Google+ Followers

Oriente Médio e Palestina

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Jânio Quadros: Vassoura, Economia e Política Externa




A importância de um governo não pode ser mensurada, apenas, pela sua brevidade. O breve governo de #JânioQuadros não se resume a proibição dos biquínis em desfiles, ou da proibição do uso de lança perfume nos bailes de carnaval. Sua #políticaexterna foi um de seus principais legados, mas também é importante entendermos como ele percebia a #economia brasileira, bem como conhecermos as principais medidas de sua #política econômica. Nesse vídeo de onze minutos, você vai conhecer um pouco melhor o governo desse presidente que não conseguiu governar por mais de oito meses, mesmo tendo sido o candidato mais votado nas eleições presidenciais de nossa República até então.

obs: Não deixe de enfrentar o desafio que eu inseri no final do vídeo.
Bons estudos!!!

Professor Arão Alves

https://youtu.be/E97Ag5bXWaY






domingo, 18 de dezembro de 2016

Bretton Woods e o Sistema financeiro mundial no século XX



Bretton Woods foi uma das mais importantes conferências do século XX, Assunto indispensável para entendermos o sistema financeiro internacional no século passado. Nessa conferência defrontaram-se diferentes projetos teóricos representados por dois expoentes da economia de dois importantes líderes mundiais na primeira metade do século XX. De um lado o Reino Unido e do outro os Estados Unidos. #brettonwoods
https://www.youtube.com/watch?v=NCqpP5Gxads






sábado, 10 de dezembro de 2016

Guerra fria, Détente e a política externa americana na década de 1970



A guerra Fria, durante a Dètente, caracterizou-se como um período de cooperação entre rivais. Ao logo da década de 1970, os indícios apontavam para determinado desfecho do conflito, com a vitória de um dos dois principais atores. Qual seria esse desfecho? Quais eram os indícios que orientavam essa percepção?
Obs: não deixe de comentar acerca da inovação que introduzi no final do vídeo.




segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

PUC SP - Geografia 2016 - questão comentada



1.   Leia e observe a imagem:

"Uma forma extrema de intervenção humana no ciclo hidrológico é a introdução de água 'nova' no sistema. Até agora, essa água 'nova' encontra-se em quantidade insignificante, mas, no futuro, e principalmente nas regiões semiáridas, a água doce 'artificial' talvez afete o funcionamento do ciclo hidrológico."

(David Drew. Processos Interativos Homem-Meio Ambiente. R. de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. p. 121)



Tendo em vista a ideia de intervenção humana no ciclo hidrológico, é correto dizer que
a) um dos métodos, em franco crescimento no mundo, de introdução de água doce "nova" em ambientes áridos e semiáridos é a dessalinização da água dos oceanos.   
b) no Brasil são tímidos e de muito pequeno porte os programas que objetivam levar água 'nova' para o semiárido nordestino, o que explica o fracasso dos mesmos.   
c) não se enxergam no futuro possibilidades tecnológicas eficientes de "produção" de água doce, passível ser transferida para regiões carentes desse recurso.   
d) o processo de introdução mais eficiente e generalizado de água 'nova' nas regiões semiáridas é o bombardeio de nuvens, o que modifica o ciclo hidrológico natural.   


Resposta:

[A]

A alternativa [A] está correta porque a utilização da água dessalinizada tem sido utilizada como uma forma de compensar o deficit hídrico das regiões mais áridas. Estão incorretas as alternativas: [B], porque a Transposição do rio São Francisco é uma das práticas adotadas para atender a demanda hídrica no semiárido; [C], porque a dessalinização é uma prática que produz água doce nova; [D], porque o processo mais eficiente e generalizado de água doce nova no semiárido é o da irrigação.



  
2.   Veja o gráfico:



Tendo em vista a evolução histórica da relação habitantes por veículo na cidade de São Paulo e considerando as outras metrópoles brasileiras, é acertado dizer que
a) a automobilização de São Paulo é um elemento chave de sua mobilidade urbana, algo comprovado por um número de habitantes por veículo menos elevado do que em muitas cidades de países mais ricos.   
b) essa automobilização de São Paulo é muito específica em comparação com as outras metrópoles brasileiras, que, em razão de dificuldades econômicas, possuem índices desprezíveis de automobilização.   
c) a diminuição do número de habitantes por veículo, como mostra o gráfico, foi uma evolução constante, produto do desenvolvimento econômico do país e da cidade e também do aumento da igualdade econômica.   
d) São Paulo, apesar de seus problemas, exemplifica a possibilidade eficiente de usar o automóvel como modal relevante na mobilidade urbana e sua harmonia com o transporte coletivo nas ruas da cidade.   


Resposta:

[A]

A alternativa [A] está correta porque a mobilidade de São Paulo foi construída a partir do veiculo motorizado individual, fato comprovado pela evolução na relação habitantes  veículos. As alternativas incorretas são: [B], porque a automobilização é característica das cidades brasileiras; [C], porque a evolução não foi constante e ocorreu aumento do poder de compra, não da igualdade econômica; [D], porque não há eficiência na mobilidade de São Paulo e o veiculo automotor individual não está harmonizado com o coletivo.



  
3.   "O tempo vem desgastando lentamente a paisagem das terras planas do interior de Minas Gerais e São Paulo. O planalto que abriga a bacia do São Francisco, rio que nasce no sudoeste de Minas Gerais e corre em direção ao nordeste até Pernambuco, está paulatinamente encolhendo pelo recuo das escarpas que formam sua borda. No último  milhão de anos, esse planalto perdeu área para uma região vizinha situada a altitudes menores, onde se assenta a bacia do rio Doce."

(Salvador Nogueira. A dança das bacias. São Paulo: Pesquisa Fapesp, Janeiro de 2013. p. 51)


Canal dedicado às provas da UERJ: https://www.youtube.com/channel/UC23whF6cXzlap-O76f1uyOw/videos


A transformação notada pode ser explicada como resultante
a) do movimento de oscilação da placa tectônica sul-americana, que na escala de tempo da natureza sofre eventuais soerguimentos.   
b) de um processo erosivo acelerado produzido pelo aumento do volume das águas da bacia do Rio S. Francisco, em consequência de mudanças climáticas na região.   
c) de um processo de erosão ou denudação muito lento ou, melhor dizendo, dentro de uma temporalidade que é a da natureza, cuja escala torna o tempo humano irrisório.   
d) do desmatamento realizado pelo ser humano nos vales da bacia do Rio S. Francisco que facilitou a aceleração do processo de denudação.   


Resposta:

[C]


A alternativa [C] está correta porque o desgaste que causa o recuo das escarpas define-se como um processo erosivo cuja escala de tempo é diferente da humana. As alternativas incorretas são: [A], porque o texto não descreve movimentos tectônicos; [B] e [D], porque a erosão não é resultante de alterações climáticas ou desmatamento. 



sábado, 3 de dezembro de 2016

Era Vargas e a Política Externa Brasileira: entre os EUA e a Alemanha



Durante a Era Vargas, a Política externa brasileira foi pautada por boa dose de pragmatismo. Em mundo polarizado, o Brasil não era diferente. Diferentes ideologias tentavam reproduzir no país suas convicções e certezas. Como nossos interesses comerciais conciliavam convicções ideológicas com nossa balança comercial? Esse pequeno vídeo procura esclarecer essas questões.

https://youtu.be/BCyAGtLyN6Q

Bons estudos,

Professor Arão Alves






HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados