Google+ Followers

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Só específicas - questões discursivas com gabarito comentado




1. (Ufmg 2011)  Leia este trecho:

            [...] no começo do Fanerozoico (Cambriano – Ordoviciano), a vida fervilhava nos mares, enquanto os continentes permaneciam praticamente desérticos e sem vida (à exceção das bactérias).
            Para se ter em mente a importância da cobertura dos continentes pela vegetação, basta tentar imaginá-los totalmente nus e quais seriam as consequências advindas deste fato.

IANUZZI, Roberto; VIEIRA, Carlos E. L. Paleobotânica. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2005. p. 62. (Adaptado)

A partir da leitura desse trecho e considerando outros conhecimentos sobre o assunto, descreva uma consequência da conquista das terras emersas continentais pelos vegetais para
a) a superfície rochosa até então nua.
b) a atmosfera e o clima.
c) a vida animal.


Resposta:

a) A invasão da superfície continental por organismos pioneiros como algas e fungos modifica a superfície rochosa por erosão, transformando-a em solo utilizável por outras formas vegetais.

b) A conquista do meio terrestre pela vegetação contribui para o aumento do teor de O2 na atmosfera, além de atenuar o clima devido ao fenômeno da evapotranspiração.

c) A vida animal no ambiente terrestre se adaptou graças ao fornecimento do alimento produzido pelas comunidades vegetais que precederam os animais.



  
2. (Pucrj 2013)  Levando-se em consideração os dados do gráfico que indicam uma mudança do perfil das classes sociais brasileiras, responda ao que se pede a seguir.



a) Indique DOIS fatores econômicos responsáveis pela mudança observada no Brasil, entre 2005 e 2010.
b) Para os críticos dessa mudança, o aumento do consumo tem sido confundido com cidadania. Comente essa afirmação.


Resposta:

     A política econômica praticada nos anos representados nos gráficos aponta para a redução da inflação, a estabilização monetária, o aumento da produção e da competitividade nacional, os investimentos em projetos de infraestrutura, os subsídios para determinados setores produtivos, a elevação da oferta de crédito, entre outros.
     A ascensão da classe C no país no período representado resultou basicamente em aumento do consumo, particularmente de eletroeletrônicos e automotores, o que não corresponde necessariamente ao aumento da qualidade de vida, haja vista que essa é composta por indicadores, como saúde, educação, qualificação profissional, amadurecimento do trato social e cultural, segurança pública, entre outros.
      
      
      
  
3. (Uerj 2012)  No gráfico abaixo, representa-se o processo de transição demográfica, vivenciado, de forma diferente, nos países desenvolvidos e nos subdesenvolvidos.



Identifique, a partir do gráfico, uma fase em que há reduzido índice de crescimento vegetativo e outra em que ocorre a elevação desse índice.
Em seguida, apresente dois fatores que justificam, em países subdesenvolvidos, a queda da mortalidade na fase 2.


Resposta:

As fases com reduzido crescimento vegetativo são: 1 (alta mortalidade e alta natalidade) e 4 (baixa mortalidade e baixa natalidade). Parte dos países subdesenvolvidos encontra-se na fase 2; são exemplos várias nações da África, Ásia e América Latina. Nestes países, a taxa de natalidade ainda é elevada com declínio lento, mas houve uma queda substancial na mortalidade, resultando em um elevado crescimento vegetativo. Os fatores que contribuíram para diminuição da mortalidade foram:
– melhora nos padrões alimentares;
– urbanização com alguns avanços em educação e cuidados com saúde;
– expansão do saneamento básico (acesso à água, rede de esgotos e coleta de lixo);
– melhoria na saúde preventiva (vacinação), acesso a hospitais e medicamentos.

Observação: muitos países subdesenvolvidos emergentes, como o Brasil, já se encontram na fase 3, em que o crescimento demográfico declinou muito em razão da diminuição drástica da taxa de natalidade. Os países desenvolvidos e alguns emergentes, como a Rússia, encontram-se na fase 4, com taxa de natalidade muito baixa, estagnação no crescimento ou até mesmo redução populacional.



  
4. (Uerj 2012)  A Conferência de Copenhagen (COP-15), em 2009, foi mais uma reunião realizada com o objetivo de estabelecer um novo acordo global sobre clima, baseado no conceito do desenvolvimento sustentável.



Apresente a meta principal da proposta de desenvolvimento sustentável. Em seguida, defina os processos planetários denominados “efeito estufa” e “aquecimento global”.


Resposta:

Na atualidade, o conceito de desenvolvimento sustentável constitui a conciliação entre desenvolvimento da economia, conservação do meio ambiente e inclusão social. A conservação dos ecossistemas e recursos naturais é fundamental para a sobrevivência das gerações futuras.
O efeito estufa é um processo natural que ocorre quando as ondas de calor irradiadas pela superfície terrestre encontram os gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono, aquecendo a atmosfera. O Aquecimento Global “antropogênico” consiste na intensificação do efeito estufa decorrente do aumento da concentração de gases de efeito estufa (dióxido de carbono, metano, CFCs, etc.) em decorrência das atividades humanas, como indústria, energia, agropecuária, etc.

Observação: A tese do aquecimento global antropogênico não é consensual na comunidade científica, visto que muitos cientistas em climatologia e meteorologia afirmam que o dióxido de carbono não controla o clima em escala global, fatores como radiação solar, oceanos e atividade vulcânica seriam preponderantes.



  
5. (Uerj 2009)  Já no final da década de 1940, Copacabana era um verdadeiro subcentro em formação.
O crescimento populacional do bairro (e da Zona Sul em geral) estimulava o desenvolvimento do comércio e dos mais variados serviços.
            MAURÍCIO DE A. ABREU. "A evolução urbana do Rio de Janeiro". Rio de Janeiro:
IPLANRIO/Zahar, 1987.

(...) a partir da década de 80, se estabelece solidamente e começa a proliferar um outro símbolo da descentralização das atividades terciárias, o shopping center. (...) o shopping center vem desbancando os subcentros tradicionais, os quais, algumas vezes, entram em visível declínio.
            MARCELO LOPES DE SOUZA. "ABC do desenvolvimento urbano". Rio de Janeiro: Bertrand, 2003.

Os dois textos remetem a momentos distintos do processo de descentralização das atividades comerciais e de serviços na cidade do Rio de Janeiro.
Explique o processo de formação de cada tipo de subcentro retratado nos textos. Em seguida, aponte duas causas para a crescente supremacia dos shopping centers em relação aos subcentros tradicionais.


Resposta:

O subcentro de Copacabana, justifica-se no período onde a descentralização deve ser acompanhada de unidades de prestação de serviços para a população que começa a ocupar o bairro e o seu entorno ou novos bairros, como a Barra da Tijuca. Os shoppings, são fenômenos urbanos mais recentes e acompanham a tendência de expansão de enclaves fortificados, em vista do colapso dos serviços de segurança pública e empobrecimento generalizado da população com degeneração de bairros e relocação de população de alta renda em bairros fechados (edge cities).



  
6. (Uerj 2008)  Quatro favelas da Zona Sul do Rio de Janeiro cresceram 81% em quatro décadas.

Com base na análise da imagem acima, apresente dois argumentos que explicam a expansão dessas quatro favelas na área mais valorizada da cidade.



Resposta:

Dois dos argumentos:
- proximidade de bairros com grande oferta de emprego no setor de comércio e serviços que exigem baixa qualificação
- localização entre o mar e o Maciço da Tijuca , em área cuja topografia acidentada dificulta a incorporação ao mercado imobiliário formal
- precariedade dos meios de transporte de massa na cidade, desestimulando longos movimentos pendulares
- condescendência das autoridades públicas com a expansão das favelas em virtude do manancial de votos que esses espaços populares representam
- acompanhamento do crescimento demográfico metropolitano



  
7. (Uerj 2008)    "(...) hoje já é legítimo se colocar a dúvida quanto à validade da distinção entre campo e cidade. Não é difícil prever uma situação em que a maioria da população "rural", no sentido ecológico, se dedique a funções urbanas e que a prática da agricultura em nada se distinga das demais atividades urbanas.
            (PAUL Singer Adaptado de "Economia política da urbanização". São Paulo: Brasiliense, 1995.)

Campo e cidade, apesar de ocuparem diferentes porções do espaço geográfico, são complementares, sendo cada vez mais difícil apontar os limites físicos e funcionais entre um e outro.
Considerando as atividades econômicas, apresente dois exemplos de intercâmbio que demonstram a atual relação de interdependência entre o espaço urbano e o rural.


Resposta:

Dois dos exemplos:
- dependência, por parte da atividade industrial urbana, das matérias-primas produzidas no campo
- oferta de produtos em estado natural no comércio varejista
- oferta de espaços de lazer no campo para moradores da cidade
- dependência, por parte da atividade agropecuária moderna, de produtos industriais e de recursos tecnológicos gerados nas cidades, como tratores, implementos agrícolas, fertilizantes, rações e medicamentos veterinários
- oferta de bens e serviços urbanos para os moradores do campo



  
8. (Uerj 2008)    A caixa que encolheu a Terra

            Convencionou-se dizer que o avião, as telecomunicações e a Internet viabilizaram a globalização ao derrubar fronteiras e encurtar distâncias. Do ponto de vista do comércio mundial, no entanto, nenhuma invenção teve mais impacto que o contêiner - aquela grande caixa metálica com tamanho padronizado internacionalmente que pode transportar, por trens, navios e caminhões, produtos tão distintos como grãos de café e iPods. Os contêineres são uma espécie de herói esquecido da globalização (...).
            ("Veja", 04/04/2007)

Aponte uma consequência do uso de contêineres para o transporte marítimo mundial e explique por que a sua utilização levou várias áreas portuárias à decadência.


Resposta:

Uma das consequências:
- venda, em países com mercado consumidor de alta renda de produtos oriundos de países com baixos custos de produção, em função da queda o valor frete
- viabilização da produção fragmentada, com fabricação de cada componente em local de custos mais competitivos, em função do barateamento do transporte
- maior segurança para a integralidade dos produtos transportados
- transporte de carga de caráter intermodal São necessários grandes pátios de armazenamento para empilhar os contêineres antes do embarque, o que aposentou os antigos portos com cais estreitos e lineares.



  
9. (Uerj 2007)  O Estado do Rio de Janeiro passa atualmente por um processo de interiorização de seu parque industrial, antes concentrado na capital, que começa a se especializar em outras atividades.
Explique por que está ocorrendo a desconcentração industrial da cidade do Rio de Janeiro e indique uma região do Estado que esteja sendo beneficiada por esse processo e seu correspondente setor industrial em expansão.


Resposta:

Os custos de produção ficaram muito elevados na metrópole fluminense, o que vem estimulando as indústrias a buscarem custos mais baixos no interior do Estado, incentivadas por políticas públicas estaduais e municipais.
Uma dentre as regiões e seu respectivo setor industrial:
- Médio Vale do Paraíba - metal-mecânico / automobilístico / siderúrgico
- Serrana - têxtil / indústria alimentícia / software
- Costa Verde - siderurgia / indústria naval
- Periferia da Região Metropolitana - polo gás-químico de Caxias / indústria de transformação



  
10. (Uerj 2007)  Uma nova dinâmica de transportes no território brasileiro, com a integração de rodovias, ferrovias, hidrovias e portos, vem possibilitando a expansão do cultivo de soja em direção à Amazônia Legal. Essa dinâmica contribui para a presença, nessa região, de empresas multinacionais que industrializam e comercializam grãos.
Indique dois corredores de transportes que viabilizam a expansão do cultivo de soja e dois aspectos dessas redes de circulação de mercadorias que oneram as exportações do setor.


Resposta:

Dois dentre os corredores:
- BR 163 e BR-364 e ferrovia Ferronorte
- BR 364 e hidrovia dos rios Madeira e Amazonas
- BR 174, que liga Roraima a Manaus e a Itacoatiara
- BR-163 e suas conexões para os portos de Paranaguá e Santos
- Estradas para escoar a produção do leste do Pará (região de Paragominas) pelo porto de Belém
- E. F. Carajás, que escoa a produção do sudeste do Pará e sul do Maranhão através do porto de Itaqui
- hidrovias dos rios Paranaíba, Paraná e Tietê, ferrovia Ferroban e principais rodovias estaduais paulistas
Dois dentre os aspectos:
- estradas mal conservadas
- subaproveitamento das hidrovias
- falta de manutenção e de dragagem dos portos
- carência de ferrovias para transportar a produção
- diferença de bitolas entre as ferrovias existentes

- alto custo dos pedágios nas rodovias privatizadas 

Link para questões de outras disciplinas: http://praticandoalinguaportuguesananet.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados