Google+ Followers

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Questões discursivas atuais ( 2014) com comentários



1. (Unicamp 2014)  “(...) o desencanto com a Nova República era provocado principalmente pelo fracasso dos vários planos econômicos que não conseguiram domar o dragão da inflação. Depois do breve sucesso do Plano Cruzado, de 1986, a arrancada dos preços disparou, esmagando o poder de compra dos brasileiros, especialmente dos mais pobres.”

(Marly Motta, “Rumo ao planalto”. Disponível em http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos-revista/especial-nova-republicarumo- ao-planalto. Acessado em 09/08/2013.)


a) Explique o que é inflação.
b) Quais os efeitos do congelamento de preços, base do Plano Cruzado, para a economia brasileira do período?


Resposta:

a) A inflação é o aumento de preços dos produtos que pode ser ocasionada por desequilíbrios econômicos variados, um deles é a elevação da demanda (consumo) sem ocorrer aumento proporcional no investimento e na produção. Outros fatores como a atuação de oligopólios (poucas empresas produzindo um tipo de produto) com formação de cartel (preços combinados em patamares elevados para obtenção de maior lucratividade), excesso de protecionismo contra produtos importados e até fatores ambientais (seca severa com redução da oferta de produtos agrícolas) podem interferir na elevação dos preços.

b) Em 1986, com a retomada da democracia no país (Nova República) e durante do governo de José Sarney, foi implantado o Plano Cruzado para combater a inflação elevada. O congelamento de preços surtiu resultado apenas no curto prazo, uma vez que a intervenção muito brusca na economia fracassou. Entre os efeitos do plano, a retenção de produtos pelos empresários causando desabastecimento de alguns produtos, a troca da moeda, a pequena melhora da distribuição de renda no período de queda inflacionária e o posterior retorno da inflação elevada.  



  
2. (Ufg 2014)  Analise a imagem e leia o texto a seguir.




Na corte, teorias e experimentos médicos tinham livre curso de permeio às terapias tradicionais. Na Regência, ainda se fazia um unguento, supostamente útil para prevenir a queda dos cabelos, com a gordura do corpo dos escravos. Certo Dr. Santos publicou, em 1838, os resultados de uma experiência inédita; fizera uma cascavel picar um negro leproso para estudar os efeitos do veneno da cobra na evolução da doença. Mas o experimento fracassou porque o doente morreu em 24 horas.

ALENCASTRO, Luiz Felipe. “Vida privada e ordem privada no Império”. In: História da vida privada no Brasil. Império: a corte e a modernidade nacional. V. 2. 1997. p. 76-77. (Adaptado).


A imagem e o texto remetem ao cotidiano da cidade do Rio de Janeiro, na primeira metade do século XIX. Nesse ambiente de intensas trocas culturais, ao negro eram atribuídas diferentes representações.
Diante do exposto, explique

a) como a pintura expressa as trocas culturais no Rio de Janeiro, na primeira metade do século XIX;
b) a diferença na forma de representação do negro, na imagem e no texto.


Resposta:

a) Na pintura temos um conjunto de homens negros, aparentemente libertos, porém trajando vestes diferenciadas; no entanto, o fato de estarem descalços nos remete a sua condição de inferioridade. Em parte ela expressa certa preocupação com a higiene, que pode ser interpretada de forma equivocada e preconceituosa como uma influência branca.

b) Se a imagem mostra negros libertos, vestidos e asseados, o texto retrata o negro como alvo de experiências pseudocientíficas, como cobaias humanas, para a obtenção de produtos ou medicamentos úteis para a sociedade da época.



  
3. (Unesp 2014)  Nos primeiros anos da década de 1980, a Argentina e o Brasil trilharam, finalmente, o caminho da democracia. Naquele período, em um e outro país, as manifestações da sociedade vieram à tona, em vários níveis.
(Boris Fausto e Fernando Devoto. Brasil e Argentina: um ensaio de história comparada (1850-2002), 2004.)


Compare os processos de democratização ocorridos no Brasil e na Argentina nos anos 1980, a partir de dois aspectos: situação econômica interna; punição aos responsáveis por violências praticadas durante os respectivos regimes militares.


Resposta:

Situação econômica interna do Brasil: Por volta de 1984, a alta no preço do petróleo e o alto valor dos juros das transações internacionais abalaram a economia brasileira. A balança comercial brasileira ficou deficitária e os índices de inflação ficaram altos. A dívida externa aumentou, a industrialização estagnou e o desemprego atingiu altos índices. Mesmo assim, o governo militar manteve os programas de crescimento previstos anteriormente.

Punição aos responsáveis no Brasil: esse tema constitui grande polêmica no Brasil até hoje. A Lei de Anistia, promulgada em 1979, está sendo até hoje discutida no país, inclusive pelo STJ, para avaliar a validade ou não da anistia aos agentes do Estado que promoveram a tortura durante o Regime Militar. Há uma divisão na opinião de juristas e da sociedade sobre o tema: alguns acham correto os agentes do Estado serem beneficiados pela Lei, outros acham errado.

Situação econômica interna da Argentina: durante o processo de transição argentino, houve uma equiparação entre o peso e o dólar, o que deu aos argentinos um maior poder compra que, mais tarde, levou ao aumento da inflação no país. Houve também um aumento na privatização das empresas argentinas, seguindo o modelo econômico neoliberal.

Punição aos responsáveis na Argentina: os torturadores argentinos que participaram da chamada “Guerra Suja” (processo de tortura) receberam do governo argentino um indulto, ficando, assim, sem punição.



  
4. (Uerj 2014)  Tratados de Roma: 50º aniversário

A Europa foi, durante séculos, uma ideia, uma esperança de paz e de entendimento. Enfrentamos, na atualidade, grandes desafios que não conhecem fronteiras nacionais, e a União Europeia é a resposta que temos para lhes dar. Neste modelo europeu, conjugam-se sucesso econômico e responsabilidade social. A unificação da Europa veio dar vida a um sonho de gerações passadas. Manda a nossa história que preservemos tal fortuna para as gerações vindouras. Por isso nos une, cinquenta anos passados da assinatura dos Tratados de Roma, o objetivo de dotar a União Europeia de uma base comum e renovada.

HANS-GERT PÖTTERING, ANGELA MERKEL e JOSÉ M. BARROSO Adaptado de europa.eu, 25/03/2007.

Os Tratados de Roma, assinados em 1957, instituíram a Comunidade Econômica Europeia e a Comunidade Europeia da Energia Atômica.

Apresente um aspecto da conjuntura internacional da época que justifique a assinatura dos Tratados de Roma. Em seguida, identifique dois desafios enfrentados pela União Europeia na atualidade.


Resposta:

A CEE foi criada com o objetivo de fortalecer os laços econômicos entre os países Europeus, como parte de um programa de recuperação pós-guerra que previa a livre-circulação de pessoas, dinheiro e mercadorias entre os países membros. A integração econômica levaria, ao fim e ao cabo, à integração política entre os países.

Os principais desafios da EU nos dias atuais são:
1) lidar com a questão da xenofobia;
2) lidar com o avanço econômico de países asiáticos, como o Japão e a China;
3) lidar com a crise econômica que assolou a Europa no início desta década;
4) lidar com os altos índices de desemprego nos países europeus.



  
5. (Fuvest 2014)  O Plano Colômbia inicial consistia antes de tudo em uma ajuda militar destinada à erradicação das plantações de droga. Os programas de fumigação não tiveram início com ele: existiram desde 1994. Isto não impediu um crescimento ainda maior da superfície cultivada. Com o Plano Colômbia, e sobretudo a partir de 2001, esses programas adquiriram nova dimensão. Entretanto, não parece que eles tenham tido, tampouco, mais sucesso.

Daniel Pécaut, “Lógicas econômicas, militares e políticas na ‘guerra’ colombiana”. In: C. Brigagão & D. Proença Jr. (orgs.). Paz e terrorismo. São Paulo: Hucitec, 2004, p. 255.


a) Qual foi o papel desempenhado pelos Estados Unidos da América na implementação do “Plano Colômbia”?

b) A afirmação do autor de que o “Plano Colômbia” e outros programas semelhantes a ele, aparentemente, não tiveram grande sucesso se justifica? Explique.


Resposta:

a) Os EUA e a Colômbia realizaram o Plano Colômbia. Na década de 1990, a Colômbia estava em grave crise que ameaçava a unidade do país. De um lado, narcotraficantes dominando algumas áreas gerando instabilidade institucional, exportando drogas, principalmente para os USA. De outro lado, as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) desejavam criar um governo revolucionário. A diplomacia da Colômbia, com respaldo do governo dos EUA, elaborou o Plano Colômbia que acabou beneficiando, de certa forma, os dois lados. Aumentou a influência dos USA na América do Sul. Os narcotraficantes e os guerrilheiros colombianos foram desmobilizados.

b) Por um lado, o Plano Colômbia conseguiu reduzir as áreas de produção de maconha e coca e desmobilizou os cartéis melhorando a segurança do país. Por outro lado, alguns cartéis colombianos transferiram para o México aumentando o tráfico e a violência na fronteira com os EUA.



  
6. (Ufg 2014)  Leia os textos a seguir.

Texto 1

Foi a própria sociedade brasileira, por meio de suas instituições ou com o apoio delas, que sequestrou meus ancestrais da África e os transformou em um insumo barato. Assim como foram as políticas estatais que, após a abolição, inviabilizaram toda forma de reparação oficial pelos quase 400 anos de escravidão, jogando milhões de pessoas das senzalas para as ruas, da escravidão para o desemprego ou para as garras de patrões que nunca deixaram de tratá-las como seus “negrinhos” e suas “negrinhas”.

SILVA, Wilson da. Superinteressante, São Paulo, jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2013. (Adaptado).


Texto 2

Todos nós sabemos que a África subsaariana forneceu escravos para o mundo antigo, para o mundo islâmico, para a Europa e para a América. Até o princípio do século 20, o escravo era o principal item de exportação da pauta econômica africana. Sobre a miscigenação no Brasil, nós temos uma história tão bonita. Fala-se que as negras foram estupradas. Fala-se que a miscigenação deu-se pelo estupro. Fala-se que foi algo forçado. Mas, Gilberto Freyre mostra que isso se deu de forma muito mais consensual.

TORRES, Demóstenes, apud. FERRAZ, Luca; CAPRIGLIONE, Laura. Jornal Folha de S. Paulo, 4 mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2013. (Adaptado).


As reflexões sobre as políticas afirmativas têm gerado o uso de diferentes interpretações sobre o passado brasileiro. Publicados na mídia impressa e digital, os textos apresentados exemplificam dois discursos sobre a história da escravidão no Brasil, representativos do debate sobre a implementação das cotas raciais. Diante do exposto e considerando a diferença entre os textos, explique a

a) característica que fundamenta a interpretação sobre a escravidão, em cada um deles;
b) a relação entre a interpretação e a posição política sobre as cotas raciais, em cada um deles.


Resposta:

a) Para o texto 1, os escravos trazidos da África para o Brasil foram sequestrados, ou seja, vieram escravizados como produto de uma relação de força física e de força do capital e de seus interesses, que transformaram vidas humanas em simples mercadorias. Para o texto 2, a escravidão no Brasil foi uma continuidade de algo que já existia, praticada pelos próprios africanos, séculos antes da colonização lusitana dessas terras.


b) Para o autor do texto 1 existe a necessidade de se reparar um crime histórico com a população de afro descendentes e a política de cotas é parte desse reparo; enquanto o texto 2, ao não enxergar a responsabilidade histórica do Estado brasileiro, desconhece a necessidade de qualquer tipo de reparação. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados