Google+ Followers

Oriente Médio e Palestina

sábado, 11 de maio de 2013

Exercícios sobre Primeira Guerra e Revolução Russa com gabarito comentado


1. (Uerj 2012) 



A Primeira Guerra Mundial provocou uma reorganização político territorial da Europa, como se observa nos mapas. Duas ideias orientaram essa reorganização: a do Estado-nação e, no caso da fronteira russa, a do cordão sanitário.
A partir da análise dos mapas, identifique a mudança ocorrida na organização política europeia após a Primeira Guerra.
Em seguida, indique o motivo que levou ao estabelecimento da política do cordão sanitário naquele momento.


Resposta:

A derrota dos Impérios centrais – alemão e austríaco – determinou o surgimento de novas nações no leste europeu, como a Tchecoslováquia e a Hungria e, ao mesmo tempo, a desintegração do Império Turco, garantiu a formação de novas nações árabes no Oriente Médio, ainda que sob tutela de Inglaterra e França.

A Revolução Russa de 1917 e a formação da União Soviética criaram uma nova situação na Europa, de ameaça ao capitalismo e às potencias até então dominantes, que se preocuparam em promover o isolamento da nação comunista.




  
2. (Fuvest 2011)  Este livro não pretende ser um libelo nem uma confissão, e menos ainda uma aventura, pois a morte não é uma aventura para aqueles que se deparam face a face com ela. Apenas procura mostrar o que foi uma geração de homens que, mesmo tendo escapado às granadas, foram destruídos pela guerra.

Erich Maria Remarque, Nada de novo no front. São Paulo: Abril, 1974 [1929], p.9.

Publicado originalmente em 1929, logo transformado em best seller mundial, o livro de Remarque é, em boa parte, autobiográfico, já que seu autor foi combatente do exército alemão na Primeira Guerra Mundial, ocorrida entre 1914 e 1918. Discuta a ideia transmitida por “uma geração de homens que, mesmo tendo escapado às granadas, foram destruídos pela guerra”, considerando:
a) As formas tradicionais de realização de guerras internacionais, vigentes até 1914 e, a partir daí, modificadas.
b) A relação da guerra com a economia mundial, entre as últimas décadas do século XIX e as primeiras do século XX.


Resposta:

a) Antes da Primeira Guerra Mundial as batalhas eram caracterizadas por “guerras de movimento”, com o deslocamento de grande contingente humano, com armas pessoais e enfrentamentos “corpo-a-corpo” nos quais os indivíduos eram decisivos. Com o avanço da tecnologia bélica durante a Primeira Guerra Mundial, houve grande modificação nos conflitos, com a percepção de que as armas de destruição em massa é que determinavam as possibilidades de vitória, com a destruição da infraestrutura inimiga e não necessariamente com a eliminação do exército adversário.

b) A Primeira Guerra Mundial foi um conflito que tem forte relação ao momento vivido pelo capitalismo do final do século XIX e início do XX, pois um dos principais motivos geradores do conflito foi a disputa imperialista entre as nações europeias, envolvidas no neocolonialismo com o objetivo de explorarem matéria-prima, mão de obra barata e garantir mercado consumidor, instalando suas indústrias e ampliando o poderio econômico. Portanto foi a expansão do capitalismo em sua fase imperialista, com intensa disputava por territórios na África e Ásia que deu origem à Grande Guerra.



  
3. (Unicamp 2011)  Existem épocas em que os acontecimentos concentrados num curto período de tempo são imediatamente vistos como históricos. A Revolução Francesa e 1917 foram ocasiões desse tipo, e também 1989. Aqueles que acreditavam que a Revolução Russa havia sido a porta para o futuro da história mundial estavam errados. E quando sua hora chegou, todos se deram conta disso. Nem mesmo os mais frios ideólogos da guerra fria esperavam a desintegração quase sem resistência verificada em 1989.

(Adaptado de Eric Hobsbawm, “1989 – O que sobrou para os vitoriosos”. Folha de São Paulo, 12/11/1990, p. A-2.)

a) No contexto entre as duas guerras mundiais, quais seriam as razões para a Revolução Russa ter simbolizado uma porta para o futuro?
b) Identifique dois fatores que levaram à derrocada dos regimes socialistas da Europa após 1989.


Resposta:

a) A Revolução Russa representou, no início do século, a possibilidade de construção de sociedades mais justas e igualitárias, de destruição de um modelo capitalista opressor e concentrador de riquezas e estimulou milhões de pessoas, principalmente trabalhadores e jovens, em diversos países do mundo, a uma luta política pela construção de um novo mundo.

b) O ano de 1989 tornou-se emblemático para a crise do socialismo, com a “queda do muro de Berlim”, símbolo da divisão do mundo em blocos antagônicos, que é a principal característica da Guerra Fria. A queda do muro apenas refletiu a crise do modelo soviético, estagnado há décadas, tanto que foi mais uma festa do que uma revolução. A crise do modelo soviético está associada à incapacidade da antiga URSS manter sua política de corrida armamentista que tentava acompanhar os Estados Unidos e pela debilidade de seu potencial industrial.



  
4. (Unesp 2010)  A Revolução Russa é o acontecimento mais importante da Guerra Mundial.

(LUXEMBURGO, Rosa. A revolução russa. Lisboa: Ulmeiro, 1975.)

A frase de Rosa Luxemburgo, polonesa então radicada na Alemanha, associa diretamente a ocorrência da Revolução Russa com a Primeira Guerra Mundial.
Indique e analise possíveis vínculos entre os dois processos, destacando os efeitos da Guerra na vida interna da Rússia.


Resposta:

A formação de sindicatos, partidos e soviets antecede a Guerra e a Revolução, dada as precárias condições econômicas e políticas da Rússia dos Czares. No entanto, a Grande Guerra serviu para agudizar as contradições e a pobreza e permitiu que se ampliasse a discussão política sobre os governantes da época e sobre as possibilidades de mudança. O Partido Bolchevique se opôs à guerra e a identificou como a grande responsável pela miséria dos trabalhadores, utilizando-a em sua propaganda política.



  
5. (Ufg 2010)  Leia os documentos a seguir.

            Os camponeses partem para o front com incrível entusiasmo; e as classes superiores da sociedade, quer sejam liberais ou conservadoras, os aclamam, desejando-lhes boa sorte […] Habitualmente, os camponeses sentiam que não tinham nada a fazer a não ser beber; mas agora não é mais assim. É como se a guerra lhes desse uma razão para viver […] No ardor dos soldados russos se percebe o entusiasmo que agita o coração dos antigos mártires se lançando para a morte gloriosa.

LE BON, Gustave. 1916 apud JANOTTI, Maria de Lourdes. A Primeira Guerra Mundial. O confronto de imperialismos. São Paulo: Atual, 1992. p.17.

            Após um ano de massacre, o caráter imperialista da guerra cada vez mais se afirmou; essa é a prova de que suas causas encontram-se na política imperialista e colonial de todos os governos responsáveis pelo desencadeamento desta carnificina. […] Hoje, mais do que nunca, devemos nos opor a essas pretensões anexionistas e lutar pelo fim desta guerra […] que provocou misérias tão intensas entre os trabalhadores de todos os países.

CONFERÊNCIA DE ZIMMERWALD - 5 a 8 de setembro de 1915. Apud JANOTTI, Maria de Lourdes. A Primeira Guerra Mundial. O confronto de imperialismos. São Paulo: Atual, 1992. [Adaptado].

No início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), estabeleceu-se, sobretudo na Europa, uma disputa de ideias em torno do envolvimento nesse conflito. Com base na leitura de cada um dos documentos, explique as posições assumidas sobre a participação na guerra.


Resposta:

No caso do primeiro documento, datado de 1916, expressa-se uma posição favorável à participação no conflito, em acordo com o princípio nacionalista. Para os nacionalistas, a guerra associava-se à defesa da Pátria, o que exigia a unidade do povo para defender os interesses internos. Nesse sentido, os nacionalistas atribuíram ao combate um caráter positivo e saneador, inclusive moral. No interior dessa atribuição, o soldado era visto como um herói e o entusiasmo articulava-se a um sentimento de dever para com a pátria que, por sua vez, preenchia de sentido a vida do combatente.
No caso do segundo documento, datado de 1915, a posição é contrária à guerra, sendo a expressão de um princípio socialista. Mesmo considerando as tensões internas ao movimento e a existência de alguns socialistas que apoiavam a participação no conflito, a guerra é interpretada, neste documento, como um sintoma da disputa imperialista e como um entrave aos interesses dos trabalhadores.



  
6. (Uerj 2009)  A Primeira Guerra Mundial não resolveu nada. As esperanças que gerou - de um mundo pacífico e democrático de Estados-nação sob a liga das nações; de um retorno à economia mundial de 1913; mesmo (entre os que saudaram a revolução russa) de capitalismo mundial derrubado dentro de anos ou meses por um levante dos oprimidos - logo foram frustradas. O passado estava fora de alcance, o futuro fora adiado, o presente era amargo, a não ser por uns poucos anos passageiros em meados da década de 1920.
            ERIC J. HOBSBAWM. "A era dos extremos: o breve século XX (1914-1991)". São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

O período entre-guerras (1919-1939) começou com uma combinação de esperança e ressentimento.
Diversos acordos foram impostos pelos Estados vencedores aos derrotados. O mais conhecido deles é o Tratado de Versalhes de 1919. Outros tratados complementares também foram assinados e igualmente tiveram grande importância para a geopolítica mundial.
Indique duas transformações na geopolítica mundial decorrentes desses tratados complementares.
Em seguida, cite dois países que foram submetidos a eles.


Resposta:

Duas das transformações:
- desaparecimentos de impérios centrais multiétnicos e pluriculturais, como o austro-húngaro e o turco-otomano
- surgimento de novos Estados no leste europeu: Tchecoeslováquia, Polônia, Iugoslávia, além da Áustria e da Hungria, separadas uma da outra
- entrega de territórios anteriormente turcos ao Reino Unido (Palestina, Jordânia e Mesopotâmia) e à França (Líbano e Síria) pela Liga das Nações
- reforço da política de isolamento imposta à Rússia, com a criação de um cordão sanitário, formado também por países surgidos da desagregação do império austro-húngaro
Dois dos países:
- Áustria
- Hungria
- Bulgária
- Turquia



  
7. (Ufrj 2009)  "Como a Revolução Francesa, em fins do século XVIII e começo do século XIX, as Revoluções Russas que levaram à fundação da URSS modificaram a face do mundo. Para muitos deram início ao século XX. Seja qual for nossa opinião a respeito, é inegável que imprimiram sua marca a um século que só terminou com o desaparecimento dos resultados criados por elas".
            (REIS FILHO, Daniel Aarão. "As revoluções russas". Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002, p. 37)

a) Identifique duas medidas adotadas pelos bolcheviques entre 1917 e a criação da União Soviética (1922).
b) Explique uma questão de ordem interna à União Soviética que contribuiu para o seu fim em 1991.


Resposta:

a) O candidato poderá indicar, entre outras, as seguintes medidas: Instituição do Conselho de Comissários do Povo; proclamação dos Decretos: sobre a Terra (reforma agrária), Paz (armistício imediato e negociações para a retirada da Rússia da 1a Guerra), Controle Operário (estatização e direção operária das fábricas); Declaração dos Povos da Rússia (igualdade entre as nações russas e o direito de cada uma delas constituir um Estado nacional próprio); organização do Exército Vermelho para enfrentar os " exércitos brancos" na Guerra Civil (1918-1921); adoção do "comunismo de guerra" (apropriação de bens e terras; regulamentação da produção etc) durante a Guerra Civil; estabelecimento da NEP (Nova Política Econômica), com a permissão para o ingresso de capital estrangeiro e da atividade de pequenas e médias empresas privadas (1921).

b) O candidato poderá desenvolver, entre outros, os seguintes aspectos: a perda de capacidade da URSS de manter taxas crescentes de desenvolvimento econômico, especialmente, na virada para os anos 80; o esvaziamento do discurso igualitário desvelado, por exemplo, nas gritantes desigualdades que separavam os membros do Partido e do resto da população; o fracasso da perestroika (reestruturação), conjunto de iniciativas tentadas por Gorbachev para reeguer a economia da URSS; o êxito parcial da glasnot (transparência), com a afirmação de um ambiente de liberades e debates públicos acerca das grandes questões que envolviam a URSS e o chamado socialismo realmente existente; o acirramento das disputas entre reformistas (defensores de radicalizar a perestroika e a glasnot) e os conservadores (receosos de que se perdesse o controle sobre as mudanças); a emergência da questão nacional, ou seja, a luta de inúmeras repúblicas, até então abrigadas na URSS, por suas identidades, autonomia e, em muitos casos, independência.



  
8. (Unicamp 2008)  Alguns comunistas franceses encontravam conforto na ideia de que as atitudes de Stalin em relação aos opositores do regime político vigente na União Soviética eram tão justificadas pela necessidade quanto havia sido o Terror de 1793-1794, liderado por Robespierre. Talvez em outros países, onde a palavra Terror não sugerisse tão prontamente episódios de glória nacional e triunfo revolucionário, essa comparação entre Robespierre e Stalin não tenha sido feita.
            (Adaptado de Eric Hobsbawn. "Ecos da Marselhesa: dois séculos reveem a Revolução Francesa". São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p. 67-68.)

a) De acordo com o texto, o que permitiu aos comunistas a comparação entre os regimes de Robespierre e de Stalin?
b) Quais os princípios políticos que definiam o regime soviético?


Resposta:

a) A necessidade de endurecimento do governo revolucionário de Robespierre foi justificada como uma resposta às ações dos contra-revolucionários, representados, no plano interno, por grupos políticos de oposição aos jacobinos e, no plano externo, por invasores estrangeiros temerosos do êxito da Revolução Francesa. Situação idêntica (inimigos internos e externos) enfrentaram os comunistas após o triunfo da Revolução de 1917.

b) O regime político soviético baseava-se na atuação dos sovietes (conselhos de trabalhadores), definindo-se como uma democracia popular, sob a direção do partido Comunista. Na prática porém, estabeleceu-se uma ditadura de partido único que adquiriu feições de um Estado totalitário.



  
9. (Fuvest 2004)  A Primeira Guerra Mundial, (1914-1918), foi o primeiro conjunto de acontecimentos que abalou seriamente o domínio colonial e a existência de impérios europeus no século XX.

Tendo por base o texto, explique:
a) A associação entre o colonialismo europeu e a Primeira Guerra.
b) A relação entre a Primeira Guerra e a destruição do Império Russo.


Resposta:

a) A Primeira Guerra Mundial foi consequência direta das disputas imperialistas entre as potências industriais europeias por territórios na África e na Ásia.
b) O regime czarista da Rússia já enfrentava severas críticas da burguesia liberal e de grupos políticos como os Bolcheviques e os Mencheviques. Durante o conflito, o país participou integrando a Tríplice Entente. No entanto, as derrotas para a Alemanha em decorrência da precariedade do exército russo, precipitaram as lutas internas que culminaram com a Revolução Bolchevique em outubro de 1917e consequente implantação do regime socialista.



  
10. (Ufv 2004)  A Revolução Russa de 1917 significou a formação do primeiro Estado Socialista do mundo, provocando uma ruptura no sistema capitalista mundial e influenciando os movimentos revolucionários no pós-guerra e a divisão do mundo em Socialismo e Capitalismo, com os consequentes conflitos de interesses.

a) Cite duas condições existentes na Rússia czarista que contribuíram para a eclosão da Revolução de 1917.
b) O que eram os 'soviets' e qual o seu papel no processo revolucionário?


Resposta:

a) A frágil economia russa estruturada no campo em moldes semi-feudais e nas áreas urbanas por uma indústria atrasada tecnologicamente e dependente do capital estrangeiro, fora abalada ainda mais pela derrota russa em 1905 na Guerra Russo-Japonesa e pela entrada da Rússia na Primeira Guerra Mundial.
        No campo político, a insatisfação em relação ao czarismo, evidenciava-se nos protestos de 1905, conhecidos como "Ensaio Geral" e na organização de partidos políticos  como o Partido Kadet formado pela burguesia liberal defensora da Monarquia Constitucional e o Partido Operário Social-Democrata, dividido nas facções Bolchevique (maioria), defensora da revolução socialista a patir da instalação da ditadura proletária e Menchevique (minoria) favorável à implantação do socialismo, mas a partir de reformas políticas pela via democrática.

b) Os soviets eram comitês de trabalhadores espalhados por diversas regiões da Rússia, que sob a liderança dos bolcheviques, foram fundamentais na organização da Revolução.

Link para aula do professor Arão Alves sobre Primeira guerra mundial no youtube
Link para questões de outras disciplinas:


Bons estudos!

Professor Arão Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados