Google+ Followers

quinta-feira, 28 de março de 2013

Questões discusivas com gabarito comentado - America Latina e Imperialismo










1. (Fgvrj)  “(...) Com somente poucas exceções, as nações da África atual foram sucessoras das colônias africanas que as precederam. Suas fronteiras eram as fronteiras coloniais, definidas nas décadas de 1880 e 1890. Suas capitais eram as capitais coloniais, a partir das quais foram irradiadas as infraestruturas de estradas e ferrovias, correios e telecomunicações. Todas conservaram, em maior ou menor grau, as línguas dos colonizadores como línguas de comunicação mais ampla. Todas seguiram basicamente os sistemas ocidentais de educação. Sua administração seguiu as trilhas deixadas pela administração colonial (...). O primeiro grande teste para a África independente centrou-se na questão da estabilidade das fronteiras, e o aspecto que rapidamente ficou claro a esse respeito foi que não havia futuro para uma concepção pan-africana de Estados Unidos da África ou para as federações ou quase federações criadas pelas potências colonizadoras (...).”

OLIVIER, Roland. A experiência africana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994, p. 254.

No trecho acima, o historiador Roland Olivier aponta alguns dos problemas com os quais as novas nações africanas independentes se defrontaram.
a) A definição das fronteiras nacionais africanas foi estabelecida a partir das especificidades étnico-linguísticas existentes antes da penetração europeia? Justifique.
b) O texto refere-se à existência de uma concepção pan-africana de Estados Unidos da África. Aponte o pressuposto básico do pan-africanismo.


Resposta:

a) Não, o interesse era a obtenção de privilégios econômicos para os Estados capitalistas monopolistas que pretendiam aumentar a exploração de matérias-primas elaboradas e escoar seu capital excedente em investimentos de retorno de curto prazo, como eram as áreas africanas divididas entre países europeus. A cultura étnica-linguística não foi considerada.
b) Esta seria a proposta de preservação de uma multiplicidade de culturas africanas e do fortalecimento político para enfrentamento das pressões do imperialismo europeu.



  
2. (Ufrj)  “As potências europeias tinham podido intervir na África e reparti-la em conformidade com suas ideias próprias de equilíbrio de poder, porque nem os Estados Unidos nem a Rússia estavam diretamente envolvidos nas questões políticas africanas. [...] No Extremo- Oriente, não eram só as potências europeias que, como na África, davam as cartas.”

Fonte: Barraclough, Geoffrey. Introdução à história contemporânea. São Paulo: Circulo do Livro, 1975, p. 96

No que se refere ao Extremo-Oriente da passagem do século XIX para o século XX, o equilíbrio de poder também resultava da atuação de Estados Nacionais não europeus.
Identifique dois desses Estados Nacionais não europeus.


Resposta:

O candidato deverá identificar os EUA e Japão como Estados não-europeus que participaram do jogo de poder no Extremo-Oriente.

Comentário:

O Japão, após a Revolução Meiji, desenvolveu uma política expansionista, destacando a ocupação da Mandchúria e Coreia; e os Estados Unidos, que dominaram as Filipinas e outras ilhas no Pacífico.



  
3. (Puc-rio)  "... A natureza distribuiu desigualmente no planeta os depósitos e a abundância de suas matérias-primas; enquanto localizou o gênero inventivo das raças brancas e a ciência da utilização das riquezas naturais nesta extremidade continental que é a Europa, concentrou os mais vastos depósitos dessas matérias-primas nas Áfricas, Ásias tropicais, Oceanias equatoriais, para onde as necessidades de viver e de criar lançariam o clã dos países civilizados. Estas imensas extensões incultas, de onde poderiam ser tiradas tantas riquezas, deveriam ser deixadas virgens, abandonadas à ignorância ou à incapacidade?                  (...) A humanidade total deve poder usufruir da riqueza total espalhada pelo planeta. Esta riqueza é o tesouro da humanidade ... "
            (SARRAUT, A. "Grandeur et Servitude Coloniales". Paris, 1931, pp.18 e 19)

O documento acima se refere à "Era do Imperialismo", ocorrida no final do século XIX e início do século XX, quando os países capitalistas conseguiram dominar a África e grande parte da Ásia.
A partir do texto acima e de seus conhecimentos a respeito do assunto:
a) INDIQUE a ideia central que o documento apresenta como justificativa para o Imperialismo europeu.
b) INDIQUE uma característica comum ao imperialismo dos países europeus na África na Ásia e ao imperialismo inglês e norte-americano na América Latina, ao longo do século XIX.


Resposta:

a) O documento apresenta como justificativa para o Imperialismo europeu a desigual distribuição das riquezas e matérias primas no mundo, concentradas na África, Ásia e Oceania, áreas habitadas por "raças incultas, ignorantes e incapazes" de usufruir destas riquezas; e a escassez destes produtos na Europa, habitada pela raça branca, superior pela sua maior capacidade intelectual, inventividade e domínio científico, que a capacitariam para o melhor usufruto destas riquezas. Como estas riquezas são vistas como domínio de toda humanidade, o texto defende, então, o direito ao usufruto comum das mesmas.

b) O candidato poderá identificar uma entre as seguintes características: as inovações técnicas e econômicas (aço, eletricidade e petróleo) ocorridas em meados do século XIX causaram um grande crescimento da produção industrial, gerando enormes lucros, caracterizando a chamada Segunda Revolução Industrial, quando ocorre a passagem do capitalismo liberal e industrial para o capitalismo monopolista e financeiro; as atividades produtivas e comerciais foram submetidas às instituições financeiras através de empréstimos e financiamentos, ou ainda do controle acionário; a busca de áreas para aplicação de capital excedente na forma de investimentos e empréstimos; a necessidade de mercados consumidores para os produtos industrializados; a necessidade de mercados produtores de matérias primas (inclusive fontes de energia); disputa entre as grandes potências, que buscaram nos novos domínios coloniais garantir o aumento de seus lucros e encontrar uma saída segura para seus excedentes de produção; busca de áreas para colocação de população excedente; obtenção de bases estratégicas visando à segurança do comércio nacional; a ideia de que as nações colonizadoras eram portadoras de uma "missão civilizadora, humanitária, filantrópica e cultural", capaz de "levar a civilização" às áreas consideradas bárbaras; esta "missão civilizadora" era considerada o "fardo do homem branco"; influência do Darwinismo Social.



  
4. (Uerj)  O Pan-americanismo em Jogo

Maior evento esportivo das Américas, os Jogos do Pan simbolizam um ideal de integração desde
o século XIX.
            Adaptado de "Revista de História da Biblioteca Nacional". N0. 22, 2007

Entre o sonho de cooperação continental formulado por Simon Bolívar e expresso no Congresso do Panamá em 1826 e a reunião da 3a Conferência Pan-americana no Rio de Janeiro em 1906, o significado de pan-americanismo e a posição brasileira em relação ao mesmo modificaram-se em função de diferentes conjunturas históricas. Estabeleça uma diferença entre o contexto continental em que ocorreram o Congresso do Panamá e a 3a Conferência Pan-americana. Estabeleça, ainda, uma diferença na posição do governo brasileiro em relação a essas duas reuniões.


Resposta:

Uma das diferenças no contexto continental:
- No período do Congresso do Panamá havia o temor de uma intervenção da Santa Aliança; durante 3a Conferência Pan-Americana, o temor relacionava-se a possibilidade de intervenção pelos EUA ("Big Stick").
- No período do Congresso do Panamá havia a perspectiva da formação de uma confederação dos Estados Hispano-Americanos; no contexto da 3a Conferência Pan-Americana, esta possibilidade tornava-se cada vez mais remota (separação politica do Panamá em relação a Colombia).
- Durante o Congresso do Panamá houve uma participação mais significativa de lideranças hispano-americanas; ja na 3a Conferência Pan-Americana, evidenciavam-se os interesses dos EUA

Uma das diferenças na posição do governo brasileiro:
- No Congresso do Panamá, o governo imperial não enviou representantes; ja a 3a Conferência Pan-Americana teve como sede o Brasil.
- Durante o Congresso do Panamá, o governo imperial temia críticas quanto a sua política externa no Prata; já durante a 3a Conferência Pan-Americana, o governo republicano brasileiro busca papel de liderança entre os países sul-americanos.
- Durante o Congresso do Panamá, o Brasil demonstrava um relativo desinteresse quanto a questão da integração continental. A situação se modifica, no periodo da 3a Conferência Pan-Americana, por conta da alternância na política externa brasileira: Europa  Estados Unidos.



  
5. (Ueg)  Atualmente, diversos governos da América do Sul procuram se identificar com os ideais de Simón Bolívar. Identifique os principais aspectos do projeto político de Bolívar para as colônias da América Espanhola.


Resposta:

O projeto de Simón Bolívar para a América Espanhola visava à independência política das colônias sob o domínio espanhol. Tal independência seria acompanhada da unificação política com o objetivo de formar uma poderosa nação, forte o bastante para comandar politicamente o continente, sem sofrer influência da Europa e dos Estado Unidos. Tal projeto possuía um caráter elitista, uma vez que atendia aos interesses sociais da elite criolla, sem procurar incluir eficazmente os indígenas e mestiços. O plano fracassou, sobretudo devido às disputas de poder entre os líderes locais e pela hostilidade da Inglaterra que não desejava o surgimento de uma potência econômica rival na América do Sul.



  
6. (Ufmg)  Na primeira metade do século XX, nas suas relações com a América Latina, os Estados Unidos implementaram, em diferentes contextos, políticas diversas: o "Big Stick" e a Política da Boa Vizinhança.

1. EXPLICITE duas características de cada uma dessas doutrinas.
a) "Big Stick"
b) Política da Boa Vizinhança
2. ANALISE o contexto em que cada uma dessas doutrinas foi implementada.
a) "Big Stick"
b) Política da Boa Vizinhança


Resposta:

1.
a) A Política do Big Stick, formulada pelo presidente norte-americano Theodore Roosevelt no início do século XX, em relação à política dos Estados Unidos no continente americano, serviu de justificativa para diversas intervenções militares na América Latina sob a alegação de que houvesse "ordem" no continente, e tinha como finalidade a defesa dos interesses de empresas e bancos norte-americanos nos países onde houve intervenções.
b) Implementada pelo presidente Franklin Roosevelt, a Política da Boa Vizinhança caracterizou-se pela substituição das intervenções militares por uma política de aproximação dos Estados Unidos com os países latino-americanos. Tal aproximação se daria pela ajuda à industrialização e pelo do intercâmbio cultural.

2.
a) A política do Big Stick pode ser situada na política imperialista dos Estados Unidos no século XIX em relação à América Latina como continuidade da Doutrina Monroe, a qual especificava que os Estados Unidos da América deveriam assumir o papel de polícia internacional no hemisfério ocidental.
b) Num cenário de recuperação econômica posterior à Grande Depressão e que antecedia a Segunda Guerra Mundial, a Política da Boa Vizinhança buscava construir uma imagem positiva dos Estados Unidos junto aos governos da América Latina, uma vez que rancores devido às constantes intervenções militares e a  aproximação do regime nazista junto a governos latino-americanos, representavam ameaças à expansão do capital norte-americano no continente.



  
7. (Ufscar)  Todas essas belezas democráticas, todas essas grandes palavras com que nossos avós e nossos pais se deleitaram perderam seu poder mágico de atração e sua significação para o povo. Ele já percebeu que com eleições ou sem eleições, com sufrágio universal ou sem ele, com ditadura porfiriana ou com democracia maderista, com imprensa amordaçada ou com libertinagem de imprensa, sempre e de todas as formas, ele continua ruminando suas amarguras, sofrendo misérias, engolindo humilhações infindáveis; por isso teme, com razão que, os libertadores de hoje tornem-se iguais aos caudilhos de ontem que na cidade de Juarez abdicaram de seu belo radicalismo e no Palácio Nacional lançaram ao esquecimento suas sedutoras promessas.
            (Trecho de um manifesto zapatistas de agosto de 1914.)

a) Localize o contexto histórico em que se insere esse manifesto.
b) Identifique no documento a principal razão para a crítica que iguala, naquele contexto histórico, a ditadura e a democracia.


Resposta:

a) Revolução Mexicana.

b) De cordo com o documento, tanto na ditadura quanto na democracia não são levados em conta os interesses das camadas populares.



  
8. (Unicamp)  Com o fim da Guerra Hispano-Americana, a condição da retirada militar americana de Cuba foi a aprovação da Emenda Platt, uma emenda à Constituição cubana que determinou as relações cubano-americanas de 1901 a 1934.

a) Qual era o conteúdo da Emenda Platt?

b) Qual era a política norte-americana para a América Latina que estava evidenciada na Emenda Platt?

c) Como a Revolução Cubana de 1959 contestou a política norte-americana do pós-guerra para a América Latina?


Resposta:

a) A Emenda Platt, incluída na Constituição cubana de 1901, instituía o direito de intervenção militar dos Estados Unidos na Ilha.

b) A política do Big Stick (o Grande Porrete) do presidente Theodore Roosevelt que justificava as intervenções militares dos Estados Unidos na América Latina.

c) Ao depor Fulgêncio Batista, os revolucionários nacionalizaram as empresas norte-americanas e realizaram uma reforma agrária.



  
9. (Fuvest)  Quais as relações entre a criação do Estado do Panamá, a construção do Canal (1904-1914) e os interesses dos Estados Unidos?


Resposta:

No contexto da política do Big Stick do presidente norte-americano Theodore Roosevelt (1901-1909) em relação à América Latina, aliado ao interesse na construção do canal interoceânico para facilitar o acesso à costa Oeste dos Estados Unidos, foi incitada a independência do Panamá em relação à Colômbia o que facilitou o intervencionismo norte-americano que facilitou a construção e controle do canal a partir de 1914, quando foi concluída a obra.



  
10. (Uerj)  Uma comparação superficial entre as sociedades ibéricas e ibero-americanas por volta de 1700 sugere que os ibéricos haviam logrado reproduzir no México, no altiplano andino e ao longo das costas brasileiras, uma réplica (pelo menos um simulacro) de suas próprias sociedades.
                        (STANLEY, J. S. e STEIN, B. A Herança Colonial na América Latina. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979.)

a) Cite duas características da sociedade colonial da América portuguesa.
b) Estabeleça uma diferença quanto à participação política dos "chapetones" e "criollos" nas colônias espanholas da América.


Resposta:

a) . sociedade aristocrática e patriarcal;
. utilização do trabalho forçado: escravidão negra e/ou indígena;
. predominantemente marcada pela presença de grandes proprietários de terra, comerciantes e escravos;
. predomínio dos grandes proprietários ("homens bons") nas Câmaras Municipais;
. caráter, em larga medida, ainda sacralizado;
. tensões latentes entre colonizadores e colonos e os temores de ambos em relação a possíveis revoltas dos colonizados.

b) Aos chapetones, brancos nascidos no Reino, era permitido o acesso aos mais importantes cargos administrativos, militares e eclesiásticos coloniais. Aos criollos, embora constituíssem as aristocracias regionais no universo colonial, não lhes eram permitidos tais cargos. Tinham sua participação política restrita quase exclusivamente aos cabildos. 

Link para questões de outras disciplinas: http://praticandoalinguaportuguesananet.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados