Google+ Followers

Oriente Médio e Palestina

sábado, 18 de janeiro de 2014

Questões discursivas com gabarito comentado - História do Brasil



Grupo de estudo para específica da Uerj: https://www.facebook.com/groups/660763183949872/


1. (Fuvest) 


Considerando-se a atual divisão administrativa do Brasil e sobrepondo-se a ela representações esquemáticas da gênese do território brasileiro, entre os séculos XVI e XIX,

a) relacione os focos econômicos em ascensão (coluna I) com os novos centros econômicos e suas respectivas zonas de atração (coluna II);
b) analise os principais avanços territoriais (coluna III).
  
2. (Fuvest)

 

Considerando os dois gráficos acima,

a) defina e explique o significado geral de uma balança comercial “favorável” ou “desfavorável” para um determinado país;
b) compare os papéis político-econômicos da França e da Inglaterra na competição internacional do século XVIII, bem como a importância desses países para as regiões coloniais americanas da época.
  
3. (Unesp)  Em fevereiro de 2012, uma operação naval britânica no Atlântico Sul gerou tensões diplomáticas entre Argentina e Reino Unido. O episódio ocorreu às vésperas do trigésimo aniversário do início da Guerra das Malvinas.
Identifique dois motivos que provocaram tal guerra e a relacione com o regime militar que então controlava a Argentina.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
O que torna a tortura atraente é o fato de ela funcionar. O preso não quer falar, apanha e fala. É sobre essa simples constatação que se edifica a complexa justificativa da tortura pela funcionalidade. O que há de terrível nela é a sua verdade. O que há de perverso nessa verdade é o sistema lógico que nela se apoia valendo-se da compreensão, em um juízo aparentemente neutro, do conflito entre dois mundos: o do torturador e o de sua vítima.
O poder absoluto que o torturador tem de infligir sofrimento à sua vítima transforma-se em elemento de controle sobre o seu corpo. No meio da selva amazônica, espancando um caboclo analfabeto que pedia ajuda divina para sustar os padecimentos, um torturador resumiria sua onipotência embutida: “Que Deus que nada, porque Deus aqui é nós mesmo”. A mente insubmissa torna-se vítima de sua carcaça, que é, a um só tempo, repasto do sofrimento e presa do inimigo. A dor destrói o mundo do torturado, ao mesmo tempo que lhe mostra outro, o do torturador, no qual não há sofrimento, mas o poder de criá-lo. Quando a vítima se submete, conclui-se um processo em que a confissão é um aspecto irrelevante. O preso, na sala de suplícios, troca seu  mundo pelo do torturador.

Elio Gaspari. A ditadura escancarada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002, p. 37-41 (com adaptações).


4. (Unb)  A partir dessas informações, julgue os itens a seguir.

a) Para que o tema da tortura seja explorada em peças teatrais, é necessário se estabelecer um rígido esquema em que bem e mal estejam claramente diferenciados, e também a noção de justiça deve ser predefinida.
b) Em Portugal, o jesuíta Marquês de Pombal destacou-se, no século XVIII, como um dos mais árduos defensores da prática dos autos de fé, eventos ligados à inquisição e nos quais a tortura era prática comum.
c) Na América Latina, a prática da tortura e dos castigos cruéis foi introduzida pelos regimes militares que governaram os países da região entre as décadas de 60 e 80 do século XX.
d) Na história europeia, desde pelo menos a Baixa Idade Média até meados do século XVIII, era comum que autoridades civis e eclesiásticas, para obterem confissões, torturassem pessoas envolvidas em processos judiciais.
e) No Brasil, a publicação do Ato Institucional n.º 5 marcou o incremento da repressão praticada pelo regime militar contra os seus opositores. A partir dessa data, houve aumento dos casos de tortura, desaparecimento e assassinato político.
  
5. (Unicamp)  É duvidoso e inútil especular sobre os destinos da Argentina, caso não tivesse sido desfechada a invasão das Malvinas, ou caso os argentinos obtivessem a soberania da ilha. O certo é que a derrota, em condições lamentáveis (junho de 1982), acelerou a derrubada da ditadura militar.
            (Adaptado de Boris Fausto & Fernando J. Devoto, "Brasil e Argentina: um ensaio de história comparada 1870-2002". S. Paulo: Ed. 34, 2004, p. 458.)



a) O que foi a Guerra das Malvinas?
b) Por que ela contribuiu para a derrubada do regime militar argentino?
c) Mencione duas características da ditadura na Argentina nas décadas de 1970 e 1980.
  
6. (G1 - cftce)  Explique o que foi o "Milagre Econômico" no Regime Militar.
  
7. (Uff)  Ao longo dos anos 1960, um dos setores da cultura brasileira que mais resistência ofereceu ao regime militar foi a MPB (Música Popular Brasileira) que expressava, em seus festivais e nas letras das canções, a insatisfação da sociedade diante da censura e da repressão.
A partir da conjuntura aludida, explique o significado da expressão "É proibido proibir" - lema do Tropicalismo, importante movimento musical da época.
  
8. (Fuvest)  Durante o regime militar no Brasil (1964-1985), a oposição à ditadura também se expressou por meio da arte (música, literatura, cinema, teatro).

Comente a afirmação, dando, pelo menos, dois exemplos dessas formas artísticas de expressão.
  
9. (Uff)  No período após 1964, o regime militar inaugurou uma política econômica que, entre 1968 e 1974, ganhou a denominação de "milagre brasileiro".

a) Mencione dois resultados econômico-sociais observados durante o "milagre brasileiro".

b) Analise as repercussões desse período histórico (1968 - 1974) na sociedade brasileira.
  
10. (Fuvest)  O Ato Institucional no 2, baixado em outubro de 1965 pelo regime militar brasileiro, extinguiu os partidos políticos então existentes, abrindo caminho para a instituição do bipartidarismo.
Aponte as características básicas do bipartidarismo e suas principais consequências.
 
Gabarito:  

Resposta da questão 1:
 [Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
a) A questão aborda o desenvolvimento econômico do Brasil e sua ocupação territorial em diferentes períodos da História. No século XVI, primórdios da colonização do Brasil, a atividade fundamental foi a produção açucareira, sendo sua área mais importante a região de Olinda/Recife, estendendo-se para áreas próximas, também na zona litorânea, como a Bahia. No século XVII e XVIII o gráfico aponta para a região “sudeste”, no atual estado de Minas Gerais. No século XVII a atividade bandeirante de apresamento indígena e de busca de pedras não transformou a região em “foco econômico”; ao contrário do que ocorreu no século seguinte com o desenvolvimento da mineração, que produziu efeitos nas regiões de São Paulo e do Rio de Janeiro, que podem ser consideradas como “zona de atração”, com forte desenvolvimento comercial, considerando-se ainda que o Rio de Janeiro tornou-se a capital da colônia. No século XIX o foco econômico era o café, inicialmente produzido no eixo Rio-São Paulo – o vale do Paraíba –, mas que conheceu seu apogeu ao atingir as terras do interior de São Paulo e o sul de Minas Gerais, consideradas pelo esquema acima como as zonas de atração.

b) A produção açucareira no século XVI permitiu o desenvolvimento da pecuária como atividade complementar, sendo que o gado era criado em áreas do interior próximo, destinado aos engenhos. No século XVII a atividade bandeirante se propagou por outras regiões da colônia e, ao mesmo tempo, desenvolveu-se a exploração de drogas do sertão na Amazônia. No século XVII a mineração se aprofundou em terras de Goiás e Mato Grosso. No século XIX percebemos a expansão do café para o interior do Paraná e forte movimento migratório do nordeste em direção ao extremo da Amazônia, devido a extração do látex e a produção de borracha.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
a) Os focos econômicos em ascensão e os novos centros com as respectivas áreas de atração são definidos no século XVI pela produção canavieira na zona da mata nordestina e a migração da população formando cidades como Salvador; no século XVII e XVIII pela mineração em Minas Gerais e expansão para Rio de Janeiro, principal porto para o produto; no século XIX pela cafeicultura e definição do Vale do Paraíba (Rio de Janeiro e São Paulo) como centro econômico.

b) Os principais avanços territoriais caracterizam: no primeiro mapa, a pecuária pelo Vale do Rio São Francisco; no segundo mapa, a exploração das drogas do sertão na Amazônia e as bandeiras no interior do Sudeste e Centro-Oeste; no terceiro mapa, a cafeicultura no norte do Paraná e a exploração da borracha na Amazônia.  

Resposta da questão 2:
 [Resposta do ponto de vista da disciplina de História]
a) Balança Comercial é a relação estabelecida entre as exportações e as importações realizadas por um país em um determinado período. Ela é considerada “favorável” quando as exportações são maiores do que as importações, permitindo ao país lucro (superavit); a situação inversa é definida como “desfavorável”, ou seja, quando as exportações são menores do que as importações, determinando a saída de moedas do país (deficit).

b) As áreas coloniais sempre foram importantes para suas respectivas metrópoles, incluindo Inglaterra e França, pois, monopolizadas, garantiam lucro. No caso da Inglaterra, o gráfico demonstra um superavit constante ao longo do século XVIII, em crescimento até a década de 70, quando se iniciaram os conflitos que resultaram na perda das 13 colônias americanas, retratado no gráfico pela queda de importações e exportações. No caso da França percebe-se uma atividade econômica de menor volume – quando comparada com a Inglaterra, com maiores oscilações ao longo do século XVIII e momentos de inversão, com períodos deficitários nas décadas de 70 e 80, marcadas pela Revolução Francesa e pela grave crise econômica que a precedeu.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]
a) Balança comercial é um indicador que mensura a relação entre exportações e importações de bens e serviços de um país em um determinado período. Caracteriza-se como favorável ou superavitada quando o total de exportações de bens e serviços é superior ao de importações, sendo considerado um fator positivo para a economia do país, haja vista que o lucro das transações é reinvestido no país. A balança desfavorável ou deficitária caracteriza o total de importações de bens e serviços superiores ao de exportações e, portanto, é um fator negativo, haja vista que os prejuízos deverão ser cobertos com as reservas financeiras do país.

b) O mercantilismo, base da economia até o século XVIII, estimulou os países a buscarem uma balança comercial favorável, contudo a crise do sistema colonial no final do século afetou o comércio das metrópoles, resultando em queda das exportações e deficit.  

Resposta da questão 3:
 A Guerra das Malvinas foi um confronto entre Reino Unido e Argentina sobre a soberania das ilhas que ocorreu em 1982, quando a Argentina era governada pelo ditador militar Leopoldo Galtieri. Nesse período, a Ditadura Militar Argentina enfrentava uma séria crise econômica e social e resolveu invadir as Malvinas para assim desviar a atenção da população para os problemas mais sérios enfrentados pelo seu governo, como desemprego, inflação e repressão.  

Resposta da questão 4:
 a) Incorreto – não existe nenhum esquema pré-estabelecido para a representação teatral, desta ou de qualquer outra temática de cunho pessoal / psicológico.

b) Incorreto – Pombal não foi jesuíta. Líder do governo Português entre 1750 e 1777, foi responsável pela expulsão dos jesuítas de Portugal e de suas colônias, acusados de regicídio.

c) Incorreto – a prática remonta ao período colonial, com a tortura de escravos, particularmente daqueles que se envolviam em rebeliões ou tentativas de fugas, assim como sobre aqueles que lideraram motins contra os governos metropolitanos.

d) Correto – os casos mais comuns e recorrentes à memória são as práticas adotadas pela Inquisição medieval; no entanto tal prática também se deu contra adversários políticos.

e) Correto – ao suspender o direito ao “habeas corpus” o governo ditatorial possibilitou prisões arbitrárias e abriu caminho para a maior impunidade para aqueles que se revestiam do poder, que ampliaram as práticas de tortura nos “porões da ditadura”.  

Resposta da questão 5:
 a) Um conflito entre Argentina e Inglaterra em 1982, onde a Argentina tentou conquistar as Ilhas Malvinas (Falklands) no Atlântico Sul, ocupadas pelos ingleses e levou a uma reação militar da Grã-Bretanha que impôs uma humilhante derrota aos argentinos.

b) A ditadura militar que governava a Argentina, procurou recuperar seu prestígio junto à população, ocupando as Malvinas, pois há muito os argentinos reclamavam direitos sobre as ilhas. A  incontestável e humilhante derrota sofrida pela Argentina desmoralizou e enfraqueceu o regime, abrindo caminho para a redemocratização do país.

c) Empregou extrema violência na perseguição aos opositores, o que ficou conhecido como "Guerra Suja" e o regime militar conservador, se assemelhava aos demais instaurados na América do Sul entre as décadas de 1960 e 1970.  

Resposta da questão 6:
 Caracterizou-se pelo processo de crescimento da economia brasileira durante o período de 1968-1973, no Regime Militar, onde a economia teve um crescimento médio anual de cerca de 11%. Sem esquecer o incremento das exportações a o aumento da entrada de capitais estrangeiros. Foi um período de euforia econômica, mas que comprometeu a economia do país no período seguinte. A partir de 1974 os efeitos do fantasioso milagre começaram a surgir, e o país a entrar em grave crise.  

Resposta da questão 7:
 O lema "É proibido proibir" denunciava o clima de censura e repressão imposto pelo regime militar, acentuava a crítica ao autoritarismo e reivindicava a liberdade. As denúncias eram feitas nas letras das canções, em performances teatrais, festivais e shows de vários grupos e artistas ligados ao movimento. Esse lema também pode ser associado à crítica aos valores conservadores dominantes, à sisudez dos mais velhos, às limitações da criatividade.  

Resposta da questão 8:
 As manifestações de oposição ao regime militar ocorreram até a publicação do AI-5 destacando-se a peça teatral "Roda Viva" de Chico Buarque de Holanda e a "música de protesto" como "Pra não dizer que não falei das flores" de Geraldo Vandré.  

Resposta da questão 9:
 a) O candidato poderá citar:
I) arrocho salarial sobre os operários e trabalhadores de baixa renda;
II) favorecimento das grandes empresas - sobretudo as estrangeiras - pelo Estado;
III) obtenção de empréstimos externos pelo governo para financiar as multinacionais;

b) O "milagre brasileiro" trouxe para a classe trabalhadora um brutal achatamento salarial, com o consequente encarecimento da cesta básica. Face a esse arrocho, os operários foram obrigados a trabalhar mais de 44 horas semanais, em vários turnos de trabalho, de modo a tentar recuperar o poder de compra de seu salário. Desse processo decorreram tanto o aumento do número de acidentes de trabalho no Brasil (pelo cansaço e má alimentação), quanto o crescimento do trabalho feminino e infantil como forma de recomposição salarial da família. Faz parte, ainda, desse quadro, o aumento dos índices de subnutrição e mortalidade infantil no país. Ademais, com o fim da estabilidade instaurada no pós-64, o "milagre brasileiro" consolidou a alta rotatividade no sistema de trabalho fabril, com perdas evidentes para o operariado.  

Resposta da questão 10:
 O bipartidarismo foi caracterizado pelos partidos ARENA (Aliança Renovadora Nacional) que congregava partidários do Regime Militar e MDB (Movimento Democrático Brasileiro) que se apresentava como oposição.
O Sistema bipartidário mantinha a aparência democrática porém, na prática dificultava a representação da sociedade civil sujeita às imposições do Estado.  

Video de revisão História do Brasil: Construindo questões discursivas




sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

História geral - questões discursivas recentes com gabarito comentado -







Grupo de estudo para específica da Uerj:  https://www.facebook.com/groups/660763183949872/






1. (Fuvest 2013)  Não esqueçamos que o processo de formação de um povo e de uma civilização gregos não se desenrolou segundo um plano premeditado, nem de maneira realmente consciente. Tentativa, erro e imitação foram os principais meios, de tal modo que uma certa margem de diversidade social e cultural, amiúde muito marcada, caracterizou os inícios da Grécia. De fato, nem o ritmo nem a própria direção da mudança deixaram de se alterar ao longo da história grega.

Moses I. Finley. O mundo de Ulisses. 3ª ed. Lisboa: Presença, 1998, p.16.

a) Indique um elemento “imitado” de outros povos e sociedades que teria estado presente nos “inícios da Grécia”.
b) Ofereça pelo menos dois exemplos do que o autor chama de “diversidade social e cultural”, que “caracterizou os inícios da Grécia”.  


Resposta:

a) Entre os elementos “imitados” de outros povos e sociedade presentes nos “inícios da Grécia”, podemos citar as técnicas agrícolas, navais e valores religiosos aprendidas com a civilização cretense.
b) Um exemplo de “diversidade social e cultural”, que “caracterizou os inícios da Grécia”, é a diferenças entre a cultura que se desenvolveram nesse período, descritas pelos poemas de Homero e Hesíodo.



  
2. (Ufrn 2013)  A palavra “democracia” surgiu na Grécia Antiga, mas, em diferentes tempos, ela denominou realidades distintas. Analisando a formação da democracia grega no século VI a.C., o historiador Ciro F. Cardoso afirma:

Ao apoiar-se politicamente nas massas populares, em favor das quais tomava diversas medidas, [...] a tirania promoveu a configuração do demos como força política mais estruturada do que o fora até então: ela significou, assim, a destruição, não dos aristocratas, mas da sociedade e do regime aristocrático mais ou menos exclusivo.

CARDOSO, Ciro F. A cidade antiga. São Paulo: Ática, 1993. p. 31.


a) Mencione duas diferenças entre o modelo político aristocrático e o modelo democrático na Grécia Antiga do século VI a.C.
b) Compare os direitos de cidadania e o exercício do voto na democracia ateniense da Antiguidade e nas sociedades democráticas ocidentais contemporâneas.


Resposta:

a) O modelo aristocrático, que antecedeu a democracia na Grécia antiga, estava baseado em privilégios de origem familiar, no qual somente os nascidos “eupátridas” possuíam efetivamente direitos políticos, tanto na ocupação de cargos públicos, como no processo de escolha; além de manter a terra como seu privilégio exclusivo. A Democracia ampliou a participação, garantida a todos independentemente da origem, porém que excluía as mulheres e preservava a escravidão.
b) O direito de voto na Grécia antiga foi garantido apenas aos homens, maiores de idade, que fossem livres (a escravidão foi preservada), nascidos em Atenas com o pai ateniense. Nas democracias ocidentais contemporâneas o direito foi estendido às mulheres, porém na maioria dos casos, ainda existe limite de idade e restrição aos estrangeiros.



  
3. (Unicamp 2013)  Tradicionalmente, a vitória dos cristãos sobre os muçulmanos na Batalha de Covadonga, na região da Península Ibérica, em 722, foi considerada o início da chamada Reconquista. Mais do que um decisivo confronto bélico, Covadonga foi uma luta dos habitantes locais por sua autonomia. A aproximação ideológica desta vitória, feita mais tarde por clérigos das Astúrias, conferiu à batalha a importância de um fato transcendente, associado ao que se considerava a missão da monarquia numa Hispânia que tombara diante dos seus inimigos.

(Adaptado de R. Ramos, B. V. Sousa e N. Monteiro (orgs.), História de Portugal. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2009, p. 17-18.)



a) Explique o que foi a Reconquista.
b) De que maneiras a Batalha de Covadonga foi reutilizada no discurso histórico e político pelos clérigos das Astúrias?


Resposta:

a) Foi uma guerra empreendida pelos cristãos ibéricos contra os muçulmanos na Península Ibérica entre os séculos VIII e XV.
b) Foi associada à ideologia católica, a partir de uma missão divina e, portanto transcendente do rei de defender o cristianismo ameaçado pelos infiéis.



  
4. (Ufrn 2013)  O historiador Christopher Hill se notabilizou pelos seus estudos sobre a Revolução Inglesa do século XVII (Revolução Puritana/Revolução Gloriosa). Considerando essa revolução como um evento capital não só da história inglesa, mas também da história de todo o mundo contemporâneo, Christopher Hill afirma:

Se você observar a Inglaterra no século XVI, verá que é uma potência de segunda classe, levando um embaixador inglês em 1640 a dizer que seu país não gozava de qualquer consideração no mundo. O que era verdade. Mas já no começo do século XVIII a Inglaterra é a maior potência mundial. Logo, alguma coisa aconteceu no meio disso.

MARQUES, Adhemar M.; BERUTTI, Flávio C.; FARIA, Ricardo de M. História contemporânea através de textos. São Paulo: Contexto, 2012. p. 12.



a) Mencione e explique duas mudanças que contribuíram para a Inglaterra, no começo do século XVIII, se tornar a maior potência mundial.
b) Justifique por que a Revolução Inglesa do século XVII pode ser considerada um evento capital de todo o mundo ocidental contemporâneo.


Resposta:

a) Durante o século XVII a burguesia inglesa assumiu o controle político do país, através da Revolução Puritana, consolidada décadas depois pela Revolução Gloriosa, dando ao governo um caráter empreendedor. Após a Revolução Puritana, durante o governo de Oliver Cromwell, o país adotou o “Ato de Navegação”, que permitiu a ampliação do comércio das empresas inglesas e se chocou com a principal potência naval da época, a Holanda, que perdeu rotas e áreas de comércio.
b) Ela marca a ascensão política da burguesia apoiada em novos ideais que deram origem ao iluminismo, que se propagará na Europa e América a partir de então.



  
5. (Ufg 2013)  Leia a citação a seguir.

Mago designa um homem que alia o saber ao poder de agir para a criação de mundos desejáveis.

BRUNO, Giordano. Tratado da magia, 1591. Apud JOB, Nelson. Ontologias em devir: confluências entre magia e ciência. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2012.



Tal como demonstra a citação de Giordano Bruno, sentenciado pela Inquisição à morte na fogueira, a magia despertava o interesse de pensadores e cientistas que estudavam as formas de intervir nas forças da natureza, no período entre os séculos XV e XVI. Com base no exposto,
a) explique como a citação de Giordano Bruno contraria os princípios que sustentaram a ação da Inquisição;
b) relacione a citação de Giordano Bruno aos valores renascentistas sobre o conhecimento humano.  


Resposta:

a) Os princípios que sustentaram a ação da Inquisição eram baseados no combate a toda e qualquer forma de oposição aos dogmas da Igreja Católica. Esses princípios eram efetivados por meio de práticas como: vigilância e controle do comportamento moral dos fiéis e severa censura às produções culturais e às inovações científicas. A citação de Giordano Bruno contraria esses princípios por exaltar o “saber” e o “poder de agir” do homem, avaliado, então, como ator capaz de dominar a natureza para criar “mundos desejáveis”. A citação se refere ao trabalho desenvolvido pelo mago. No período citado, seus conhecimentos provinham de fontes não aprovadas pela Igreja, que resultavam em práticas consideradas ocultas por ameaçarem os dogmas religiosos. Em virtude dessa compreensão por parte da Igreja, a Inquisição reservaria aos hereges (dentre eles, os magos) denúncias, investigações, julgamentos e condenações, com penas como prisão perpétua e morte na fogueira (o caso de Giordano Bruno).

b) A citação está associada aos valores renascentistas porque se refere a um tipo distinto de poder e de saber, que ultrapassa os limites impostos pelos dogmas da Igreja Católica, na medida em que essa instituição tem a revelação divina como fonte única do saber. Três pontos associam a citação a esses valores: 1) a eleição do homem como agente; 2) a referência a uma ação racionalmente elaborada para transformar a realidade, o que remete à criação de novos mundos; 3) o registro de que os mundos a serem criados dependeriam da vontade humana. Assim, os pontos mencionados explicitam os seguintes valores do Renascimento: o humanismo e o antropocentrismo (valorização do homem e de seu poder de ação, o que resultava em colocar o homem no centro da ação e conferir-lhe vontade e desejo para a intervenção na natureza); o racionalismo (a valorização da razão humana).  



  
6. (Ufpr 2013)  Durante o período das Cruzadas, São Bernardo de Claraval (1090-1153) escreveu:

“Mas os soldados de Cristo combatem confiantes nas batalhas do Senhor, sem nenhum temor de pecar por pôr-se em perigo de morte e por matar o inimigo. Para eles, morrer ou matar por Cristo não implica qualquer crime, pelo contrário, traz a máxima glória. (...) Em outras palavras: o soldado de Cristo mata com a consciência tranquila e morre com a consciência mais tranquila ainda.”

(São Bernardo de Claraval apud COSTA, Ricardo da. Apresentação: A Cruzada Renasceu? BLASCO VALLÈS, Almudena, e COSTA, Ricardo da (coord.). Mirabilia 10. A Idade Média e as Cruzadas. jan.-jun. 2010/ISSN 1676- 5818, p. XIII)




No que se refere às Cruzadas no período medieval, determine quem eram esses soldados de Cristo referenciados no trecho acima, quais as motivações para empreender suas batalhas e quais as suas consequências para o mundo ocidental daquele período.


Resposta:

Os “soldados de Cristo” eram todos os cristãos europeus que participaram das Cruzadas, em sua maioria, camponeses, liderados por nobres e reis. Para a massa dos participantes, o verdadeiro motivo era a fé, a luta contra os infiéis muçulmanos e a libertação da Terra Santa; no entanto, havia diversas outras motivações de cunho econômico e político. As cruzadas foram responsáveis pela abertura do Mediterrâneo ao comércio entre o ocidente e oriente, contribuindo para o renascimento comercial e urbano vivido pela Europa durante a baixa Idade Média.



  
7. (Ufrn 2013)  Em 1946, Dwight Eisenhower, ex-General em Chefe dos Exércitos Aliados, assim se pronunciou:
Tive muita satisfação de pisar o solo do lugar de que tanto cogitei durante a guerra. Natal teve, como todos sabem, influência decisiva na guerra, possibilitando às Nações Unidas as maiores facilidades para alcançar seus objetivos.

Apud MEDEIROS, Tarcísio. Estudos de história do Rio Grande do Norte. Natal: Tipografia Santa Cruz, 2001. p.130.


a) Por que Natal possibilitou que as Nações Aliadas alcançassem seus objetivos?
b) Mencione duas mudanças no âmbito local diretamente relacionadas a esse momento histórico.


Resposta:

a) A Base Aérea de Natal foi a maior base militar dos Estados Unidos fora de seu território. Criada em 1942, representou uma das características da aliança Brasil – Estados Unidos, que serviria tanto para as incursões sobre a África / Europa, como para a defesa de águas territoriais sul americanas.
b) Em um ano a população da cidade aumenta em 20%, com a presença de 10 mil novos moradores, a maioria, trabalhadores braçais. Novas atividades sociais se desenvolveram, destacando-se a vida noturna de entretenimento. Problemas sociais relacionados à prostituição e aos vícios também se ampliaram.


História do Brasil com o professor Arão Alves:




sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

História e Geografia - objetivas 2014 com gabarito comentado



Grupo de estudo para específicas da Uerj: https://www.facebook.com/groups/660763183949872/


1. (Uerj 2014) 



A restituição da passagem

As famílias chegadas a Santos com passagens de 3ª classe, tendo pelo menos 3 pessoas de 12 a 45 anos, sendo agricultores e destinando-se à lavoura do estado de São Paulo, como colonos nas fazendas ou estabelecendo-se por conta própria em terras adquiridas ou arrendadas de particulares ou do governo, fora dos subúrbios da cidade, podem obter a restituição da quantia que tiverem pago por suas passagens.

Adaptado de O immigrante, nº 1, janeiro de 1908

A publicação da revista O immigrante fazia parte das ações do governo de São Paulo que tinham como objetivo estimular, no final do século XIX e início do XX, a ida de imigrantes para o estado. Para isso, ofereciam-se inclusive subsídios, como indica o texto.

Essa diretriz paulista era parte integrante da política nacional da época que visava à garantia da:
a) oferta de mão de obra para a cafeicultura   
b) ampliação dos núcleos urbanos no interior   
c) continuidade do processo de reforma agrária   
d) expansão dos limites territoriais da federação   
e)
  


Resposta:

[A]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]

A cafeicultura era o carro-chefe da economia do Segundo Reinado brasileiro e, por isso, tinha total atenção do governo. Devido à pressão inglesa pelo fim da escravidão e à consequente assinatura da Lei Eusébio de Queiroz, o governo brasileiro passou a incentivar a vinda de imigrantes europeus para suprir a falta dos escravos nas nossas lavouras.


[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]

Como mencionado corretamente na alternativa [A], a imigração estrangeira garantia a demanda da mão de obra para a cafeicultura, substituindo a mão de obra escrava. Estão incorretas as alternativas: [B], porque o objetivo da imigração era a absorção pela cafeicultura; [C], porque a redistribuição de terras não era pertinente no século XIX; [D], porque o objetivo era a absorção da mão de obra nas fazendas, e, portanto, o povoamento do território nacional.



  
2. (Uerj 2014)  Volks na Amazônia

Em 1973, Wolfgang Sauer foi chamado para conversar com os executivos alemães da Volkswagen na sede alemã da empresa. Voltou como o chefe da maior fábrica de automóveis em funcionamento do hemisfério sul, instalada em São Paulo. No mesmo ano, quando foi a Brasília conversar com o ministro do interior, Rangel Reis, este lhe disse que o governo federal queria mudar a diretriz da ocupação da Amazônia. Desde o início da construção da Transamazônica, três anos antes, a ênfase era na colonização. Essa diretriz, de objetivos sociais, não atendia mais à prioridade definida pelo terceiro governo militar desde o golpe de Estado de 1964: tornar a Amazônia uma fonte de divisas para o país.

Adaptado de br.noticias.yahoo, 26/02/2013.


O texto da reportagem faz referência a duas fases distintas da política territorial na Amazônia durante o regime militar.
Dois exemplos dessa política de ocupação, para o período 1964/1973 e para o período 1973/1985, respectivamente, foram as implantações de:
a) polos de turismo e lazer – extensas redes ferroviárias inter-regionais   
b) centros comerciais fronteiriços – imensas áreas de monocultura de soja   
c) distritos industriais exportadores – numerosas áreas de produção de borracha   
d) assentamentos de agricultura familiar – grandes projetos de grupos empresariais   


Resposta:

[D]

Como mencionado corretamente na alternativa [D], a ocupação da Amazônia no período militar contou com duas fases, sendo o primeiro período associado à ocupação da última fronteira agrícola do país por pequenos produtores, marcado no segundo período pelo fim dos projetos de colonização e início dos megaprojetos. Neste período a economia do país viveu um processo de internacionalização, com o fortalecimento de uma política de abertura da economia e de um discurso de promoção do desenvolvimento social através de favorecimentos às empresas que deveriam gerar empregos.



  
3. (Uerj 2014)  A Declaração Universal dos Direitos Humanos (ONU, 1948) conta hoje com a adesão da maioria dos estados-nacionais. O conteúdo desse documento, no entanto, permanece como um ideal a ser alcançado. Observe o que está disposto em seu artigo XV:

1. Toda pessoa tem direito a uma nacionalidade.
2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

portal.mj.gov.br


Desde a década de 1960, em virtude de conflitos, o direito expresso nesse artigo vem sendo sonegado à maior parte da população pertencente ao seguinte povo e respectivo recorte espacial:
a) árabe – regiões ocupadas pela Índia   
b) esloveno – distritos anexados pela Sérvia   
c) palestino – territórios controlados por Israel   
d) afegão – províncias dominadas pelo Paquistão   
e)
  


Resposta:

[C]


[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]

O estudioso Marcelo Buzzeto, sobre o assunto, explica que:

“(...) em 1967, houve uma nova onda expansionista-colonialista por parte de Israel, que ocupou militarmente Gaza, Cisjordânia, toda Jerusalém (que pelo plano de 1947 deveria ser administrada pela ONU), as Colinas de Golan (Síria) e a Península do Sinai (Egito). Com isso, a violência contra os palestinos só cresceu e, apesar das inúmeras resoluções da ONU, Israel não recuou até hoje para as fronteiras anteriores à 1967, pois essas terras invadidas (Gaza e Cisjordânia) seriam o território que, segundo a ONU, deveria ser o Estado Palestino (...)”

Sendo assim, os palestinos que vivem em territórios dominados por Israel têm cerceados vários dos seus direitos, desde o de ir e vir até o da nacionalidade.


[Resposta do ponto de vista da disciplina de Geografia]


Como mencionado corretamente na alternativa [C], a citação do enunciado refere-se à Questão Palestina, cuja disputa territorial entre árabes palestinos e judeus, foi permeada por diversos tratados, como o Plano de Partilha, de 1947, e várias guerras, como a Guerra dos Seis Dias (1967), em que Israel quadriplica seu território original, imputando aos palestinos a condição de uma nação sem pátria. Estão incorretas as alternativas [A], [B] e [D], porque as referências apontadas pelo enunciado não correspondem à situação das nações citadas.  



  
4. (Uerj 2014)  Os ministros Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, e Maria do Rosário, dos Direitos Humanos, afirmaram que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que amplia o direito dos empregados domésticos ajuda a eliminar o “resquício da escravidão” que há no Brasil. Os dois discursaram em evento do Conselho Nacional do Ministério Público. Gilberto Carvalho citou o livro Casa grande e senzala, do sociólogo Gilberto Freyre, sobre os relacionamentos históricos dos homens brancos com índios e africanos. O ministro disse que a PEC ajuda a encerrar a “casa grande e senzala” que o país vivia.

Adaptado de g1.globo.com, 03/04/2013.


No texto, destaca-se uma justificativa para a relevância da lei que visa a garantir novos direitos aos empregados domésticos.
De acordo com o texto, a criação dessa lei se relaciona principalmente ao seguinte fator:
a) exclusão política dos grupos populares   
b) hierarquização social nas condições de trabalho   
c) desvalorização econômica dos empregos formais   
d) discriminação étnica nas qualificações profissionais   


Resposta:

[B]

O enunciado destaca a fala do Ministro Gilberto Carvalho, sobre os relacionamento históricos entre brancos – colonizadores e dominadores – e negros e índios, grupos sociais dominados, dizimados e escravizados.



  
5. (Espcex (Aman) 2014)  “O mais duradouro movimento rebelde do Império foi a Revolução Farroupilha, ocorrida no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, entre 1835-1845. [...] Em 1836, após importantes vitórias sobre as tropas legalistas, os farroupilhas proclamaram a República Rio Grandense”.
(BOULOS JR, 2011)

Em 1842, Luís Alves de Lima e Silva, então Barão de Caxias, é enviado pelo Império para comandar as forças legalistas. A atuação de Caxias pacificou a região já no ano de 1845. 
Abaixo são listadas algumas medidas que poderiam ser utilizadas para solução do conflito:


I. Repressão violenta com prisão e fuzilamento de todos os líderes do movimento farroupilha.
II. Aumento de taxas de importação do charque platino para tornar o similar rio-grandense-do-sul mais competitivo no mercado nacional.
III. Cerco impiedoso sobre as maiores cidades rebeladas, provocando a morte de milhares de civis, minando a moral do inimigo e levando os insurretos à rendição.
IV. Incorporação ao Exército Brasileiro de comandantes farroupilhas com os mesmos postos que ocupavam nas tropas rebeldes.
V. Reconhecimento, pelo governo imperial, da liberdade dos escravos que lutaram na revolução como soldados.

Na ocasião, Caxias propôs  

a) todas as medidas acima listadas.    
b) apenas as medidas I, II e III.    
c) apenas as medidas I, III e IV.    
d) apenas as medidas II, III e V.    
e) apenas as medidas II, IV e V.   


Resposta:

[E]

O fim da Revolução Farroupilha foi baseado, todo ele praticamente, em diálogos entre os líderes revolucionários e o Barão de Caxias, representante do governo. Através das negociações, os revolucionários concordaram em se render a partir da taxação do charque internacional, da incorporação de seus líderes ao Exército imperial e da liberação dos escravos envolvidos nos conflitos.



  
6. (Espcex (Aman) 2014)  No dia 5 de julho de 1922, três dias depois de ter sido decretada a prisão de Hermes da Fonseca, 302 jovens militares do Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, se sublevaram. Para reprimi-los, o governo enviou para lá cerca de 3 mil soldados, que cercaram a fortaleza. 
Numericamente inferiorizados, a grande maioria dos amotinados se rendeu, mas poucos militares, mesmo sem condições de enfrentar as tropas legalistas, saíram pelas ruas de Copacabana de armas em punho. No meio do caminho, alguns rebeldes debandaram [...]. Nos tiroteios que se seguiram, apenas dois rebeldes sobreviveram.”


(AZEVEDO & SERIACOPI, 2007).

O texto acima, descreve o(a)  
a) Intentona Comunista”, movimento desencadeado a partir de alguns quartéis do Rio de Janeiro, Recife e Natal, e que seguindo o exemplo do que ocorria na Rússia, objetivava a implantação do comunismo no Brasil.    
b) revolta dos “302 do Forte”, tentativa de golpe de Estado que tinha como intuito colocar o Marechal Hermes da Fonseca na presidência do País.    
c) “Intentona Integralista”, tentativa de tomada de poder por forças de extrema direita, com o objetivo de introduzir um governo centralizado com fortalecimento do Poder Executivo.    
d) episódio que ficou conhecido como os “18 do Forte”, e que marca o início do movimento conhecido como Tenentismo.    
e) “Revolta da Armada”, iniciada no Rio de Janeiro e disseminada por todo o sul do Brasil, unindo forças com os integrantes da Revolta Federalista.   


Resposta:

[D]

A Revolta dos 18 do Forte de Copacabana foi a primeira revolta do que viria a ser chamado de “Tenentismo”. Formada por 17 militares e 1 civil, tal revolta lutava contra o poder das oligarquias locais na República Velha.



  
7. (Unesp 2014)  Leia as notícias.

As fortes chuvas na região litorânea do Nordeste causam problemas a moradores de pelo menos quatro capitais. Maceió, Recife e João Pessoa sofrem com transtornos e ruas alagadas nesta quarta-feira [03.07.2013]. Natal ainda se recupera da maior chuva do ano, registrada nessa terça-feira.
(http://noticias.uol.com.br)


As fortes chuvas que atingem Salvador desde a madrugada provocaram alagamentos em diversas ruas da capital baiana nesta quarta-feira [03.07.2013]. Segundo a Defesa Civil do município, da meia-noite até o meio-dia foram registradas 31 solicitações de emergência, incluindo 14 deslizamentos de terra. [...] De acordo com a Climatempo, entre 1h e 8h, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou quase 37 milímetros de chuva acumulados em Salvador, com rajadas de vento atingindo 40 km/h.

(http://noticias.terra.com.br)

A maior incidência de chuvas entre os meses de maio e julho no Nordeste brasileiro pode ser explicada pela ocorrência de alguns fenômenos atmosféricos, como
a) a atuação dos ventos alísios e a formação de áreas de alta pressão atmosférica.   
b) a atuação dos ventos alísios e a ação de frentes frias.   
c) a atuação de frentes frias e a formação de tornados.   
d) a atuação da zona de convergência do Atlântico Norte e a formação de tornados.   
e) a atuação da zona de convergência do Atlântico Norte e a formação de áreas de alta pressão atmosférica.   


Resposta:

[B]

Como mencionado corretamente na alternativa [B], o nordeste é submetido à ação dos ventos alísios que se formam na latitude 30°N e 30°S e dirigem-se ao Equador levando o ar quente e úmido para a região, e no período citado, o litoral é atingido pela massa Polar Atlântica o que resultará na formação de chuvas frontais. Estão incorretas as alternativas: [A] e [E], porque são áreas de baixa pressão atmosférica; [C] e [D], porque a formação de tornados não ocorre nas áreas próximas ao Equador em razão da nulidade do Efeito Coriolis.



  
8. (Unesp 2014)  A extração de madeira, especialmente do pau-brasil, os ciclos do açúcar e café e o desmatamento para instalação de indústrias são eventos de nossa história que contribuíram para a degradação desse bioma.
(www.eco.ib.usp.br)

O texto refere-se ao bioma
a) Mata Atlântica.   
b) Caatinga.   
c) Cerrado.   
d) Pantanal.   
e) Floresta Amazônica.   


Resposta:

[A]

Como mencionado corretamente na alternativa [A], a Mata Atlântica foi o bioma mais devastado do país em razão de sua historicidade, que se deu inicialmente com a ocupação do litoral resultando na retirada do pau-brasil e na monocultura canavieira, no desenvolvimento da cafeicultura a partir do século XIX e na atual ocupação urbano-industrial.



  
9. (Espcex (Aman) 2014)  Imagens mostram que 57% da área original desse domínio morfoclimático brasileiro já estão desmatados. Sua biodiversidade também está ameaçada, fato que o aponta como um dos dois “hotspots” (MYERS, 1988, apud TERRA; ARAÚJO; GUIMARAES, 2009, p.186) identificados no País. A utilização de tecnologias modernas para corrigir os solos ácidos possibilitou a intensificação da produção agrícola, o que vem acelerando a devastação desse domínio.

O texto acima refere-se ao domínio morfoclimático do(a)  
a) Amazônia.    
b) Cerrado.    
c) Caatinga.    
d) Araucária.    
e) Mata Atlântica.    


Resposta:

[B]

O domínio morfoclimático do Cerrado é caracterizado por planaltos com chapadas, clima tropical, vegetação de Cerrado e solos pobres e ácidos. O ecossistema do Cerrado já foi desmatado em cerca de 49% conforme o IBGE, sendo um dos hotspots, isto é, bioma com grande diversidade e muito ameaçado pelo avanço da devastação. O avanço do agronegócio sobre o domínio do Cerrado deveu-se à biotecnologia, mecanização e aplicação de fertilizantes e calagem (correção da acidez) nos solos.



  
10. (Unicamp 2014)  As ocupações de telemarketing expressam uma importante transformação do mundo do trabalho nesse começo de século. Surgem nos EUA e na Europa nos anos 1980 e na década de 1990 atingem o Brasil, onde os call centers (locais de trabalho dos atendentes de telemarketing) mais concentram trabalhadores: 1.103 em cada empresa.
(Adaptado de Jessé Souza, “Os batalhadores brasileiros. Nova classe média ou a nova classe trabalhadora?”. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2012.)

Assinale a alternativa em que todas as características associadas a esse tipo de trabalho estejam corretas.
a) Privatização das empresas de telecomunicações; generalização da posse de linhas telefônicas; expansão de serviços de suporte técnico e televendas; insegurança no mercado de trabalho.   
b) Estatização das empresas de telecomunicações; generalização das linhas de telefones fixos; maior concentração populacional no meio rural; estabilidade no mercado de trabalho.   
c) Privatização das empresas de telecomunicações; generalização da posse de telefones celulares; retração dos serviços de atendimento ao cliente; segurança no mercado de trabalho.    
d) Estatização das antigas empresas de televendas; generalização do uso de telefones fixos; retração dos serviços de atendimento ao cliente; retração do mercado de trabalho nos serviços.   


Resposta:

[A]


No Brasil, houve a privatização do setor de telecomunicações a partir da década de 1990. Os serviços de telefonia (fixa e móvel) foram expandidos e com expressiva interação com a Internet. Também aconteceu um processo de precarização das relações de trabalho, típica da influência neoliberal com a introdução de contratos temporários de trabalho.







HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados