Google+ Followers

Oriente Médio e Palestina

terça-feira, 6 de abril de 2010

Desafio de História

O Primeiro aluno que responder todas as questões, incluindo as dissertativas será o vencedor.

Obs: Não vale "recorte e cola", ou seja, a resposta deve ser sua!!!!!!

O Aluno deve se identificar com nome e turma.

1. (Ufu) Leia o trecho a seguir.

Ó mar salgado, quanto do teu sal

São lágrimas de Portugal!

Por te cruzarmos, quantas mães choraram,

Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar

Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena

Se a alma não é pequena.

Quem quer passar além do Bojador

Tem que passar além da dor.

Deus ao mar o perigo e o abysmo deu,

Mas nelle é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa, Mar português. "Mensagem", 1922.

O fragmento do poema apresentado, escrito por Fernando Pessoa, faz uma série de referências ao período das "grandes navegações" portuguesas nos séculos XV e XVI. A esse respeito, explique:

a) o que foi esse período, contextualizando-o no processo de formação dos Estados Modernos da Europa.

________________________________________

________________________________________

b) a visão de Fernando Pessoa sobre as "grandes navegações" porluguesas.

________________________________________

________________________________________

2. (Ufes) "A Reforma protestante do século XVI teve um duplo caráter de revolução social e revolução religiosa. As classes populares não se sublevaram somente contra a corrupção do dogma e os abusos do clero. Também o fizeram contra a miséria e a injustiça. Na Bíblia, não buscaram unicamente a doutrina da salvação pela fé, mas também a prova da igualdade original de todos os homens".

(HAUSE, H. apud MARQUES, A. et al. "História moderna através de textos". São Paulo: Contexto, 2001, p. 107.)

A Reforma protestante foi desencadeada por fatores sociais, políticos e religiosos difíceis de separar na História Moderna do século XVI. Com base no texto anterior, identifique e explique dois princípios doutrinários dessa Reforma que respondiam aos anseios sociais e religiosos do povo europeu da época.

_______________________________________

_______________________________________

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO

(Ufpr) Na(s) questão(ões) a seguir, escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos.

3. No contexto do Renascimento, é correto afirmar que o Humanismo:

(01) Apoiava-se em concepções nascidas na Antigüidade Clássica.

(02) Teve em Erasmo de Rotterdam um de seus principais expoentes.

(04) Influenciou concepções que desencadearam a "Reforma Religiosa".

(08) Inspirou uma verdadeira revolução cultural, iniciada na Itália.

(16) Contribuiu para o desenvolvimento dos estudos científicos.

Soma = ( )

4. (Fuvest) Nos séculos XIV e XV, a Itália foi a região mais rica e influente da Europa. Isso ocorreu devido à

a) iniciativa pioneira na busca do caminho marítimo para as Índias.

b) centralização precoce do poder monárquico nessa região.

c) ausência completa de relações feudais em todo o seu território.

d) neutralidade da península itálica frente à guerra generalizada na Europa.

e) combinação de desenvolvimento comercial com pujança artística.

5. (Uel) [...] O rei fora um aliado forte das cidades na luta contra os senhores. Tudo o que reduzisse a força dos barões fortalecia o poder real. Em recompensa pela sua ajuda, os cidadão estavam prontos a auxiliá-lo com empréstimos em dinheiro. Isso era importante, porque com o dinheiro o rei podia dispensar a ajuda militar de seus vassalos. Podia contratar e pagar um exército pronto, sempre a seu serviço, sem depender da lealdade de um senhor. Seria também um exército melhor, porque tinha uma única ocupação: lutar. Os soldados feudais não tinham preparo, nem organização regular que lhes permitisse atuar em conjunto, com harmonia. Por isso, um exército pago para combater, bem treinado e disciplinado, e sempre pronto quando dele se necessitava, constituía um grande avanço.

(HUBERMAN, L. "História da riqueza do homem". Rio de Janeiro: Zahar, 1977. p. 80 - 81.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar.

I - A organização de exércitos sob o comando do rei contribui para o processo de formação dos Estados Nacionais.

II - A decadência da burguesia possibilitou o fortalecimento do poder real e a constituição dos Estados Nacionais europeus.

III - A teoria política do período sacralizou a figura do monarca, já que afirmava serem os reis escolhidos por Deus para exercer o governo.

IV - Com os Estados Nacionais constituídos, a Igreja continuou a ocupar um espaço importante dentro dos reinados, baseada na autoridade suprema do Papa.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I e II são corretas.

b) Somente as afirmativas I e III são corretas.

c) Somente as afirmativas II e IV são corretas.

d) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.

e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

6 comentários:

  1. Questão 2 Doutrina da "Salvação pela fé, e não pelas obras"; - Doutrina do "Livre Exame". Com a institucionalização da compra da salvação por meio de esmolas e doações, que quanto mais vultosas maior era a possibilidade de indulgência dos pecados, a Igreja aprofunda o desespero e a confusão dos valores morais na sociedade européia do século XVI. A venda de indulgências praticada pela Igreja era uma forma de manter e resguardar sua riqueza feudal ameaçada pela economia comercial emergente. O povo (lavradores, mercadores, artesãos), amedrontado pela ameaça de condenação e, ao mesmo tempo, revoltado com a exploração e os abusos econômicos da Igreja, vê na reforma da doutrina cristã pregada por Martinho Lutero uma resposta religiosa às suas angústias morais e sociais. A doutrina reformista da "salvação pela fé e não pelas obras" se opunha à doutrina tradicional da "salvação pela compra de indulgências" e conseqüente perdão papal. A salvação pela fé e não pelas "doações" à Igreja ou compra de cartas de indulgência oferece ao povo o canal religioso para a salvação individual por meio da contrição e penitência e para a contestação à instituição católica e sua autoridade feudal. A doutrina reformista do "livre exame" condena o latim, de acesso restrito ao clero e aos homens ilustrados, e proclama o alemão, de acesso popular, como a língua oficial a ser usada nos ritos religiosos e nas Sagradas Escrituras. A tradução da Bíblia do latim para o alemão por Lutero oferece ao povo comum o acesso às Sagradas Escrituras e estabelece que a Verdade só poderia ser encontrada na palavra de Deus e não na palavra do Papa. Com a doutrina do "livre exame", difunde-se o princípio da igualdade entre os homens diante de Deus, propiciando a todos os cristãos o direito à busca individual da salvação, bastando a prática da contrição, da simplicidade e a fé. O "livre exame" faz emergir um novo princípio religioso, o do individualismo cristão. Essas doutrinas protestantes, entre outras, fundamentam a Reforma e favorecem a revolução social e política em curso na Europa. No princípio do individualismo cristão defendido pelos reformistas, pobres, nobres e burgueses encontram o apoio moral necessário à libertação social, política e econômica da Igreja, principal representante do poder e da ordem feudais. Uma vez que na Idade Média religião e sociedade se confundiam, a Reforma contribuiu para a deflagração da "revolução burguesa" na Europa, deixando o caminho aberto em direção à autonomia política dos Estados com relação a Roma, à liberdade social e a um novo tipo de riqueza: não mais a terra e o domínio territorial, mas o comércio e o dinheiro.

    ResponderExcluir
  2. Questão 1B De acordo com o fragmento do poema de Fernando Pessoa é possível perceber que o autor interpreta o processo das navegações portuguesas a partir do impacto que essa extraordinária aventura teve na vida dos portugueses. O poeta destaca o "preço" pago pelos portugueses "para que fosses nosso, ó mar!", um alto preço no que se refere às perdas humanas e às alterações nas trajetórias de vida dos indivíduos que de alguma forma estiveram nelas envolvidos.

    ResponderExcluir
  3. Questão 1 A- O desenvolvimento do comércio e da economia monetária, aliados ao esgotamento das velhas minas européias, estimulou a busca de novas fontes de metais preciosos e de rotas de comércio alternativas para o Oriente (visando romper o monopólio árabe-italiano nas rotas tradicionais do Mar Mediterrâneo). As grandes inovações técnicas, o desenvolvimento da astronomia e da cartografia, o avanço na arte da navegação e o processo de formação dos Estados Nacionais, quando a descentralização típica do período medieval foi sendo superada pela concentração do poder nas mãos dos reis absolutistas, criaram as condições para a aventura das navegações. O poder estatal foi imprescindível na realização da expansão marítima e comercial, tanto que Portugal, o primeiro Estado centralizado da Europa, foi o país pioneiro nas grandes navegações dos séculos XV e XVI.Não podemos esquecer da Revolução de Avis (1383-85) que contribuiu para a chegada da Burguesia ao poder. O Desenvolvimento técnico possibilitou a superação de pensamentos míticos que orientavam uma concepção de mundo baseada na dicotomia entre ecúmeno e anecúmeno. Com tais superações os homens poderiam se aventurar no mar oceano.

    ResponderExcluir
  4. e resposta da 5 .
    preciso muito dela

    ResponderExcluir
  5. a resposta da 5 é necessária , preciso urgente .

    ResponderExcluir

HOTWORDS

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Follow by Email

Textos relacionados