Loading...

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

PUC RJ 2012 - Prova de história com gabarito oficial comentado


PROVAS DO DIA 06/11/2011, das 15h às 19h

PUC - Rio 2012 2o DIA - GRUPO 1 - TARDE


HISTÓRIA

11- Entre 1837 e 1839, o escritor inglês Charles Dickens publicou o romance “Oliver Twist”. Abaixo, estão reproduzidos osprimeiros parágrafos desse texto de Dickens:“Dentre os vários monumentos públicos que enobrecem uma cidade de Inglaterra, cujo nome tenho a prudência de nãodizer, e à qual não quero dar um nome imaginário, um existe comum à maior parte das cidades grandes ou pequenas:é o asilo da mendicidade. Lá em certo dia, cuja data não é necessário indicar, tanto mais que nenhuma importância tem, nasceu o pequeno mortalque dá nome a este livro.Muito tempo depois de ter o cirurgião dos pobres da paróquia introduzido o pequeno Oliver neste vale de lágrimas, aindase duvidava se a pobre criança viveria ou não; se sucumbisse, é mais que provável que estas memórias nunca aparecessem,ou então ocupariam poucas páginas, e deste modo teriam o inapreciável mérito de ser o modelo de biografia maiscurioso e exato que nenhum país em nenhuma época jamais produziu.”
(Charles Dickens, Oliver Twist, Tradução de Machado de Assis e Ricardo Lísias, 1ª. Ed., São Paulo, Hedra, 2002.)

Considerando a passagem acima, assinale a alternativa que indica corretamente as características do período a queDickens se refere.
(A) Crescimento urbano e pobreza que acompanharam o desenvolvimento material da revolução industrial.
(B) Revolução comercial, reforma protestante e surgimento de uma nova ética de trabalho.
(C) Crise econômica do feudalismo e ascensão das idéias científicas do liberalismo.
(D) Espírito regenerador dos valores cristãos praticados pela Contra Reforma na Inglaterra.
(E) Exaltação da classe operária inglesa e suas propensões naturais para o socialismo e a revolução.


12- Fonte: www. radiomocambique.com
A imagem acima é uma caricatura sobre a política imperialista europeia na África no final do século XIX e início do século XX. Nela, Cecil Rhodes, um dos mais conhecidos exploradores do continente, coloca sua botas sobre o mapa da África ao mesmo tempo em que segura uma linha que representa o sonho inglês de construir uma estrada ferro entre oEgito e o sul da África. Usando-a como referência, é INCORRETO fazer a seguinte afirmação sobre o imperialismo:
(A) buscou-se a integração dos mercados coloniais para o desenvolvimento das potências européias.
(B) o continente africano foi ocupado e seus territórios tornados domínios das principais potências.
(C) abandonou-se as ações militares em favor de uma política apoiada no uso da diplomacia internacional.
(D) o colonialismo foi apresentado como “missão” civilizadora e progressista das potências do Ocidente.
(E) os europeus foram exaltados como membros de uma sociedade tecnologicamente e militarmente superior às nações africanas.

13 - A ascensão dos partidos fascistas na Itália (1922) e na Alemanha (1933) apresenta muitas diferenças, mas, ao mesmo tempo, tem aspectos comuns. A esse respeito podemos afirmar:
I - Diversos grupos sociais na Alemanha e na Itália se sentiam ameaçados politicamente após a Primeira Guerra Mundial e também após a revolução na Rússia pela ascensão política dos movimentos da esquerda revolucionária.
II - O discurso sobre a superioridade racial unia italianos e alemães em um mesmo projeto ideológico e constituía uma base sólida de aliança entre o Partido Fascista Italiano e o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães.
III - Após a Primeira Guerra Mundial, crescia entre italianos e alemães, e mesmo em toda a Europa, uma forte descrença na adoção da democracia liberal como o modelo político a ser seguido. Com isso, teorias autoritárias ganharam espaço no cenário político desses países.
IV - A rápida recuperação militar e econômica da Alemanha e da Itália precedeu a ascenção dos partidos fascistas que sustentavam uma plataforma política militarista e expansionista.
São afirmativas corretas:
(A) I, II, III e IV.
(B) I e III, apenas.
(C) III e IV, apenas.
(D) II e IV, apenas.
(E) I e IV, apenas.

14 - Analise as afirmativas abaixo referentes ao Estado Novo (1937-1945) no Brasil.
I - O Estado Novo contou com forte apoio das oligarquias estaduais, da Igreja católica e de setores da esquerda defensores de um estado autoritário, que tomavam o stalinismo soviético como exemplo.
II - O novo modelo de Estado, inaugurado em 1937, foi uma quebra na normalidade constitucional brasileira e se legitimou através de uma nova constituição que tinha um explícito conteúdo autoritário.
III - O Estado Novo foi um período marcado pelo autoritarismo, com intensa propaganda política estatal, controle de informação, proibição de organizações políticas e forte repressão policial.
IV - O Estado Novo se caracterizou por um esfriamento das relações diplomáticas entre Brasil e Estados Unidos e por um alinhamento progressivo com os países fascistas da Europa.
São afirmativas corretas:

(A) I, II, III e IV.
(B) III e IV, apenas.
(C) II e III, apenas.
(D) II e IV, apenas.
(E) I e IV, apenas.

15 - “Eu, El-Rei, faço saber aos que este meu regimento virem, que sendo informado das muitas desordens que há no sertão do pau-brasil, e na conservação dele, de que se tem seguido haver hoje muita falta, cada vez será o dano maior se não se atalhar e der nisso a ordem conveniente (...): mando que nenhuma pessoa possa cortar, nem mandar cortar o dito pau-brasil, por si ou seus escravos, sem expressa licença do provedor-mor da minha Fazenda (...); e quem o contrário fizer incorrerá em pena de morte e confiscação de toda a sua fazenda.”
Felipe III, Regimento do pau-brasil, 1605. 

No contexto da colonização das terras do Brasil, o regimento do rei Felipe III apresenta medidas associadas:

(A) à afirmação do poder da Coroa espanhola, em detrimento dos comerciantes e colonos portugueses.
(B) ao caráter monopolista da extração do pau-brasil, pois era necessária autorização expressa da Coroa para atividade extrativista.
(C) às preocupações da Coroa na preservação da Mata Atlântica, que estava sendo devastada pelos colonos.
(D) à importância do pau-brasil no comércio colonial como principal produto de exportação da América Portuguesa, eminícios do século XVII.
(E) à afirmação da política absolutista dos reinos europeus cerceadora de todas as iniciativas dos colonos nas Américas.

16- No curto período que vai de 1776 ao fim do primeiro quartel do século XIX, surgiram neste lado do Atlântico estados-nação,
em sua maioria repúblicas, mas também monarquias constitucionais.
Assinale a afirmação que NÃO EXEMPLIFICA esse processo.
(A) A independência das 13 colônias inglesas representou a primeira grande quebra no mundo colonial do Antigo Regime, e suas declarações chegaram a inspirar experiências similares entre os colonos hispano-americanos.
(B) O Bloqueio Continental e a ocupação da península ibérica por Napoleão foram o principal estopim para o início da rápida desagregação dos dois maiores impérios atlânticos, o espanhol e o português.
(C) A vinda de D. João VI para o Brasil permitiu uma sobrevida ao Império português. O antigo regime aqui sobreviveria até o final do século XIX, como bem demonstrou a continuação da monarquia e da escravidão.
(D) Os quatro principais vice-reinos da América espanhola fragmentaram-se rapidamente e, após um longo período de guerras internas, chegou-se à metade do século com cerca de 17 novos estados soberanos.
(E) Nem todo o hemisfério escapou do jugo colonial europeu à época. No Caribe, por exemplo, Cuba continuou ligada à Espanha até 1898, e o Domínio do Canadá, criado em 1867, à Confederação das Colônias Britânicas da América do Norte.

17- O período dos governos militares (1964-1985) apresentou, entre outros aspectos, importantes transformações na economia brasileira, das quais o gráfico abaixo é uma das expressões.
Fonte: SEST/SEPLAN In: GOMES, Ângela de Castro. Economia e trabalho no Brasil Republicano. ______ (org.)
A República no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira: CPDOC, 2002, p. 258.
Acerca dessas transformações, NÃO É CORRETO afirmar que:
(A) a despeito da crise mundial, em 1973, o governo investiu na manutenção de altas taxas de crescimento econômico e na expansão dos investimentos estatais.
(B) o modelo de desenvolvimento econômico pós-64 caracterizou-se pelo forte investimento do Estado em empresas de bens de produção e infra-estrutura e pelo grande fluxo de capitais estrangeiros.
(C) o segundo choque mundial do petróleo, no governo do general Figueiredo (1979-1985), e as medidas recessivas subsequentes frearam os investimentos públicos, principalmente após 1982.
(D) nos anos do chamado “Milagre Econômico Brasileiro” (1968-1973) e nos do governo Geisel (1974-1979), quando foi proposto o II PND, ampliou-se o número de estatais, de forma sem precedentes na história brasileira. 
(E) os investimentos vultosos nas empresas públicas só foram possíveis depois da deposição do presidente João Goulart, em 1964, e a consequente derrota dos setores favoráveis à privatização da economia brasileira.

18- Do século XV ao XIX, uma enorme quantidade de africanos foi alocada pelo tráfico negreiro nos territórios americanos que se encontravam sob o controle dos impérios europeus. Por causa dessa imigração forçada, cerca de 400 mil cativos foram enviados para as colônias da América inglesa, 1,6 milhão para a América espanhola e 3,6 milhões para a América portuguesa. Levando-se em conta a intermitente ação do contrabando, chega-se a um total de 10 milhões de pessoas. Sabe-se, entretanto, que a escravatura sobreviveu ao mundo colonial e ajustou-se às formas de governo que, com a independência, dois Estados americanos politicamente soberanos – Estados Unidos e Brasil – adotaram para si.
Analise as afirmativas abaixo que relacionam escravidão e estado-nação independente.
I - Embora a República norte-americana, por princípio, pregasse a ampliação da igualdade política, modifi cações sutis feitas na Carta Constitucional de 1787 expressaram os arranjos políticos entre os estados escravistas e os estados livres.
II - No Brasil, a escravidão foi defendida apenas pelos cafeicultores fl uminenses e mineiros, mas o poder de ambos junto ao Imperador mostrou-se sufi ciente para mantê-la até o fi nal do Segundo Reinado.
III - Ordem monárquica ou ordem republicana importaram pouco para os escravos naquelas sociedades e para os libertos, que continuaram sendo segregados pela cor e tiveram sua mobilidade social igualmente difi cultada.
IV - A aceitação da existência de “diferentes condições de gente” pela Monarquia brasileira e a manutenção de privilégios para alguns cidadãos, contribuiram para tornar a escravidão fenômeno naturalizado aos olhos de muitos contemporâneos. 

São afirmativas corretas:
(A) I, II, III e IV.
(B) III e IV, apenas.
(C) I e III, apenas.
(D) II e IV, apenas.
(E) I e IV, apenas.

19- Gamal Abdel Nasser foi um militar egípcio que liderou um grupo político denominado Movimento dos Oficiais Livres que, em 1952, derrubou o rei Faruk I e, no ano seguinte, assumiu o governo do país. Governou de 1953 a 1970, quando morreu. Suas políticas externa e interna foram um divisor de águas para o Oriente Médio e para todas as nações árabes.

Assinale a opção que apresenta as principais características do governo Nasser.
(A) Orientação nacionalista, militarismo, pan-arabismo e alinhamento com os países do 3o Mundo.
(B) Estado democrático, desenvolvimentismo agrário e alinhamento à política externa americana.
(C) Pan-arabismo, anticomunismo e internacionalismo.
(D) Alinhamento à política externa soviética, proibição de partidos religiosos e apoio a Israel.
(E) Estado democrático, desenvolvimentismo nacionalista e pan-arabismo.

20- Sobre a importância e o significado políticos da queda do Muro de Berlim (nov/1989), assinale a afirmativa CORRETA:
(A) A queda do Muro significou a extensão do socialismo para Berlim ocidental.
(B) A queda do Muro foi o primeiro momento no processo de unificação da Europa.
(C) A queda do Muro ampliou o turismo na Alemanha Oriental.
(D) A queda do Muro deu início ao processo de reunificação da Alemanha.
(E) A crise política provocada pela queda do Muro quase levou as duas Alemanha à guerra.







Gabarito comentado

11) Resposta:
(A) Crescimento urbano e pobreza que acompanharam o desenvolvimento material da
revolução industrial.

B) Incorreta. A Revolução comercial é um processo que antecede o período tratado no texto, além disso o
extrato da obra Oliver Twist que foi selecionado não trata de aspectos ligados ao comércio.
C) Incorreta. A Inglaterra do século XIX não estava passando pela crise econômica do feudalismo.
D) Incorreta. No século XIX, a Igreja Anglicana não estava passando por uma crise religiosa relacionada a
Contra Reforma.
E) Incorreta. O texto não faz referências ao socialismo ou a movimentos revolucionários.
A opção correta é aquela que relaciona crescimento urbano e pobreza com o desenvolvimento material da
revolução industrial. Portanto a opção A está correta.


12) Resposta: (C) abandonou-se as ações militares em favor de uma política apoiada no uso da diplomacia internacional.

Alternativa a ser marcada é a C. Pois é a única que está incorreta, uma vez que o imperialismo europeu na
África no final do século XIX manteve presente no continente uma política de controle militar e não optou
por uma política calcada na diplomacia. As tropas coloniais tiveram, nesse período, um papel importante na
consolidação dos sistemas coloniais das principais potências européias.


13) Resposta: (B) I e III, apenas.

A afirmativa II está errada, pois as políticas racialistas, muito presentes na Alemanha, não tiveram a mesma
repercussão na Itália e não foi a base da aliança entre os partidos fascistas dos dois países.
A afirmativa IV está errada, pois a recuperação econômica da Alemanha e Itália, após a Primeira Grande
Guerra, não foi rápida e passou por uma série significativa de problemas. Podemos citar a crise de 1929 e a
hiperinflação alemã como algumas das muitas dificuldades econômicas vividas pelas economias desses
países. A plataforma militarista e expansionista é, antes, uma resposta às crises do que seu resultado.

14) Resposta: (C) II e III, apenas.

A afirmativa I está errada, pois o Estado Novo não contou com o apoio político da esquerda brasileira.
A afirmativa IV está errada, uma vez que a política externa brasileira, após 1937, não tomou nenhuma
posição imediata de alinhamento ideológico e quando o fez (com a entrada na guerra em 1942) foi em
função de uma aproximação com o governo norte-americano.

15) Resposta: (B) ao caráter monopolista da extração do pau-brasil, pois era necessária autorização expressa da Coroa para atividade extrativista.

A) Incorreta. A União Ibérica não se constituiu em detrimento dos comerciantes e colonos portugueses, que
continuaram com seus privilégios nas terras americanas.
C) Incorreta. Não havia preocupações ecológicas com a preservação da Mata Atlântica.
D) Incorreta. No início do século XIX, o principal produto de exportação da América Portuguesa era o
açúcar.
E) Incorreta. O rei está reafirmando o monopólio real da exploração do pau-brasil. O controle dessa
atividade deve se coadunar com a iniciativa dos colonos.


16) Resposta: (C) A vinda de D. João VI para o Brasil permitiu uma sobrevida ao Império português.
O antigo regime aqui sobreviveria até o final do século XIX, como bem demonstrou a continuação da
monarquia e da escravidão.
O Antigo regime não sobrevive até o final do século XIX. A independência (1822) e a criação de uma
monarquia constitucional (1824) inauguram o processo de formação de um estado nação moderno entre
nós. A manutenção da escravidão até o século XIX foi um fato que marcou inclusive a primeira república
moderna – os Estados Unidos da América, de 1776 a 1865, só desaparecendo de vez com o fim da Guerra
Civil.
Todas as demais alternativas contêm afirmações corretas.


17) Resposta: (E)
 os investimentos vultosos nas empresas públicas só foram possíveis depois da
deposição do presidente João Goulart, em 1964, e a consequente derrota dos setores favoráveis à privatização da economia brasileira.
A afirmativa da alternativa E está incorreta. A deposição de João Goulart não se relaciona à derrota de setores favoráveis à privatização.

18) Resposta: (E) I e IV, apenas.

I – A ampliação da igualdade política se aplicava aos homens livres, não aos escravos. A difícil convivência
entre os estados escravistas do Sul e os estados não-escravistas do Norte foi negociada desde o início por
meio de cláusulas especiais na Constituição de 1787 (por exemplo, a famosa Cláusula dos “Três Quintos”,
que fazia com que cada escravo do Sul valesse apenas “3/5 de um homem branco livre”, na hora da contagem da população dos Estados sulinos para a representação de cada um deles no Congresso)
II – A escravidão não esteve associada apenas aos fluminenses e mineiros e tampouco apenas à cafeicultura ao longo do século XIX.
III – Escravos e libertos, estes últimos segregados pela cor em ambas as sociedades mencionadas, tinham
condições de vida diferenciadas e expectativas de mobilidade social distintas numa monarquia (que partia
do princípio de que as diferentes condições de gente eram algo natural – a existência de nobres e plebeus,
por exemplo) e numa república (que tomava como princípio exatamente o fim dessa distinção e a aceitação
uma igualdade nesse plano – todos nascem com direitos iguais) .
IV – Corroborando o dito na explicação acima, é correto, pois, pensar que a aceitação da desigualdade natural como justificativa de privilégios pelo regime monárquico brasileiro contribuiu para a maior tolerância com a escravidão e a sua permanência entre nós até o final do século XIX.

19) Resposta: (A) Orientação nacionalista, militarismo, pan-arabismo e alinhamento com os países do 3o Mundo.

A opção B está errada. O governo Nasser não procurou um alinhamento à política externa norte-americana. A opção C está errada, pois o nacionalismo pan-arabista de Nasser não se adéqua a uma política externa de integração de tendência internacionalista.
A opção D está errada. O Egito nasserista não ofereceu apoio ao Estado de Israel.
A opção E está errada. O estado egípcio, sob o governo Nasser, não pode ser considerado um Estado democrático, uma vez que práticas de censura e repressão foram levadas a termo pelo Estado nesse período.

20) Resposta: (D) A queda do Muro deu início ao processo de reunificação da Alemanha.
A opção A está errada. A Queda do Muro foi o momento de crise do socialismo soviético e não de sua expansão para Berlim Ocidental
A opção B está errada. A queda do Muro e a unificação da Europa são processos distintos, assim sendo, mesmo que importante para a história recente do continente europeu, o fim do muro de Berlim não determinou o início do processo de unificação da Europa.
A opção C está errada. A queda do Muro ampliou o fluxo de pessoas na direção de Berlim ocidental. A curiosidade turística e, também pela sociedade de consumo, era muito maior na empobrecida Alemanha oriental do que na abundante sociedade da Alemanha ocidental.
A opção E está errada. A queda do Muro não gerou uma crise militar entre as duas Alemanha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados