada a expulsão do território nacional. (Adaptado de Paulo Sérgio Pinheiro & Michael Hall, A classe operária no Brasil, 1889-1930. Documentos. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1981, vol. II, p. 265-266).

a) Qual foi a importância da greve de 1917 em São Paulo?
b) A partir do texto, identifique as formas de repressão adotadas pelo governo de São Paulo contra a greve de 1917.
c) Qual o papel da imprensa operária nas primeiras décadas do século XX no Brasil?
 
13. (Unicamp 2004)  Sobre a reforma urbana do Rio de Janeiro, ocorrida entre fins do século XIX e início do XX, o literato Lima Barreto comentou: "De uma hora para outra, a antiga cidade desapareceu e outra surgiu como se fosse obtida por uma mutação de teatro. Havia mesmo na coisa muito de cenografia." (Lima Barreto, Os Bruzundangas, em Obras de Lima Barreto. São Paulo: Brasiliense, 1956, p. 106).
a) Cite uma atividade política e uma econômica que sustentaram a importância da cidade do Rio de Janeiro nesse período.
b) Identifique duas mudanças urbanas realizadas pelo prefeito Pereira Passos na reforma mencionada.
c) Explique a razão pela qual o ideário burguês, cosmopolita e republicano, tinha necessidade de condenar o passado colonial do Rio de Janeiro.
 
14. (Uerj 2003)  Em 2003, fará um século que, sob a direção de Pereira Passos, uma grande reforma urbana teve início na cidade do Rio de Janeiro. As charges, com seus respectivos textos, indicam aspectos marcantes dessas reformas.

Figura I
"O inquilino: - Mas, então, eu pago-lhe o aluguel pontualmente e o senhor consente que me ponham os troços na rua?!
O senhorio: - Meu amigo, tenha paciência: São cousas da Prefeitura! Trate de ver outra casa...
O inquilino: - Aonde? Pois o senhor não vê que não há? Que só há palácios de mármore e granito? Igrejinhas para música e pagodes e o raio que os parta?
O senhorio: - Que quer que lhe faça! O governo quer embasbacar a estranja, mostrando-lhe uma taboleta supimpa!
O inquilino: - Taboleta de Casa de Orates, de Hospício de Malucos! Estas cousas nunca se fazem assim! Primeiro acomodam-se os pobres! Aqui, dá-se-lhes um pontapé! Muito bonito, isto, hein?
O senhorio: - Que quer que lhe faça?"

Figura II
O médico: - Esta injeçãozinha é precisa para poder vestir a sua 'toilette' nova.
(Adaptado de BRENNA, Giovanna Rosso Del (org.). "O Rio de Janeiro de Pereira Passos". Rio de Janeiro: Index, 1985.)

Analisando as charges, aponte um objetivo da Reforma Pereira Passos e uma das consequências dessa reforma para as camadas populares.
 
15. (Uerj 2003)  Se de meus ensinamentos colherdes algum fruto, descansarei satisfeito de haver cumprido a minha missão. Entre esses ensinamentos, avulta o do patriotismo. Quero que consagreis sempre ilimitado amor à região onde nascestes, servindo-a com dedicação absoluta, destinando- lhe o melhor da vossa inteligência, os primores do vosso sentimento, o mais fecundo da vossa atividade, - dispostos a quaisquer  sacrifícios por ela, inclusive o da vida. (...)
Que a vossa geração exceda a minha e as precedentes, senão em semelhante amor, ao menos nas ocasiões de o comprovar. Quando disserdes: "Somos brasileiros!" levantai a cabeça, transbordantes de nobre ufania. Convencei-vos de que deveis agradecer quotidianamente a Deus o haver Ele vos outorgado por berço o Brasil.
                (CELSO, Affonso (1900). "Porque me ufano do meu País". Rio de Janeiro: Briguiet, 1943.)

Um chefe, um povo, uma nação: um Estado nacional e popular, isto é, um Estado em que o povo reconhece o seu Estado, um Estado em que a Nação identifica o instrumento da sua unidade e da sua soberania. Ai está o Novo Estado Brasileiro. Um Estado que é isto não é uma simples mecânica de poder. É também uma alma ou um espírito, uma atmosfera, uma ambiência, um clima. (...)
(...) somos todos fundadores [da Nação]. Fundar é dedicar o pensamento, a vontade e o coração (...) Não haveria pátria, família, igreja, se não renovasse, pelo pensamento ou pelo espírito, o ato de sua fundação (...).
(Francisco Campos - Discurso proferido em 10 de maio de 1938.)
                (Adaptado de CAMPOS, Francisco. "O Estado Nacional". Rio de Janeiro: José Olympio, 1940.)

A partir dos textos de Affonso Celso - no período de consolidação da República oligárquica - e de Francisco de Campos - produzido durante o Estado Novo, diferencie os conceitos de "nação brasileira" de cada um dos autores.
 
16. (Uerj 2003) 

(http://www.geocities.com/artemoderna)

Nem tudo foram flores no modernismo brasileiro. A Semana de Arte Moderna, ocorrida em 1922, no Teatro Municipal de São Paulo, mostrou a inquietude de um grupo de intelectuais diante do "atraso" brasileiro.

A partir desta interpretação do Modernismo, explique o significado da Semana de 22 para o processo de modernização brasileiro e aponte um de seus efeitos.
 
17. (Uerj 2002)  A ilustração a seguir e a canção composta por Ataulfo Alves e Felisberto Martins foram importantes instrumentos da propaganda do governo Vargas.

                               É NEGÓCIO CASAR

                O Estado Novo veio
                Para nos orientar
                No Brasil nada falta
                Mas precisa trabalhar
                Tem café, petróleo e ouro
                Ninguém pode duvidar
                E quem for pai de quatro filhos
                O presidente manda premiar
                É negócio casar
                (Citado por PILETTI, N. "História do Brasil. São Paulo": Ática, 1997.)

a) Identifique o papel da propaganda no governo de Getúlio Vargas.

b) Indique duas características econômicas do período do Estado Novo.
 
18. (Unicamp 2002)  Em novembro de 1904, data da revolta, o trabalho de demolição das casas para abrir a avenida Central, executado por cerca de 1800 operários, terminara e 16 dos novos edifícios estavam sendo construídos. O eixo central da avenida fora inaugurado em 7 de setembro em meio a grandes festas, já com serviços de bondes e iluminação elétrica. A derrubada de cerca de 640 prédios rasgara, através da parte mais habitada da cidade, um corredor que ia da Prainha ao Passeio Público. Era como abrir o ventre da velha cidade.
                (José Murilo de Carvalho, "Os Bestializados: O Rio de Janeiro e a República que não foi". São Paulo, Companhia das Letras, 1987, p. 93.)

a) Que revolta, ocorrida no Rio de Janeiro, está mencionada no texto?

b) Cite duas razões para a eclosão dessa revolta.

c) Quais foram os objetivos da reforma urbana a que o texto se refere?
 
19. (Unicamp 2001)  O ato mais importante do Estado Novo foi a construção de uma usina siderúrgica em Volta Redonda, no Estado do Rio de Janeiro. Em fevereiro de 1938, Vargas declarou que a indústria do aço era uma necessidade urgente. Embora o Estado Novo levasse quase dois anos e meio para decidir-se por uma fórmula apropriada à indústria siderúrgica, o projeto parecia bem concebido.
                (Adaptado de Warren Dean, "A industrialização de São Paulo", Difel, 1971, p.230-231.)

a) Qual o contexto internacional que propiciou a construção da indústria siderúrgica no Brasil?

b) Qual foi a política internacional adotada pelo governo Vargas para a criação da usina de Volta Redonda?

c) Qual seria a crítica do modelo econômico neoliberal à política econômica de Vargas?
 
20. (Uerj 1997)  Canudos ficava num cenário que lembrava as paisagens descritas na Bíblia: uma região árida repleta de caatingas, rodeada por cinco serras ásperas e atravessada por um rio, o Vaza-Barris.
Decidido a permanecer naquela autêntica fortaleza natural, e isso não deve ter escapado à percepção de Conselheiro, ele e seu grupo entraram em ação para construir uma comunidade onde estivessem livres do incômodo das autoridades religiosas católicas e políticas, bem como das leis republicanas, dos "coronéis", dos juizes, dos impostos, da justiça arbitrária, da política etc.
                               (COSTA, Nicola S. Canudos - Ordem e Progresso no Sertão. São Paulo, Moderna, 1990.)

O movimento de Canudos (1896-97), liderado pelo beato Antônio Vicente Mendes Maciel, o "Antônio Conselheiro", no sertão nordestino, é um dos mais conhecidos exemplos de movimentos místicos-populares que marcou o início da República no Brasil. As problemáticas sociais que deram vida àquele movimento permanecem, até hoje, em grande parte sem solução.
a) A partir do cenário descrito no texto e das condições de produção que caracterizavam o Nordeste brasileiro no final do século XIX, explique um fator que contribuiu para o movimento de Canudos.
b) Cite dois motivos pelos quais o povoado de Canudos incomodava as "autoridades religiosas católicas e políticas".
 

Gabarito: 

Resposta da questão 1:
 a) Segundo o texto, a propaganda republicana associou Tiradentes ao ideal de República, à imagem de Cristo e à de representante das camadas populares.

b) A presença dos militares do exército e autoritarismo dois presidentes, mais evidente em Floriano Peixoto, alcunhado de "Marechal de Ferro". 

Resposta da questão 2:
 Quatro das razões:
- divisão interna do movimento operário
- reduzido peso da indústria na economia brasileira.
- pequena repercussão pública dos movimentos grevistas.
- esperança de muitos trabalhadores estrangeiros em retornar à Europa
- posição contrária da maioria dos anarquistas à luta por leis trabalhistas
- reduzida tendência à organização dos trabalhadores fabris em sindicatos
- receio entre os trabalhadores em função de "listas negras" das indústrias
- legislação essencialmente repressiva, com a questão social sendo tratada como "caso de polícia" 

Resposta da questão 3:
 Duas das características:

                Desenvolvimento urbano e industrial.
                Modernidade tecnológica.

O desenvolvimento dos centros urbanos e a industrialização eram vistos como símbolos de modernidade pelos integrantes da Semana de Arte Moderna que, assim, opunham-se ao modelo agrário-exportador vigente e ao domínio das tradicionais oligarquias agrárias que controlavam o cenário político do país, por meio de currais eleitorais e do voto de cabresto. Assim, colocava-se em xeque a vocação agrária da sociedade brasileira, pressuposto de políticas econômicas, financeiras e tributárias empreendidas por governos republicanos. 

Resposta da questão 4:
 Duas das características:
- federalismo
- negação de qualquer conotação revolucionária ou subversão da ordem
- respeito à propriedade privada
- estabelecimento de um Estado laico
- liberdade econômica
- abolicionismo
- defesa das liberdades civis e políticas

Dois dos segmentos:
- burguesia cafeeira paulista
- classe média urbana liberal
- frações das aristocracias agrárias brasileiras 

Resposta da questão 5:
 a) As medidas decorrentes das políticas de saneamento propostas por Osvaldo Cruz para a cidade do Rio de Janeiro durante a administração do presidente Rodrigues Alves (1902-1906), afetaram a vida das camadas mais pobres, quando se promoveu a mobilização da  população na caça de ratos que seriam comprados pelo governo e quando os agentes sanitários, para desinfetar ruas e cortiços, tiveram que adentrar às casas, com poderes de interditar moradias e até mesmo determinar sua demolição. A obrigatoriedade da vacina, pode ser considerada o auge das interferências sobre a vida da populção, o que justifica, juntamente com as demais, a violenta reação expressa na Revolta da Vacina.

b) A restrição do direito de voto aos homens alfabetizados, o que reduzia consideravelmente número de eleitores e o voto aberto assegurava aos coronéis o controle do eleitorado em seus domínios, configurando-se o "voto de cabresto" e o "curral eleitoral", indicam fatores de restrição política às classes populares.
Pode-se acrescentar ainda, a violência policial usada pelo governo contra as formas de representação do trabalhadores urbanos (sindicatos, jornais, agremiações) e a seus líderes, implicando em dificuldades para a organização das classes trabalhadoras. 

Resposta da questão 6:
 a) Porque em 1942, o Brasil entrara na Segunda Guerra Mundial ao lado dos Aliados, declarando guerra à Alemanha e à Itália.

b) Os estádios eram utilizados para eventos de caráter cívico-nacionalistas, com o propósito de promover o regime varguista.

c) Censura aos meios de comunicação e a  promoção de uma imagem positiva do Estado Novo e de Getúlio Vargas. 

Resposta da questão 7:
                Uma dentre as mudanças políticas:
- Revolução de 1930
- fim da hegemonia política dos cafeicultores paulistas
- alteração da política do Estado brasileiro em face dos sindicatos
                Uma dentre as mudanças econômicas:
- implantação de uma política de desenvolvimento industrial
- esgotamento do modelo de desenvolvimento primário-exportador
- redefinição dos critérios norteadores da política de proteção ao café
- maior peso das atividades econômicas voltadas para o mercado interno
                Uma dentre as razões:
- Várias chanchadas retratavam, de forma simples e bem humorada, hábitos e maneiras de viver das populações rurais que estavam migrando para os centros urbanos e dando origem às crescentes camadas populares nas cidades.
- As chanchadas apresentavam tipos populares recorrentemente caracterizados de forma positiva, sublinhando comportamentos e visões de mundo que exaltavam virtudes inatas do povo como a ingenuidade sábia, a generosidade e a capacidade de superação em face das adversidades. 

Resposta da questão 8:
 a) Duas dentre as ações:
- não-realização da reforma agrária
- manutenção da estrutura agrária latifundiária
- não-abandono de políticas de valorização do café
- não-extensão da legislação trabalhista e sindical para o campo
- criação ou manutenção de organismos oficiais reguladores para o beneficiamento de determinados produtos agrícolas voltados para a exportação, como o IAA, o DNC, etc.

b) Duas dentre as características:
- estímulo à industrialização
- utilização de capital externo
- necessidade de modernização
- instituição de uma legislação trabalhista
- valorização do público em detrimento do privado
- estabelecimento de um ideal corporativo de sociedade
- progressiva implementação de uma política de substituição de importação 

Resposta da questão 9:
                No caso, da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, ferrovia no território do atual Estado de Rondônia, sua construção estava relacionada a interesses econômicos e estratégicos na região Amazônica. Do ponto de vista econômico, visava o escoamento da borracha extraída na região, sobretudo junto aos afluentes da margem direita do rio Amazonas. E do ponto de vista estratégico, devido aos conflitos entre bolivianos e brasileiros que adentraram ao território do atual Acre atraídos pela extração da borracha, o governo brasileiro interveio sob a orientação do barão do Rio Branco (ministro do Exterior de 1902 a 1912) para se posicionar como potência hegemônica na América do Sul. Daí, a Assinatura do Tratado de Petrópolis em 1903, em que a Bolívia cedia o Acre ao Brasil mediante uma indenização e o compromisso de construir a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, além de um pequeno território cedido aos bolivianos.
                Considera-se que apesar da Madeira-Mamoré  ter sido desativada somente  na década de 1960, desde o início da sua operação, foi considerada um fracasso, pois dispendeu um altíssimo custo, tanto financeiro quanto humano durante sua construção e sua finalidade deixou de ter sentido à época da conclusão, pois a concorrência da borracha asiática no mercado internacional provocou a desvalorização do produto brasileiro. Deve-se considerar ainda as técnicas inadequadas da construção da ferrovia em um ambiente hostil caracterizado pela alta umidade do clima equatorial e a densidade da floresta Amazônica.
                Quanto ao projeto de construção da Rodovia Transamazônica, integra-se ao contexto do "Milagre Brasileiro" durante o governo Médici (1969-1974) e o ufanismo dele decorrente, na medida em que se apregoava a importância e a capacidade do país e a necessidade das grandes obras.
                O governo estabelecia como objetivo para a construção da rodovia, a interligação da Região Amazônica ao Nordeste e consequentemente ao restante do Brasil viabilizando-se assim o antigo projeto de integrar o Norte Brasileiro às demais regiões para diminuir as desigualdades regionais, econômicas e sociais. Considere-se também, o interesse em termos estratégicos do Estado Brasileiro em assegurar o controle da região mediante as incipientes, porém incisivas, propostas de internacionalização da Amazônia e os projetos de expansão das fronteiras agrícolas.
                O fracasso da Transamazônica, deveu-se ao esgotamento dos recursos financeiros disponíveis para a construção, em razão do fim do "Milagre Brasileiro" como consequência da crise mundial do petróleo em1973, aos erros de planejamento como a falta de estudos levando em conta as dificuldades impostas pelo quadro natural da Amazônia e à falta de infraestrutura para viabilizar assentamentos de colonos.
                Atualmente, Amazônia adquiriu enorme importância em nível global, e consequentemente nacional devido a sua biodiversidade, a disponibilidade de recursos minerais e aos recursos hídricos, além da disversidade de povos que atraem a vinda de missionários ou de grupos defensores das minorias, vindos do exterior.
           Esse quadro, têm intensificado as ingerências externas em relação à região, exigindo do governo brasileiro a afirmação da soberania nacional como ficou caracterizado na realização dos projetos como o Calha Norte, iniciado em 1985 e a posterior criação do SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia), um mecanismo de controle da região amazônica, baseado na utilização de radares e satélites, para localizar e identificar nas áreas observadas, atividades realcionadas ao narcotráfico ou de movimentos guerrilheiros nas fronteiras com países vizinhos, desmatamentos e voos de aeronaves sob suspeição.
            Apesar dos esforços do governo brasileiro e de já se verificar algum êxito nas políticas em relação a Amazônia, ainda se requer maior empenho quanto a soberania na região, na medida em que se intensificam as pressões pela internacionalização. 

Resposta da questão 10:
 a) Uma dentre as explicações:
- Descontentamento de oficiais da Marinha, com a perda dos postos de destaque no cenário político nacional, em detrimento dos oficiais do Exército.
- Eram contrários à posse de Floriano Peixoto na presidência, considerando-a inconstitucional por não haverem transcorridos dois anos do mandato de Deodoro da Fonseca.

b) Os dois grupos oligárquicos gaúchos - os maragatos e os chimangos ou pica-paus  divergiam quanto ao caráter da política nos níveis regional e nacional.Os maragatos eram federalistas e acusados de simpatizantes da monarquia, levando o governo federal a apoiar os chimangos, defensores da centralização política que caracterizava o governo de Floriano Peixoto. 

Resposta da questão 11:
 a) O Estado Novo apropriou-se das manifestações culturais populares para exaltar o nacionalismo e consolidar ideias de uma só cultura e de uma só nação, propiciando, assim, a incorporação social e a valorização dos trabalhadores urbanos, necessários ao processo de industrialização como cidadãos. Utilizando-se do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) Getúlio Vargas,  procurou promover a valorização do trabalho difundindo a imagem do "novo homem" brasileiro, chegando a proibir músicas que exaltassem a malandragem. As letras ufanistas ou que exlatassem o trabalhador brasileiro alcançavam as massas urbanas através do rádio.

b) A crítica latino-americana às intervenções norte-americanas na região ou à política do Big Stick e o interesse norte-americano em estreitar laços com o governo brasileiro, visando à utilização de bases militares no contexto da Segunda Guerra. 

Resposta da questão 12:
 a) Foi a mais significativa manifestação do movimento operário brasileiro durante a Velha República.
b) A repressão se deu através da prisão de líderes operários, da deportação de estrangeiros envolvidos na greve e perseguição à imprensa ligada aos movimentos libertários.
c) A imprensa era usada como um instrumento de conscientização política da classe operária. 

Resposta da questão 13:
 a) O Rio de Janeiro era a capital do país e um importante centro de atividade portuária em razão do volume de produtos de exportação e importação que circulava na cidade.
b) O alargamento e abertura de ruas e avenidas e a destruição de cortiços, o que forçou as populações pobres a se deslocarem para os morros, surgindo daí as favelas.
c) Como capital do país, o Rio de Janeiro tinha de se tornar um autentico cartão-postal do regime republicano sintonizado com a modernidade. Daí a necessidade de se transformar a paisagem da cidade e promover o deleite da burguesia com o que houvesse de mais moderno e semelhante às principais cidades europeias. 

Resposta da questão 14:
 Um dentre os objetivos:
-  transformar a cidade do Rio de Janeiro numa capital europeia
-  implantar novos padrões de vida relacionados ao modelo europeu de civilização
-  destruir as casas coloniais e os cortiços considerados nocivos à imagem de uma cidade
moderna

Uma dentre as consequências:
-  transferência da população do centro para os subúrbios e a ocupação das encostas da cidade
-  destruição das moradias populares provocando a expulsão das populações pobres do centro
da cidade 

Resposta da questão 15:
 No primeiro texto, observa-se a concepção de nação romântica, onde esta é anunciada como produto do patriotismo ufanista e do amor de cada brasileiro ao território onde nasceu.

No segundo, de perfil autoritário, a nação é produto do Estado e é concebida como o todo que relega o indivíduo a um segundo plano, cujo compromisso com a nação deve ser total, incluindo o pensamento e o espírito. 

Resposta da questão 16:
 A Semana de Arte Moderna produziu uma ruptura com a tradição, dando início ao processo de
mudanças culturais e políticas que renovaram as condições da vida nacional.

Um dentre os efeitos:
-  valorização de uma linguagem brasileira
-  reforço da relação entre cultura e nação
-  crítica política ao domínio das oligarquias rurais
-  afirmação de uma cultura essencialmente brasileira
-  intensificação dos estudos sobre o folclore e a cultura popular
-  recepção de tendências modernistas na arquitetura e nas artes 

Resposta da questão 17:
 a) A propaganda foi uma importante chave para a consolidação da figura de Vargas como líder e responsável pelo crescimento do Brasil.

b) A política econômica do Estado Novo teve como características: o planejamento da economia por iniciativa do Estado, o investimento do Estado na indústria de base, o desencadeamento da industrialização brasileira e a criação de órgãos públicos para promover fomento de atividades econômicas: Instituto do Açúcar e do Álcool, Instituto do Chá e do Mate, Conselho Nacional do Petróleo. 

Resposta da questão 18:
 a) A Revolta da Vacina contra a vacinação obrigatória contra a varíola, instituída por Osvaldo Cruz em 1904.

b) A ignorância de boa parte da população quanto aos efeitos da vacina e a insatisfação popular em relação às políticas do governo federal, sobretudo no Rio de Janeiro.

c) A reurbanização e o saneamento da cidade do Rio de Janeiro. 

Resposta da questão 19:
 a) A Segunda Guerra Mundial, sobretudo em sua fase final, em decorrência da integração do Brasil junto aos Aliados (Estados Unidos, Inglaterra e União Soviética).

b) Habilmente, Vargas iniciou contatos com autoridades e empresas alemãs visando a instalação de um parque siderúrgico no Brasil, o que levou os Estados Unidos a conceder empréstimos e técnicos para a construção da CSN, em troca da instalação de bases militares no norte e nordeste.

c) O modelo econômico neoliberal iniciado no Brasil na década de 1990, enfatiza a privatização das estatais, a flexibilização das leis trabalhistas e as facilidades para a entrada do capital externo, contrariando a política econômica nacionalista de Vargas apoiada no controle pelo Estado das indústrias de base com a criação das estatais e as concessões feitas ao trabalhadores através da C.L.T 

Resposta da questão 20:
 a)  A concentração fundiária brasileira -e, em especial, nordestina - fazia com que a esmagadora maioria da população não tivesse acesso à propriedade de terra, tendo de se submeter a relações de trabalho marcadas pela sobre-exploração. Essa população sofria ainda os efeitos das grandes secas que assolaram o sertão nordestino, em parte resultando na falência das culturas tradicionais (algodão e açúcar), provocando uma grave crise econômica.

b) . dificuldades de domínio dos grandes proprietários de terra sobre a mão de obra;
. o rompimento da hierarquia e do controle da Igreja oficial sobre a população local;
. a pregação do beato não se coadunava com a ortodoxia veiculada pela hierarquia eclesiástica;
. Canudos, enquanto um espaço social, negava a ordem instituída, uma vez que exercia um forte poder de atração sobre a massa sertaneja. 

Simulado 2
Questões discursivas com gabarito comentado. República Velha e Era Vargas
1. (Cesgranrio 2011)  As cascas de banana da caricatura, que fariam escorregar e cair os candidatos ao Palácio do Catete, ganharam sua maior expressão com o golpe de 1937, que implantou o Estado Novo. Esse golpe possibilitou, após sete anos, a permanência de Getúlio Vargas no poder, consolidando uma ditadura que somente teve fim em 1945.
Nessa perspectiva,
a) cite duas medidas tomadas pelo governo do Estado Novo, explicando de que forma reforçaram a centralização política do período.
b) relacione as medidas tomadas por Getúlio Vargas para incentivar o desenvolvimento brasileiro à ascensão das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro no cenário nacional.

2. (Ufrj 2011)  Porcentagem de votantes nas eleições presidenciais entre 1894 e 1930

Candidato vencedor      Nº de votantes (em milhares)   % de votantes sobre a população
Prudente de Morais (1894)            345                                                2,2
Campos Sales (1898)                       462                                               2,7
Rodrigues Alves (1902)                  645                                              3,4
Afonso Pena (1906)                        294                                                 1,4
Hermes da Fonseca (1910)           698                                                3,0
Venceslau Brás (1914)                    580                                               2,4
Rodrigues Alves (1918)                390                                                 1,5
Epitácio Pessoa (1919)                 403                                                 1,5
Artur Bernardes (1922)                833                                                 2,9
Washington Luís (1926)                702                                                2,3
Júlio Prestes (1930)                   1890                                                 5,6

Fonte: adaptado de Carvalho, José Murilo de. “Os três povos da República”. In: Carvalho, Maria Alice Resende de (org). República no Catete. Rio de Janeiro: Museu da República, 2001, p. 72.

Os dados eleitorais presentes na tabela indicam uma pequena participação popular nas eleições presidenciais na Primeira República (1890-1930).
Identifique duas restrições impostas pela Constituição de 1891 ao exercício do voto.

3. (Pucrj 2010)  Analise o discurso de Antônio Conselheiro, em Canudos, em 1890:

“(...) a república é o ludibrio [zombaria ou desprezo] da tirania para os fiéis (...) e por mais ignorante que seja o homem, conhece que é impotente o poder humano para acabar com a obra de Deus (...). O presidente da república, porém, movido pela incredulidade que tem atraído sobre ele toda sorte de ilusões, entende que pode governar o Brasil como se fora um monarca legitimamente constituído por Deus; tanta injustiça os católicos contemplam amargurados.”

Prédica “Sobre a república” Apud Jacqueline Hermann. Religião e Política no Alvorecer da República In: O Brasil Republicano. Volume 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006, p. 147-148.

a) INDIQUE a crítica central que o documento apresenta ao governo republicano.
b) IDENTIFIQUE um grupo social e sua principal motivação para se fixar em Canudos.

4. (Puc-rio 2009)  Leia a passagem do discurso proferido por Getúlio Vargas em agradecimento à manifestação popular ocorrida em Porto Alegre em 7 de Janeiro de 1938.

"Hoje, o Governo não tem mais intermediários entre ele e o povo. Não mais mandatários e partidos. Não há mais representantes de interesses partidários. Há sim o povo no seu conjunto e o governo dirigindo-se diretamente a ele, a fim de que, auscultando os interesses coletivos, possa ampará-los e realizá-los [...]".
                (Apud GOMES, Ângela de Castro. A política brasileira em busca de modernidade: na fronteira entre o público e o privado. In: "História da Vida Privada no Brasil". Vol. 4. São Paulo, Companhia das Letras, 1998. p. 511)

a) CITE duas características da Carta Constitucional de 1937.
b) EXPLIQUE como a política do Estado Novo (1937-1945) visava a atender "o povo no seu conjunto", fazendo referência a duas medidas e/ou ações do governo.

5. (Ufrj 2009)  "A consolidação da República liberal (1889-1930) foi completada com a sucessão de Prudente de Morais (1894-1898) por outro paulista, Campos Sales (1898-1902), que em seu governo concebeu um arranjo conhecido como política dos governadores".
                Fonte: Adaptado de FAUSTO, Boris. "História do Brasil". São Paulo: Edusp, 1995, p.258.

Apresente duas características da chamada Política dos Governadores.

6. (Uff 2007)      "O coronelismo é um sistema político, uma complexa rede de relações que vai desde o coronel até o presidente da República, envolvendo compromissos recíprocos. O coronelismo, além disso, é datado historicamente. Na visão de Vitor Nunes Leal ele surge na confluência de um fato político com uma conjuntura econômica. O fato político é o federalismo implantado na República (...) A conjuntura econômica era a decadência econômica dos fazendeiros."
                (Adaptado de CARVALHO, José Murilo de. "Mandonismo, coronelismo e clientelismo: uma discussão conceitual". In: ______. "Pontos e Bordados". Belo Horizonte: UFMG, 1998, p.131-32).

Com base no texto apresentado:
a) indique o período da História do Brasil em que o Coronelismo teve o seu auge;
b) levando-se em conta as transformações políticas verificadas no Brasil, sobretudo após a implantação da ditadura do Estado Novo em 1937, compare os regimes políticos baseados no Coronelismo e no Autoritarismo.

7. (Ufrrj 2007)  "Convênio entre os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, para o fim de valorizar o café, regular o seu comércio, promover o aumento do seu consumo e a criação da Caixa de Conversão, fixando o valor da moeda.
Art. 10. - Durante o prazo que foi conveniente, os Estados contratantes obrigam-se a manter nos mercados nacionais, o preço mínimo de 55 a 65 fr. em ouro, em moeda corrente do país, ao câmbio do dia, por saca de 60 quilos de café (...)."
                ["Documentos Parlamentares. Valorização do Café, tomo I", (1895-1906). RJ: Tipografia do Jornal do Comércio, 1915, p.228.]

O ano de 2006 assinala os cem anos da assinatura do Convênio de Taubaté, marco fundamental das políticas de valorização do café que se reproduziram até o final dos anos 20 do século passado.
a) Explique como seria alcançado o objetivo formulado no art. 10.
b) Aponte as razões que impediram a continuidade das valorizações do café, tal qual se davam, até então, a partir do final dos anos 20.

8. (Puc-rio 2007)  As transformações ocorridas no centro da cidade do Rio de Janeiro, resultantes das reformas urbana e sanitária implementadas pelo Prefeito Pereira Passos, no início do século XX, alteraram a fisionomia da cidade e as vidas de seus habitantes.
a) Cite duas transformações ocorridas, relacionando-as a uma dessas reformas.
b) Identifique e explique uma reação popular à reforma sanitária implementada durante o governo do Prefeito Pereira Passos, na cidade do Rio de Janeiro.

9. (Ufrj 2006)  "A revolta deixou entre os participantes um forte sentimento de auto-estima, indispensável para formar um cidadão. Um repórter de 'A Tribuna' ouviu de um negro acapoeirado frases que atestam esse sentimento. Chamando sintomaticamente o jornalista de cidadão, o negro afirmou que a sublevação se fizera para 'não andarem dizendo que o povo é carneiro'. O importante - acrescentou - era 'mostrar ao governo que ele não põe o pé no pescoço do povo'."
                Fonte: CARVALHO, José Murilo de. "Abaixo a vacina", in: Revista Nossa História. Ano 2, no13, novembro 2004, p.73-79.

A Revolta da Vacina (1904) a que se refere o texto, é considerada a principal revolta popular urbana da Primeira República (1889-1930).
a) Cite e explique dois motivos geradores de insatisfações que levaram a população da cidade do Rio de Janeiro a rebelar-se em 1904.
b) Identifique dois movimentos populares na área rural, à época da Primeira República.

10. (Ufrrj 2006)  "A esperança de um belo dia sagrando uma bela data e uma bela obra desfez-se, infelizmente, o sol não veio, e foi sob um aguaceiro impenitente e odioso, fino e pulverizado a começo, grosso e encharcante depois, que se foi ontem à inauguração da formosa avenida (...)".
                ("O País", 16/11/1905 - "15 de Novembro").

Está completando um século a inauguração festiva da Avenida Central, hoje Rio Branco, no centro da cidade do Rio de Janeiro, obra maior do prefeito Pereira Passos. Para sua construção centenas de imóveis foram derrubados. O conjunto das intervenções urbanas realizadas na época, sob a argumentação da modernização, embelezamento e higienização, dividiu a imprensa e a população durante todo o período do governo do Presidente Rodrigues Alves (1902/1906).

a) Apresente dois argumentos, sendo um contrário e um favorável, utilizados naquele momento em relação às reformas no Rio de Janeiro.
b) Cite a revolta popular ocorrida naquele período contra a ação "higienizadora" das autoridades.

11. (Ufrj 2005)  "Após o advento do Estado Novo, deu-se a consolidação de uma política de massas que vinha se preparando desde o início da década. Constituídos a partir de um golpe de Estado, sem qualquer participação popular, os representantes do poder buscaram legitimação e apoio de setores populares mais amplos da sociedade através da propaganda [...]. Além da busca de apoio, a integração política das massas visava ao seu controle em novas bases."
                Fonte: CAPELATO, Maria Helena. "O Estado Novo: o que trouxe de novo?", in: Ferreira, Jorge (org.). "O Brasil republicano". Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003, vol. 2, p.110.

O Estado Novo correspondeu ao período do Governo Vargas iniciado em 1937, com um golpe de Estado, e encerrado com a deposição do presidente.

a) Identifique duas medidas adotadas pelo Governo Vargas, durante o Estado Novo, que buscavam assegurar a realização dos objetivos mencionados pela autora do texto.
b) Explique um fator ligado à conjuntura internacional que tenha contribuído para o fim do Estado Novo.

12. (Puc-rio 2005)  Em novembro de 1937, o golpe que implantou o "Estado Novo" viabilizou a permanência de Getúlio Vargas no poder.
Em abril de 1964, outro golpe depôs o presidente João Goulart, iniciando um período da história da República no Brasil marcado pela presença de militares no controle do poder executivo federal (1964-1985). A partir de seus conhecimentos a respeito do Estado Novo (1937-1945) e do período dos governos militares (1964-1985),

a) IDENTIFIQUE uma semelhança entre os regimes políticos que vigoraram em cada um daqueles momentos.
b) EXPLIQUE uma diferença entre as ações do governo do Estado Novo e as que foram promovidas pelos governos militares, no que se refere aos direitos dos trabalhadores.

13. (Ufrrj 2004)  A proclamação a seguir é do movimento que, em nome da Aliança Nacional Libertadora, os comunistas deflagraram ao final de 1935 contra o governo Getúlio Vagas (1930/45) e que trouxe consequências que marcaram as décadas seguintes da História do Brasil.

O Rio Grande do Norte, desafrontado dos dias amargos em que viveu tiranizado por um governo forjado na prostituição dos princípios republicanos de outrora, hasteia-se soberbo, (...) abrindo caminho largo no solo abençoado da Pátria à entrada triunfal do Cavaleiro da Esperança - Luiz Carlos Prestes. (...)
A Aliança Nacional Libertadora assegura garantias plenas a todos os cidadãos, sem distinção de credo político ou religioso (...).
                Proclamação dos revoltosos de Natal (RN) em 24 de novembro de 1935, apud: ALVES FILHO, I. "Brasil", 500 anos em documentos. Rio de Janeiro: Mauad, 1999. 2. ed., p. 446.

a) Explique o aparecimento do nome de Luiz Carlos Prestes na proclamação dos revoltosos.
b) Cite uma consequência do fracasso do levante de 1935 para a História brasileira dos anos 30.

14. (Ufrrj 1999)  "Foi em 1930
que à frente da Revolução
Getúlio Vargas assumiu
a Presidência do Brasil.
Era um tempo novo que se abria
o desenvolvimento industrial
as leis trabalhistas ele cria
é a Previdência Social

Era anos de conquista
e de grande agitação pelo poder
de 32 a 37,
aquele estadista
reprimiu os paulistas
comunistas e integralistas.
Mas não há quem esconda
seu valor de idealista,
basta falar em Volta Redonda, (...) "

                               (GOMES, Dias e GULLAR, Ferreira. "Dr. Getúlio: sua vida e sua glória". São Paulo, Civilização Brasileira, 1968. p.10-11.)

a) Indique duas características do governo de Getúlio Vargas, no período entre 1930 e 1937.

b) Explique uma característica do Estado Novo.

15. (Uerj 1999)  "Rio... Uma nova paisagem urbana se descortinava. Cores, luxo e sensações novas se anunciavam e se mesclavam às misérias também trazidas pelo progresso. Tempo de novos afazeres. O Rio de Janeiro se modernizava e clamava por sua inserção no mundo civilizado. Buscando o progresso, a cidade descobria uma nova maneira de ser. Reproduzindo os padrões europeus, a capital federal debruçava-se sobre o mundo dos lazeres e expandia suas possibilidades de buscar o prazer."
                (MENEZES, Lená Medeiros de. OS ESTRANGEIROS E O COMÉRCIO DO PRAZER NAS RUAS DO RIO (1890-1930). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.)

A modernização do Rio de Janeiro, em fins do século XIX e início deste, ocorreu sobretudo por ser a cidade o principal centro político e econômico do país. A partir daí, o progresso esteve sempre relacionado às possibilidades de desenvolvimento nas áreas cultural e de entretenimento. Contudo, nem sempre a busca do progresso e da civilização trouxe benefícios para a população mais pobre do Rio de Janeiro. Atualmente, problemas relativos ao crescimento urbano desordenado e à falência dos serviços públicos vêm dificultando a manutenção da denominação de "cidade maravilhosa".

a) Analise uma consequência negativa, para a população de baixa renda, derivada, da reforma urbanística desenvolvida pelo prefeito Pereira Passos (1903-1906).

b) Recentemente, o Rio de Janeiro não conseguiu o aval do Comitê Olímpico Internacional para sediar as Olimpíadas de 2004, apesar da mobilização de diversos segmentos da mídia, sociedade e governo.
Identifique duas razões relativas aos serviços públicos da cidade que possam ter prejudicado a candidatura do Rio.


Gabarito:

Resposta da questão 1:
 a) Após o golpe de novembro de 1937, Getúlio Vargas determinou o fechamento do Congresso nacional e centralizou as atribuições do Legislativo. O governo proibiu a existência de partidos políticos e passou a exercer a censura sobre os meios de comunicação.

b) Vargas aprofundou a política industrialista, baseada num discurso nacionalista, e nessa época instalou no país a Companhia Siderúrgica Nacional, no Estado do Rio de Janeiro, favorecendo os polos industriais mais próximos. 

Resposta da questão 2:
 O candidato poderá indicar que estavam excluídos do voto: os mendigos; analfabetos; praças de pré, excetuando os alunos das escolas militares de ensino superior; os religiosos de ordens monásticas, sujeitas a voto de obediência, regra ou estatuto, que importasse a renúncia da liberdade individual.

Comentário:

Uma das características mais destacada quanto à limitação ao exercício da cidadania é a exigência de alfabetização. Vale notar a que os “praças” não votavam, ou seja, os soldados que não possuíam patente (a maioria).

Resposta da questão 3:
 a) O candidato deverá mencionar como crítica central do documento a ideia de que a República era um tipo de governo que não respeitava as leis de Deus, representando, assim, a “tirania para os fiéis”. O presidente “movido por sua incredulidade”, realizava uma série de “injustiça aos católicos”, de que são exemplos a instituição do casamento civil e as eleições, que, segundo o Conselheiro, seriam manifestações do Anticristo.

Para Antônio Conselheiro, o legítimo poder emanava da vontade divina, explicando-se, assim, a sua defesa pela volta do regime monárquico no Brasil.

b) O candidato poderá identificar um dos seguintes grupos sociais: sertanejos pobres, ex-escravos e indígenas. A principal motivação que levou essas pessoas a seguirem Antônio Conselheiro e a se fixarem em Canudos era a situação difícil de suas vidas. Uma população pobre, sem terra (em decorrência da injusta situação fundiária do país), desassistida pelo governo. Os moradores de Canudos acreditavam que, após o Juízo Final, viveriam um momento de justiça e prosperidade.

Resposta da questão 4:
 a) O candidato poderá citar que a Carta Constitucional de 1937 era autoritária e centralista; permitia ao presidente governar por meio de decretos-leis e nomear interventores para os estados; extinguiu os partidos políticos, aboliu a liberdade de imprensa, instituiu a censura, estabeleceu o estado de emergência reservando ao governo o direito de invadir domicílios, prender pessoas e aposentar funcionários públicos; proibiu as greves; estabeleceu o princípio da unidade sindical.

b) A política do Estado Novo visou atender "o povo no seu conjunto" uma vez que procurou atender os interesses dos setores industriais com a criação do Conselho Nacional do Petróleo (1938), da Companhia Siderúrgica Nacional (1941) e da Companhia Vale do Rio Doce (1942); os interesses do setor agrícola através da queima das sacas de café, do incentivo à produção de algodão, açúcar, borracha, cacau, pinho, mate; e os interesses dos trabalhadores urbanos por meio da organização de uma Justiça do Trabalho (1939), do estabelecimento de medidas tais como a Lei de Abono Familiar, o programa de construção de vilas operárias, o programa de recreação operária (que incluía atividades culturais e esportistas), e da sistematização e ampliação da legislação trabalhista com a "Consolidação das Leis do Trabalho" (1943).

Resposta da questão 5:
 O candidato deverá apresentar duas das seguintes características da Política dos Governadores:
- o governo central sustentava os grupos dominantes nos Estados, enquanto esses, em troca, apoiavam a política do presidente da República;
- a instituição, na Câmara dos Deputados, da "Comissão de Verificação dos Poderes", instrumento através do qual eram validados os mandatos de deputados federais afinados com os grupos hegemônicos nos Estados e fiéis ao governo federal;
- fortalecimento do poder executivo; limitação da autonomia do poder legislativo e reforço nos poderes regionais e locais.

Resposta da questão 6:
 a) República Velha ou Primeira República.

b) Destacar que o Coronelismo é "datado" porque ele se refere ao extremo federalismo vigente na Primeira República que, com a grande autonomia dos estados, dificultava o contato político direto entre os governantes e a população rural, na medida em que entre eles interpunha-se a figura do coronel. Seria em torno dele que os homens do campo e inúmeros agregados viviam, tomando-o como referência de prestígio, riqueza e proteção, embora fossem trabalhadores por ele explorados. Seria esse conjunto de dependentes - eleitores - que propiciava aos coronéis um instrumento para barganhar com os governos estaduais e federal, uma série de benefícios e benesses que lhe seriam concedidos em troca desse "maço de votos de cabresto", fundamental nas eleições republicanas da República Velha. Essa troca era a essência do chamado "compromisso coronelista" que, por um lado, assegurava ao coronel um poder político não mais compatível com sua situação econômica, que era de decadência. Por outro lado, o coronelismo tornou-se o pilar da política dos Governadores, ao assegurar com os votos de cabresto, a manutenção da própria Descentralização Republicana.
Com a "revolução de 1930" e a subida ao poder de uma aliança de setores agrários contrários à hegemonia dos cafeicultores paulistas, iniciou-se uma reestruturação do regime político brasileiro. Ela se dava no sentido da progressiva CENTRALIZAÇÃO do poder político em torno do Executivo federal, que seria reforçado visando a superar os REGIONALISMOS. A ditadura do Estado Novo foi o coroamento desse processo centralizador. O novo regime lançaria mão de medidas que promovessem a centralização das decisões políticas, a nacionalização da representação sindical das classes trabalhadoras urbanas via sindicalismo corporativista, além de estabelecer um sistema de ensino baseado em valores e princípios válidos para todo o território nacional. Além dessas, outras práticas autoritárias foram efetivadas durante o Estado Novo, como o fechamento do Parlamento, a Polícia Política etc., destinadas a assegurar o reconhecimento, EM NÍVEL NACIONAL, de uma só liderança política, no caso, Getúlio Vargas. Além disso, a expansão dos meios de comunicação, sobretudo o rádio, permitiu o acesso dos ocupantes do governo federal aos trabalhadores do campo ligados aos coronéis, não mais dependendo tão fortemente da intermediação coronelística para sua propaganda. Nesse sentido, enquanto o Coronelismo dava sustentação e respaldo à descentralização federativa na República Velha, o Autoritarismo do Estado Novo, com sua ideologia baseada no culto à Pátria, ao Poder Centralizado e aos valores nacionais, a ele se contrapôs, promovendo, além disso, o fim das barreiras fiscais interestaduais, consolidando o mercado nacional.

Resposta da questão 7:
 a) A contratação de empréstimos no exterior pelos Estados vinculados ao Convênio objetivava financiar a formação do estoque regulador de café.

b) Com a eclosão da grande crise capitalista, no final dos anos 20, não houve mais a possibilidade de se contraírem empréstimos no exterior, o que levou a um enorme acúmulo de café sem compradores, à queda dos preços e à falência de inúmeros cafeicultores.

Resposta da questão 8:
 a) O aluno deverá citar duas entre as seguintes ocorrências: o "bota abaixo" (demolição de velhos casarões e cortiços ); o alargamento das ruas e a consequente construção de avenidas, jardins e novos edifícios; a expulsão da população pobre do centro da cidade e a consequente ocupação dos morros e subúrbios, todas elas relacionadas à reforma urbana implementada durante o governo do prefeito Pereira Passos, nos primeiros anos do século XX. Ou ainda: a "campanha" de extermínio de ratos, transmissores da peste bubônica, obrigando a população a recolher o lixo ; a desinfecção e extermínio dos mosquitos transmissores da febre amarela (criação das brigadas de Mata - Mosquito) a partir da invasão das casas pelos "mata-mosquitos" e policiais, todas elas relacionadas à "reforma sanitária" que consistiu na criação, por parte do governo, de agentes sanitários que vacinavam as pessoas e faziam vistorias nas casas decidindo, inclusive, a demolição dos imóveis que consideravam perigosos à saúde pública, sem indenização aos moradores.

b) A "revolta da vacina", em 1904. O alunio deverá explicar que a reforma sanitária, citada anteriormente, provocou a reação de grande parte da população através dos jornais de oposição que criticavam o governo e que alertavam a população dos perigos da vacinação; dos embates nas ruas entre a população e os policiais ocasionando a derrubada de quiosques, bondes quebrados e incendiados, e a construção de barricadas.

Resposta da questão 9:
 a) Alguns motivos para a insatisfação popular que levou à Revolta: o rígido regulamento aprovado pelo Congresso Nacional destinado a promover a campanha de vacinação para eliminar os focos de varíola que tomavam conta da cidade (obrigatoriedade da vacinação; isolamento à força dos doentes; multa aos refratários, etc.); a falta de amplo esclarecimento público sobre a campanha; a tensão vivida por setores da população com as repercussões da reforma urbana.

b) Canudos e Contestado.

Resposta da questão 10:
 a) Contrário - as reformas tinham caráter elitista, não levando em consideração a situação da população pobre, como, por exemplo, na derrubada de habitações para a abertura de avenidas sem garantia de moradia para os desabrigados. Favorável - o embelezamento da cidade e a erradicação de diversas moléstias que assolavam o Rio de Janeiro.

b) Revolta da vacina.

Resposta da questão 11:
 a) Criação do DIP; adoção da CLT; dissolução do Congresso Nacional; outorga de uma nova Constituição; nomeação de interventores nos estados; fechamento dos partidos políticos; censura aos meios de comunicação; intervenção do poder público na economia e na cultura.

b)  A participação brasileira e a vitória ao lado dos Aliados na 2a Guerra Mundial na luta contra o nazi-fascismo favoreceu a queda do Estado Novo.

Resposta da questão 12:
 a) - a natureza autoritária de ambos regimes políticos;
- o fortalecimento do poder executivo central em detrimento tanto dos poderes legislativo e judiciário quanto do poder executivo dos Estados;
- a restrição às liberdades de manifestação, organização e associação, expressa na censura à imprensa, no controle sindical e na limitação do direito de greve, entre outros;
- o caráter expressamente anticomunista.

b) Durante o Estado Novo foram implementados e difundidos direitos sociais para os trabalhadores urbanos, cuja maior expressão foi a Consolidação das Leis do Trabalho, em 1943. Podemos compreender, em grande parte, essas medidas como um desdobramento das demandas do movimento operário durante a Primeira República e como elemento essencial da política levada a cabo pelo governo, que objetivava, através do reconhecimento de direitos aos trabalhadores urbanos, submetê-los a seu controle e, ao mesmo tempo, angariar seu apoio como forma de legitimação do regime implantado. Após 1964, os governos militares, respondendo à gritante insatisfação dos movimentos sociais rurais (Ligas camponesas, sindicalismo rural, MASTER, entre outros), estenderam os direitos sociais aos trabalhadores rurais.

Resposta da questão 13:
 a) A proclamação de Luís Carlos Prestes, se deve à sua liderança frente a Coluna Prestes, à presidência da ANL (Aliança Nacional Libertadora) e por ter sido um dos articuladores da Intentona Comunista de 1935.

b) Em 1937, utilizando-se do Plano Cohen que atribuía aos comunistas uma eventual tomada de poder, Getúlio Vargas instituiu o Estado Novo.

Resposta da questão 14:
 a) A centralização do poder; a elaboração da constituição de 1934 (onde são incorporados os direitos trabalhistas e o voto feminino); a promoção do desenvolvimento industrial.

b) A implantação da ditadura; a criação do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP); a formação do Ministério do Trabalho e o controle do movimento sindical através da estrutura corporativista; a construção do trabalhismo enquanto modelo de atuação varguista, elevando Getúlio à condição de líder, guia, estadista e "pai dos pobres".

Resposta da questão 15:
 a) Uma dentre as consequências a seguir:
- A população de baixa renda que morava nos cortiços e casas de cômodo no centro da cidade teve suas residências demolidas e foi obrigada a buscar abrigo nos morros da cidade, para manter-se próxima aos locais de trabalho.

b) - a questão da segurança pública, devido ao destaque dado pela imprensa à delinquência infanto-juvenil e aos sequestros
- a falta de estrutura do parque esportivo para a prática de muitos esportes olímpicos


Video sobre República Velha

Era Vargas:
Video resumo


Video Boris Fausto:

Simulado on- line Era Vargas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados