Google+ Followers

domingo, 27 de setembro de 2015

Unicamp - Unesp - Fuvest - Provas discursivas com resolução comentada.



Grupo de estudo para provas específicas: https://www.facebook.com/groups/660763183949872/




1. (Fuvest 2015) 
Estimativa da população do Brasil (1700-1970)
Ano
População em milhares de habitantes
(inclui populações indígenas e escravas)
1700
300
1770
2.000
1810
4.000
1870
10.000
1920
30.600
1970
100.000
www.ibge.gov.br. Acesso em 18/11/2014. Adaptado.

Com base nos números apresentados na tabela acima, identifique e explique o fator determinante para o aumento populacional registrado entre
a) 1700 e 1770;
b) 1920 e 1970.  
  
2. (Fuvest 2015)  A cidade do Rio de Janeiro abre o século XX defrontando-se com perspectivas extremamente promissoras. Aproveitando-se de seu papel privilegiado na intermediação dos recursos da economia cafeeira e de sua condição de centro político do país, a sociedade carioca via acumularemse no seu interior vastos recursos enraizados principalmente no comércio e nas finanças, mas derivando já para as aplicações industriais. A mudança da natureza das atividades econômicas do Rio foi de monta, portanto, a transformálo no maior centro cosmopolita da nação, em íntimo contato com a produção e o comércio europeus e americanos, absorvendo-os e irradiando-os para todo o país. Muito cedo, no entanto, ficou evidente o anacronismo da velha estrutura urbana do Rio de Janeiro diante das demandas dos novos tempos.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão. Tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1983. Adaptado.

a) Cite dois exemplos que justifiquem o mencionado “anacronismo da velha estrutura urbana do Rio de Janeiro”.
b) Cite duas importantes mudanças socioeconômicas pelas quais a cidade do Rio de Janeiro passou no princípio do século XX.
  
3. (Fuvest 2015)  Leia os dois fragmentos abaixo.

I. É necessário, pois, aceitar como princípio e ponto de partida o fato de que existe uma hierarquia de raças e civilizações, e que nós pertencemos a raça e civilização superiores, reconhecendo ainda que a superioridade confere direitos, mas, em contrapartida, impõe obrigações estritas. A legitimação básica da conquista de povos nativos é a convicção de nossa superioridade, não simplesmente nossa superioridade mecânica, econômica e militar, mas nossa superioridade moral. Nossa dignidade se baseia nessa qualidade, e ela funda nosso direito de dirigir o resto da humanidade. O poder material é apenas um meio para esse fim.

Declaração do francês Jules Harmand, em 1910. Apud: Edward Said. Cultura e imperialismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. Adaptado.

II. (...) apesar das suas diferenças, os ingleses e os franceses viam o Oriente como uma entidade geográfica — e cultural, política, demográfica, sociológica e histórica — sobre cujos destinos eles acreditavam ter um direito tradicional. Para eles, o Oriente não era nenhuma descoberta repentina, mas uma área ao leste da Europa cujo valor principal era definido uniformemente em termos de Europa, mais particularmente em termos que reivindicavam especificamente para a Europa — para a ciência, a erudição, o entendimento e a administração da Europa — o crédito por ter transformado o Oriente naquilo que era.

Edward Said. Orientalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

a) Identifique a principal ideia defendida no texto I e explique sua relação com a expansão imperialista europeia no final do século XIX.
b) Relacione o texto I com o texto II, quanto à concepção política neles presente.
  
4. (Fgv 2015)  A Primeira Guerra Mundial envolveu todas as grandes potências, e na verdade todos os Estados europeus, com exceção da Espanha, os Países Baixos, os três países da Escandinávia e a Suíça. E mais: tropas do ultramar foram, muitas vezes pela primeira vez, enviadas para lutar e operar fora das suas regiões (...).

HOBSBAWM, E. Era dos extremos. O breve século XX (1914-1991). Trad., São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 31.


a) Quais foram as motivações econômicas do conflito citado no texto?
b) Como a guerra influenciou e dividiu os movimentos e partidos socialistas do período?
c) Apresente duas transformações decorrentes diretamente do conflito.
  
5. (Unicamp 2015)  “Guerreiros a pé e cavaleiros fizeram um caminho através dos cadáveres. Mas tudo isso ainda era pouca coisa. Fomos ao Templo de Salomão, onde os sarracenos tinham o costume de celebrar seus cultos. O que se passou nestes lugares? Se dissermos a verdade, ultrapassaremos o limite do que é possível crer. Será suficiente dizer que, no Templo e no pórtico de Salomão, cavalgava-se em sangue até os joelhos dos cavaleiros e até o arreio dos cavalos. Justo e admirável julgamento de Deus, que quis que este lugar recebesse o sangue daqueles que blasfemaram contra Ele durante tanto tempo.”

Raymond d’Aguiller, Historia Francorum qui ceperunt Jerusalem. http://www.fordham.edu/halsall/source/raymond-cde.asp#jerusalem2. Acessado em 01/10/2014.

O texto acima se refere à Primeira Cruzada (1096-1099). Responda às questões abaixo.
a) Identifique um motivo econômico e um motivo político para o movimento das Cruzadas.
b) Que grupo social liderou esse movimento e como o cronista citado identifica o apoio de Deus ao empreendimento cruzadístico? 
 
Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 a) O crescimento da população entre 1700 e 1770 foi impulsionado pela economia baseada na exploração de ouro e de pedras preciosas principalmente em Minas Gerais. O Brasil colônia recebeu um considerável fluxo de portugueses e de escravos de origem africana para o trabalho nas minas, agricultura, além do comércio e serviços nas cidades mineiras que cresceram na época como Ouro Preto e Tiradentes.

b) Entre 1920 e 1970, o país atravessou um período de industrialização e urbanização mais acentuado, atraindo fluxos significativos de imigrantes, principalmente europeus. Além disso, houve avanços importantes no saneamento básico e na medicina que resultaram na diminuição da taxa de mortalidade. Assim, como a taxa de natalidade era elevada, houve um grande crescimento vegetativo da população até a década de 1970. A partir de então, a população do país continuou crescendo, mas em ritmo mais lento devido à queda da taxa de natalidade.  

Resposta da questão 2:
 a) Podemos citar: 1) a insalubridade da cidade, responsável pela epidemia de algumas doenças, como a varíola e 2) a presença de diversos cortiços na cidade, construídos em antigos casarões.

b) Podemos citar: 1) derrubada dos cortiços (política do “bota-abaixo” de Pereira Passos) e 2) grande chegada de imigrantes à cidade.  

Resposta da questão 3:
 a) O texto I é um exemplo clássico do “darwinismo social” defendido pelos europeus no século XIX para justificar o Imperialismo e a dominação da África e da Ásia.
b) O texto II reflete uma consequência do pensamento do texto I: ingleses e franceses enxergavam o Oriente como uma área de direito europeu.  

Resposta da questão 4:
 a) No contexto da Segunda Revolução Industrial (aço, petróleo e eletricidade), a partir da segunda metade do século XIX, as potências capitalistas aumentaram a produção e surgiu a necessidade de expandir em busca de matéria-prima, mercado consumidor, escoar o excedente populacional, investir capitais, etc. Neste sentido, ocorreu a corrida imperialista em busca de colônias gerando a Primeira Guerra Mundial entre 1914-1918.

b) O Partido Socialista ficou dividido em dois grupos no que diz respeito a Primeira Guerra Mundial. Havia um grupo Pacifista contrário a participação na guerra por entender que a mesma era um conflito de países imperialistas. Outro grupo com viés Nacionalista defendia a participação na guerra como forma de defender a pátria.

c) Político: alterou o mapa com o fim de velhos impérios (alemão, russo, turco otomano e austro-húngaro) e o surgimento de novos países.
Econômico: Grave crise econômica gerando a crise do Capitalismo Liberal e o surgimento de um Capitalismo Intervencionista-assistencialista.  

Resposta da questão 5:
 a) Um objetivo ECONÔMICO: reestabelecer rotas de comércio com a Ásia;
Um objetivo POLÍTICO: recuperar o domínio da cidade de Jerusalém, então sob domínio muçulmano.
b) O grupo social que liderou esse movimento foi o dos SENHORES FEUDAIS. O cronista afirma que Deus estava ao lado dos cruzadistas, uma vez que os muçulmanos blasfemaram contra Ele e violaram Sua cidade sagrada (Jerusalém). 










Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados