Google+ Followers

sábado, 29 de março de 2014

Enem - Como estudar sociologia para o Enem - questões comentadas

O Estudo da disciplina para o Enem consiste em estar atualizado. Ler jornais diariamente e fazer muitas, muitas questões de exames anteriores. Essa é a melhor forma de dominar as questões que cobram a disciplina. Com o objetivo de ajudar o estudante, postarei, regularmente, questões atualizadas da disciplina. Bons estudos! Professor Arão Alves




Grupo de estudo para específica da Uerj: https://www.facebook.com/groups/660763183949872/

1. (Enem 2013)  Seguiam-se vinte criados custosamente vestidos e montados em soberbos cavalos; depois destes, marchava o Embaixador do Rei do Congo magnificamente ornado de seda azul para anunciar ao Senado que a vinda do Rei estava destinada para o dia dezesseis. Em resposta obteve repetidas vivas do povo que concorreu alegre e admirado de tanta grandeza.

“Coroação do Rei do Congo em Santo Amaro”, Bahia apud DEL PRIORE, M. Festas e utopias no Brasil colonial. In: CATELLI JR., R. Um olhar sobre as festas populares brasileiras. São Paulo: Brasiliense, 1994 (adaptado).

Originária dos tempos coloniais, a festa da Coroação do Rei do Congo evidencia um processo de
a) exclusão social.   
b) imposição religiosa.   
c) acomodação política.   
d) supressão simbólica.   
e) ressignificação cultural.   


Resposta:

[E]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
O Congado, ou Festa do Rei Congo, é um movimento de sincretismo religioso realizado no Brasil desde os tempos coloniais. A festa é uma mistura de cultos católicos e africanos, na qual se comemora, ao mesmo tempo, a vida de São Benedito, o encontro de Nossa Senhora do Rosário e a vida do negro Chico-Rei.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
A festa da Coroação do Rei do Congo, também chamada de Congado, é uma importante manifestação cultural brasileira. Ela surgiu durante o período colonial, a partir de um processo de ressignificação cultural de festas africanas. Desta maneira, somente a alternativa [E] pode ser considerada correta.



  
2. (Enem 2013)  TEXTO I

Ela acorda tarde depois de ter ido ao teatro e à dança; ela lê romances, além de desperdiçar o tempo a olhar para a rua da sua janela ou da sua varanda; passa horas no toucador a arrumar o seu complicado penteado; um número igual de horas praticando piano e mais outra na sua aula de francês ou de dança.
Comentário do Padre Lopes da Gama acerca dos costumes femininos [1839] apud SILVA, T. V. Z.Mulheres, cultura e literatura brasileira. Ipotesi — Revista dos Estudos Literários, Juiz de Fora, v. 2. n. 2, 1998.


TEXTO II

As janelas e portas gradeadas com treliças não eram cadeias confessas, positivas; mas eram, pelo aspecto e pelo seu destino, grande gaiolas, onde os pais e maridos zelavam, sonegadas à sociedade, as filhas e as esposas.
MACEDO, J.M. “Memória da Rua do Ouvidor [1878]”. Disponível em: www.dominiopublico.gov.br. Acesso em: 20 maio 2013 (adaptado).

A representação social do feminino comum aos dois textos é o(a)
a) submissão de gênero, apoiada pela concepção patriarcal de família.   
b) acesso aos produtos de beleza, decorrência da abertura dos portos.   
c) ampliação do espaço de entretenimento, voltado às distintas classes sociais.   
d) proteção da honra, medida pela disputa masculina em relação às damas da corte.   
e) valorização do casamento cristão, respaldado pelos interesses vinculados à herança.   


Resposta:

[A]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
A alternativa [A] é a única correta. Os textos apresentam mulheres que não têm liberdade para de escolha, que vivem sob a tutela de seus pais ou maridos e que são educadas para os afazeres domésticos. Desta maneira, são relegadas a um regime de submissão de gênero, não tendo as mesmas possibilidades de inserção social que os homens.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
O Patriarcalismo, característica social que predominou na Europa até o século XIX e foi transferida para o Brasil Colonial, em especial na sociedade do açúcar, colocava o homem como centro da sociedade, relegando a mulher um papel secundário e submisso.



  
3. (Enem 2013)

 

O artista gráfico polonês Pawla Kuczynskiego nasceu em 1976 e recebeu diversos prêmios por suas ilustrações.
Nessa obra, ao abordar o trabalho infantil, Kuczynskiego usa sua arte para
a) difundir a origem de marcantes diferenças sociais.   
b) estabelecer uma postura proativa da sociedade.   
c) provocar a reflexão sobre essa realidade.   
d) propor alternativas para solucionar esse problema.   
e) retratar como a questão é enfrentada em vários países do mundo.   


Resposta:

[C]

Muitas vezes a arte nos serve para refletirmos a respeito da realidade. Na ilustração apresentada, o artista apresenta uma situação de duas crianças que possuem uma relação dissonante com o objeto “trem”: enquanto uma é obrigada a puxar um trem “em tamanho real” (retratando o trabalho infantil), a outra somente brinca com seu trem “de mentirinha”. Tal ilustração revela as contradições da sociedade: enquanto as crianças de uma classe social são obrigadas a trabalhar, as outras podem brincar.



  
4. (Enem 2013)  Mesmo tendo a trajetória do movimento interrompida com a prisão de seus dois líderes, o tropicalismo não deixou de cumprir seu papel de vanguarda na música popular brasileira. A partir da década de 70 do século passado, em lugar do produto musical de exportação de nível internacional prometido pelos baianos com a “retomada da linha evolutória”, instituiu-se nos meios de comunicação e na indústria do lazer uma nova era musical.

TINHORÃO, J. R. Pequena história da música popular: da modinha ao tropicalismo. São Paulo: Art, 1986 (adaptado).

A nova era musical mencionada no texto evidencia um gênero que incorporou a cultura de massa e se adequou à realidade brasileira. Esse gênero está representado pela obra cujo trecho da letra é:
a) A estrela d’alva / No céu desponta / E a lua anda tonta / Com tamanho esplendor. (As pastorinhas, Noel Rosa e João de Barro)   
b) Hoje / Eu quero a rosa mais linda que houver / Quero a primeira estrela que vier / Para enfeitar a noite do meu bem. (A noite do meu bem, Dolores Duran)   
c) No rancho fundo / Bem pra lá do fim do mundo / Onde a dor e a saudade / Contam coisas da cidade. (No rancho fundo, Ary Barroso e Lamartine Babo)   
d) Baby Baby / Não adianta chamar / Quando alguém está perdido / Procurando se encontrar. (Ovelha negra, Rita Lee)   
e) Pois há menos peixinhos a nadar no mar / Do que os beijinhos que eu darei / Na sua boca. (Chega de saudade, Tom Jobim e Vinicius de Moraes)   


Resposta:

[D]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]
Rita Lee é uma das artistas expoentes do chamado tropicalismo. A expressão “Baby baby”, utilizada em sua música, retrata a apropriação de uma expressão tipicamente americana, demonstrando exatamente incorporação da cultura de massa em um contexto brasileiro.


[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
Os tropicalistas – dentre os quais a banda Mutantes, da cantora Rita Lee – buscavam universalizar os temas da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial, como o Rock e a guitarra elétrica, como mostra o exemplo da alternativa [D].



  
5. (Enem 2013)  Na produção social que os homens realizam, eles entram em determinadas relações indispensáveis e independentes de sua vontade; tais relações de produção correspondem a um estágio definido de desenvolvimento das suas forças materiais de produção. A totalidade dessas relações constitui a estrutura econômica da sociedade — fundamento real, sobre o qual se erguem as superestruturas política e jurídica, e ao qual correspondem determinadas formas de consciência social.

MARX, K. “Prefácio à Crítica da economia política.” In: MARX, K.; ENGELS, F. Textos 3. São Paulo: Edições Sociais, 1977 (adaptado).

Para o autor, a relação entre economia e política estabelecida no sistema capitalista faz com que
a) o proletariado seja contemplado pelo processo de mais-valia.   
b) o trabalho se constitua como o fundamento real da produção material.   
c) a consolidação das forças produtivas seja compatível com o progresso humano.   
d) a autonomia da sociedade civil seja proporcional ao desenvolvimento econômico.   
e) a burguesia revolucione o processo social de formação da consciência de classe.   


Resposta:

[B]

Para Marx, a sociedade existe a partir das relações materiais de produção, que são fundamentadas no trabalho humano. Sendo assim, somente a alternativa [B] está correta.



  
6. (Enem 2013)  O sociólogo espanhol Manuel Castells sustenta que “a comunicação de valores e a mobilização em torno do sentido são fundamentais. Os movimentos culturais (entendidos como movimentos que têm como objetivo defender ou propor modos próprios de vida e sentido) constroem-se em torno de sistemas de comunicação – essencialmente a internet e os meios de comunicação – porque esta é a principal via que esses movimentos encontram para chegar àquelas pessoas que podem eventualmente partilhar os seus valores, e a partir daqui atuar na consciência da sociedade no seu conjunto”.

Disponível em: www.compolitica.org. Acesso em: 2 mar. 2012 (adaptado).

Em 2011, após uma forte mobilização popular via redes sociais, houve a queda do governo de Hosni Mubarak, no Egito. Esse evento ratifica o argumento de que
a) a internet atribui verdadeiros valores culturais aos seus usuários.   
b) a consciência das sociedades foi estabelecida com o advento da internet.   
c) a revolução tecnológica tem como principal objetivo a deposição de governantes antidemocráticos.   
d) os recursos tecnológicos estão a serviço dos opressores e do fortalecimento de suas práticas políticas.   
e) os sistemas de comunicação são mecanismos importantes de adesão e compartilhamento de valores sociais.   


Resposta:

[E]

Castells afirma que “a comunicação de valores e a mobilização em torno do sentido são fundamentais” e que elas ocorrem essencialmente através da internet e de sistemas de comunicação. É exatamente isso que vemos no contexto egípcio de 2011, quando as redes sociais foram capazes de possibilitar uma importante mobilização política e popular.



  
7. (Enem 2013)  O jogo é uma atividade ou ocupação voluntária, exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e de espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um sentimento de tensão e de alegria e de uma consciência de ser diferente da ”vida quotidiana”.

HUIZINGA, J. Homo Iudens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2004.

Segundo o texto, o jogo comporta a possibilidade de fruição. Do ponto de vista das práticas corporais, essa fruição se estabelece por meio do(a)
a) fixação de táticas, que define a padronização para maior alcance popular.   
b) competitividade, que impulsiona o interesse pelo sucesso.   
c) refinamento técnico, que gera resultados satisfatórios.   
d) caráter lúdico, que permite experiências inusitadas.   
e) uso tecnológico, que amplia as opções de lazer.   


Resposta:

[D]

A fruição, ou seja, o desfrutar do jogo, acontece através exatamente do seu caráter lúdico que, dentro das limitações das regras do jogo, permite a existência de experiências inusitadas e diversas do cotidiano dos jogadores.



  
8. (Enem 2013) 


A charge revela uma crítica aos meios de comunicação, em especial à internet, porque
a) questiona a integração das pessoas nas redes virtuais de relacionamento.   
b) considera as relações sociais como menos importantes que as virtuais.   
c) enaltece a pretensão do homem de estar em todos os lugares ao mesmo tempo.   
d) descreve com precisão as sociedades humanas no mundo globalizado.   
e) concebe a rede de computadores como o espaço mais eficaz para a construção de relações sociais.   


Resposta:

[A]

A charge parte da ideia de que a comunicação através da internet tira das pessoas o tempo para se relacionarem no “mundo real”. Isso corresponde a uma crítica, expressa de forma correta somente na alternativa [A].



  
9. (Enem 2013)
 

O cartum faz uma crítica social. A figura destacada está em oposição às outras e representa a
a) opressão das minorias sociais.   
b) carência de recursos tecnológicos.   
c) falta de liberdade de expressão.   
d) defesa da qualificação profissional.   
e) reação ao controle do pensamento coletivo.   


Resposta:

[E]

Diferentemente de todas as outras personagens, a figura em preto não é um “boneco de corda”, além de estar voltada para uma direção inversa das demais. Isso demonstra sua autonomia de ação e pensamento, fugindo dos mecanismos de manipulação aos quais todos os outros são submetidos.



  
10. (Enem 2013)  A África também já serviu como ponto de partida para comédias bem vulgares, mas de muito sucesso, como Um príncipe em Nova York e Ace Ventura: um maluco na África; em ambas, a África parece um lugar cheio de tribos doidas e rituais de desenho animado. A animação O rei Leão, da Disney, o mais bem-sucedido filme americano ambientado na África, não chegava a contar com elenco de seres humanos.

LEIBOWITZ, E. “Filmes de Hollywood sobre África ficam no clichê”. Disponível em: http://noticias.uol.com.br. Acesso em: 17 abr. 2010.


A produção cinematográfica referida no texto contribui para a constituição de uma memória sobre a África e seus habitantes. Essa memória enfatiza e negligencia, respectivamente, os seguintes aspectos do continente africano:
a) A história e a natureza.   
b) O exotismo e as culturas.   
c) A sociedade e a economia.   
d) O comércio e o ambiente.   
e) A diversidade e a política.   


Resposta:

[B]


Filmes que retratam “tribos doidas” estão enfatizando exatamente o exotismo da sociedade. Isso significa negligenciar a riqueza cultural desses povos que, por serem diferentes, são precipitadamente considerados como inferiores. 






Correção de questões discursivas com construção de respostas in loco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados